Conhecendo a Irlanda: o fim

/

Eu inventei que queria conhecer todos os condados da Irlanda, e estou muito perto de chegar lá.

Eu sei, quantidade não é qualidade. Mas a verdade é que num país tão pequeno como a Irlanda, não é difícil ver um ou outro ponto interessante em cada condado, principalmente porque há coisas interessantes pra se ver e fazer no país inteiro, sabe? Então não me sinto mal em não ter explorado mais a região Y ou Z do país porque tenho a vida inteira pra fazer isso, né?

A última vez que falei sobre esse meu projeto aqui no blog faz quase 1 ano e meio e de lá pra cá eu consegui conhecer mais alguns condados. No momento, só faltam 4 dos 26 condados da República!

Com exceção de Roscommon, os outros são bem próximos de Dublin, coisa que dá pra ir conhecer num bate-e-volta, sabe? Dando uma pesquisada rápida, já pensei em coisas que quero visitar em cada um dos condados remanescentes... e fica a pergunta: será que consigo concluir esse projeto ainda esse ano? O "pior" é que o R. já até sabe que quando concluirmos, vou inventar uma nova desculpa pra sair viajando pela Irlanda... quem sabe depois que estiver dirigindo, um projeto de eu mesma dirigir à esses lugares maravilhosos, não é mesmo?

Meus cuidados com os cabelos

/

Nem vem tirar um sarro que estou dando uma de ~blogueyra~, mas como eu gosto muito de dicas legais de gente normal acerca de cuidados com pele e cabelos, achei que poderia dar a minha contribuição por aqui também. Além disso, às vezes eu posto algumas coisas no snapchat e minha amiga Jamile me pediu várias vezes pra eu colocar todas as dicas num post só, então... lá vamos nós!

Eu venho descobrindo com o passar dos anos que quanto menos se lava o cabelo, mais bonito ele fica. Tipo, os óleos naturais do couro cabeludo deixam os fios mais brilhosos e o cabelo com menos frizz, mas é óbvio que pra quem tem cabelo oleoso como o meu, é difícil encontrar o equilíbrio entre sedoso e seboso, né? risos nervosos.

Bom, o que tenho feito é lavar o cabelo poucas vezes mas hidratar e proteger da melhor maneira que consigo, até porque além de cabelos oleosos eu tenho o cabelo colorido, então haja tinta rosa pra durar!

Na época do inverno, em que não suo muito mesmo pedalando todos os dias, eu lavo o cabelo a cada 3 ou 4 dias. Sim! Antigamente eu lavava dia sim dia não, mas essa estratégia não rola mais aqui em casa.

Reveillon em Barcelona

/

O fim de ano tem um gosto muito especial pros brasileiros. A gente adora uma festa de Reveillon, se vestir de branco, comer lentilha e uva, usar calcinha de cor específica, etc, etc, não é mesmo? Eu não sou exceção e também curto comemorar a passagem de ano, embora prefira mesmo o Natal.

Quando minha mãe teve a ideia de vir passar o Natal aqui na Irlanda, eu disse à ela que o Ano Novo aqui é beeeem sem graça. As pessoas geralmente fazem festa em casa, não tem fogos de artifício e no geral, o pessoal aqui prefere o Natal mesmo, então tem muita gente que nem faz nada no dia 31 de dezembro. Então ela deu a ideia de irmos pra outra cidade.

Como a gente sabe que a Europa pode ser bem fria no inverno, minha mãe logo pensou nos países mais quentes nessa época do ano, como Portugal, sul da Itália ou a Espanha. Decidimos então que Espanha seria.

Eu já tinha ido à Barcelona uma vez, mas não me importei de ir novamente, já que o R. também nunca tinha ido e seria uma oportunidade legal de rever a cidade e passar um ano novo diferente.

Barcelona há alguns anos faz festona na rua na noite do dia 31 bem na colina de Montjuïc, onde há a fonte mágica. Eles não fecham as ruas ao redor, com exceção da avenida que dá de frente pra essa colina. Eles prepararam todo um arsenal de fogos, show de luzes e música que começaria antes das 12 campanadas do sino.

Pela rambla o estandarte das cores

/

Eu tô gostando muito desse negócio de repetir viagem. Porque sim, é muito bom poder conhecer lugares novos, mas ao mesmo tempo, viajar pra um lugar onde você já esteve te faz pensar em tanta coisa... no quanto aquele lugar mudou, mas principalmente no quanto você mudou. Como você era na época em que esteve nesse lugar, como é agora, esse tipo de coisa, sabe?

