Perambulando pela noite de Dublin

/

"Todo mundo espera alguma coisa de um sábado à noite", já dizia a canção. E aí que fui pra minha primeira noite aqui em Dublin.

Tipo assim... eu sou a maior velha e careta. Não bebo, não fumo, não gosto muito de sair à noite porque geralmente as pessoas que saem bebem e fumam. Aí fico meio perdida, mas gosto de música, gosto de ouvir música alta, e assim, tô na terra dos pubs, então não tem como fugir, né?

Os amigos me levaram pra um tal de O'Reilly's. É um pub de rock, tem alguns ambientes, gostei. Ficamos num ambiente onde a música não tava tão alta e dava pra conversar. Foi divertido. Conhecemos um italiano que disse: "you look like Brazilians", ao que respondi "can you tell that easily?". Aí ele falou que conhece brasileiros e já sabe "como somos". Depois um brasileiro muito bêbado veio conversar conosco e nos convidou pra feijoada, pro pagode, pro forró, pro sertanejo. Aí falei: "Tá doido, cara? Eu não ia nessas coisas nem no Brasil, até parece que vou aqui...". Ele insistiu e disse que esses rolês eram bons. Ok, né.

De lá, fomos pra uma baladinha chamada The Living Room.

Assim, como falei, sou A VELHA e não sei dançar música eletrônica nem sei paquerar na balada (ainda usam a palavra "paquerar"?). Mas como o pessoal queria ir, vambora! Só que ao entrar, que música estava tocando?

Essa aqui:


Porra, tava tocando Michel Teló, cara.

Ok, ok, depois tocou uma eletrônica aqui, uma latina ali... a galera sobe no palco, dança loucamente e bebe loucamente. Até aí, tudo bem, eu tava no meu cantinho dando um passo pra cá e outro pra lá. E de repente... essa música começa a tocar:


Hmmm, tá. Foi só uma coincidência ruim essas músicas tocarem no sábado, acontece. Se não fosse pela música da novela tocar também!!!


FUCK FUCK FUCK FUCK, ME TIREM DAQUI!

Aí saímos. Já eram quase 3 da manhã e muitas baladas estavam fechadas, mas voltamos pro Temple Bar e entramos no The Mezz, que ainda tava aberto. Tinha várias fotos de bandas de rock nas paredes, o teto era meio baixo, tava tocando Nirvana e a galera tava muito louca pulando como num show de rock. Tava bagunçado, mas tava tocando rock, então melhor que antes, né? Não fosse o povo, totalmente bêbado, começar a se empurrar e ensaiar briga. Ficamos ali alguns minutos e saímos... bagunçado demais.

E como voltar pra casa às 3 e meia da madrugada? Vai a pé, vai de táxi, vai como?

De NITELINK!

O Rick fez até uma comparação com o NITEBUS do Harry Potter no blog dele.

É assim: custa 5,70. Só pode pagar com as moedas certinhas ou com o ticket previamente comprado. Os ônibus noturnos juntam algumas linhas pra servir uma região específica. Por exemplo, o ônibus que pego pra casa é o 39 ou 39a. O noturno chama 39n. Eles saem de alguns pontos da cidade. No caso, peguei ele na avenida de frente pra O'Connell Bridge. Eles saem à meia-noite, uma, duas, três, três e meia e quatro da manhã. Bom, né? Se eu não tivesse me perdido, seria melhor ainda.

Assim, o ônibus começou a fazer um caminho diferente, mas até aí, ok. Tava subindo a O'Connell. Fiquei prestando atenção nos nomes das ruas até que o ônibus cruzou a North Circular Road. "Opa, tô chegando!" - pensei. Ele subiu mais algumas quadras mas NÃO PASSOU na avenida onde costumo descer. Aí percebi que já tinha subido quadras demais, dei sinal e desci.

A avenida tava totalmente deserta, mal passava carro, eu só ouvia o barulho das minhas botas ecoando na noite e estou sem internet no celular, logo, sem google maps. Resolvi seguir a intuição - ela sempre funciona, impressionante. Vim descendo mas o nome da avenida não aparecia. Desci mais umas duas quadras e vi "Navan Road". Ok, eu tava perto. Desci mais um pouco e... "Old Cabra Road". UFA, TÔ EM CASA. Andei mais um pouco e já vi a minha rua linda me esperando.

E foi assim que conheci três bares diferentes, vi muita gente bêbada, vi muita sujeira dos bêbados na rua, aprendi a pegar o ônibus noturno e já sei até onde descer agora. Sucesso!

Web Analytics

@blog_barbaridades

Back to Top