Então estar em Barcelona de volta me fez pensar sobre muita coisa, os rumos que minha vida tem tomado e como tudo só melhorou desde que estive lá em janeiro de 2015.

barcelona inverno

Além disso, viajar com amigos é muito bom, mas viajar com as pessoas que mais amo no mundo - família e R. - não tem preço mesmo. Foi ótimo me sentir guia turística e estar à vontade numa cidade diferente, sabe?

O que eu mais temia

/

Desde que comecei a dar aula em novembro do ano passado numa escola no centro da cidade, fiquei muito alarmada com o que poderia acontecer. Não sou famosa na internet, mas tenho um blog que acaba aparecendo nas buscas sobre "intercâmbio na Irlanda". Agora não tanto, eu recebia mais emails e mensagens antes - acho que como eu não sou mais intercambista e minhas infos sobre o assunto já estão desatualizadas, o desinteresse aumentou também.

Mesmo assim, eu vira-e-mexe pensava: putz, já pensou se aparecer algum aluno na minha sala que me conhece do blog? Não que eu ficaria envergonhada, mas sempre bate aquela timidez, né? Eu tento manter uma persona de professora diferente da que tenho por aqui: não falo muito da minha vida pessoal - no máximo quando um ou outro aluno pergunta, como já perguntaram há quanto tempo eu morava aqui, se pensava em voltar ao Brasil e se tinha algum visto de trabalho. Entendo a curiosidade deles, especialmente vindo de alunos brasileiros.


Embaixada brasileira em Dublin

/

Assim como todo mundo, eu odeio resolver burocracia. Sempre tem papelada envolvida, é um saco, leva tempo, mas enfim, é necessário fazê-lo de vez em quando.

Felizmente, eu moro na capital da Irlanda e a Embaixada Brasileira é de fácil acesso pra que eu possa resolver pendências que só podem ser resolvidas lá. Não vou reclamar, já que sei que se você mora num desses interiores Irlanda afora, deve ser uó ter que vir pra Dublin só pra passar na Embaixada, que é aberta nos seguintes horários: segunda à sexta, das 10am às 13pm. 

Eu já tinha ido lá uma vez pra regularizar minha situação eleitoral, já que perdi duas eleições morando aqui na Irlanda. Na época o cara que me atendeu sugeriu que eu transferisse o meu título pra cá (você pode transferir o título de eleitor após estar morando 3 meses no país), assim fico regularizada com o governo brasileiro e posso votar pra presidente - não que isso valha alguma coisa no Brasil, já que presidentes eleitos democraticamente são tirados do poder assim como num passe de mágica.

Entre lagos congelados e saunas finlandesas

/

Eu deveria ter escrito esse post logo quando voltamos de viagem, no fim de novembro, mas a verdade é que desde então parece que uma vida inteira aconteceu - aniversários, formatura, Natal, Ano Novo, viagens, etc., então pra ser bem sincera, não me lembro de tudo com muitos detalhes, mas vamos nessa!

No nosso segundo dia na Finlândia não acordamos tão cedo, mas ainda assim colocamos o relógio pra despertar umas 9h justamente pra aproveitar o máximo de luz solar, já que no auge do inverno amanhece tarde e escurece muito cedo e não conseguiríamos passear tanto assim.

Saímos da casa da Bia e fomos a pé até à casa de um amigo dela, que tinha duas bicicletas extras pra nos emprestar - a Bia já tinha arranjado e organizado tudo pra gente. Seria a forma mais prática de conhecer Oulu, já que aos domingos o transporte público é escasso.

oulu, finlandia, inverno

O museu do Ártico

/

O Arktikum é um museu sobre a cultura, história e vida na região do Ártico. Ele foi inaugurado em 1992, no aniversário de 75 anos de independência da Finlândia e é uma das atrações mais recomendadas de se visitar no país.

A ideia de conhecer o museu veio porque nós sabíamos que teríamos muito tempo sobrando em Rovaniemi. Quando nós planejamos visitar a Vila do Papai Noel, já estávamos cientes que após às 3pm já começaria a escurecer e não teria muito o que aproveitar por lá. Além disso, o ônibus de volta pra Oulu só sairia às 9 e pouco da noite, então o que fazer com esse tanto de horas sobrando num lugar com pouco mais de 60 mil habitantes?!

Bia sugeriu conhecermos o Arktikum, já que apesar de já ter ido pra Rovaniemi, ela não tinha tido a oportunidade de ir no museu. Eu e o R. curtimos a ideia e assim que descemos do ônibus que vinha da Vila do Papai Noel no centro da cidade, andamos poucos metros até chegar no local.


A terra do Papai Noel

/

A minha história com a Finlândia é um pouco antiga... na verdade, tudo por causa do meu pai. Não sei como, mas quando ele era mais novo, conheceu uma finlandesa. Na verdade, meu pai contou essa história muitas vezes, mas não me recordo dos detalhes e infelizmente agora não há mais como saber de fato a maneira como esse encontro se deu. O fato é que eles se comunicavam por carta e trocavam muitos cartões-postais.

Lembro de ver dezenas de cartões com paisagens de neve ou renas enviados pela tal da Leila, na misteriosa Finlândia. Na minha cabeça, esse país era cheio de paisagens belíssimas, husks puxando coisas pela neve e claro, onde ficava a casa do bom velhinho. E bem, a vida me surpreendeu e me deu a oportunidade de conhecer esse país pessoalmente - e pude comprovar que sim, a Finlândia dos meus sonhos é de verdade!

Minha amiga Bia está fazendo um mestrado na cidade de Oulu, no norte do país e queríamos muito visitá-la antes dela acabar as aulas e voltar à pátria amada... e já que processamos a Ryanair uns meses atrás e recebemos um lindo cheque deles, foi com esse dinheiro que compramos as passagens com a Norwegian Airlines pra Oulu saindo de Dublin com conexão em Helsinque.

casa papai noel finlandia

casa papai noel finlandia

Infelizmente, por causa do trabalho (meu e o do R.), não ficamos muito tempo por lá, mas foi o suficiente pra dizer que essa foi uma das melhores viagens da minha vida, já que foram muitas primeiras vezes, risadas e lembranças lindas!

Tag: Meus 7 posts de 2016

/

Vi essa tag no Outro Blog e achei super bacana - queria ter feito ainda em 2016, mas como estava viajando, não rolou. Mas ainda dá tempo, certo?

O post mais bonito


Ah, que escolha difícil, mas resolvi linkar esse aqui sobre os meus três anos de namoro com o R. Esse foi o primeiro post "aberto" que fiz sobre nós, porque afinal de contas, ele não gosta de muita exposição e até pouco tempo atrás, nem dar as caras no blog dava.

O post mais popular


O post mais popular - ou seja, o que sempre teve mais visualização, foi o post sobre minhas tatuagens, escrito em 2012! Acho que pelo fato deu contar sobre a inflamação da minha tattoo e tal, acaba sendo muito procurado no google e muita gente vem parar aqui por causa desse post!

Meu primeiro Natal em Dublin

/

Apesar do Natal 2016 ter sido meu 4º Natal na Irlanda, foi o meu primeiro em Dublin, já que sempre vamos pra Cork comemorar com a família do R. E além de ter sido especial por termos passado a data na "nossa" casa, foi ainda mais gostoso porque recebemos a visita ilustre da minha mãe e irmão!

Desde o ano passado, quando viemos morar nessa casa, eu já estava super animada pra decorar tudo no Natal e deixar o meu espírito brega sair do controle. Acho essa a época perfeita do ano pra exagerar mesmo, deixar tudo brilhando, colorido, bem feliz! Então nós já tínhamos alguns enfeites comprados de uma promoção pós-Natal 2015 e quando foi lá pra outubro de 2016, compramos a árvore, enfeites que faltavam, etc, etc.

A montagem da árvore foi um grande evento, eu parecia criança. Quando éramos crianças, tínhamos árvore de Natal em casa, mas era pequena, simples. Eu estava louca pra ter uma árvore grande (pelo menos maior que eu! hahaha) e beeeem decorada e ficou exatamente do jeito que eu sonhava! Decoramos também a parte que fica em cima da lareira com os cartões que recebemos, velas e coisinhas e ficou uma graça. A missão agora é ter uma lareira bem grande pra colocar ainda mais cacarecos nela! (quero ver o R. entender essa palavra sozinho, já que agora ele lê o blog sem o google tradutor, hahaha)



Bem-vindo, 2017!

/

Mais um ano que se inicia, e com ele, muitos planos, metas, desejos, objetivos e sonhos também. Estou muito, muito animada pra esse ano. Primeiro porque eu gosto de ano novo mesmo, acho que essa chance, ainda que simbólica, de colocar em prática velhos sonhos ou iniciar novos hábitos é maravilhosa. Segundo porque acho que quando tem ano novo, pensamos muito no ano que se passou, nas nossas atitudes, escolhas, enfim, é um momento muito propício pra auto-reflexão.

2017 pra mim é um ano que promete. Tudo que vim trabalhando e batalhando em 2016 se concretizará esse ano, já que agora estou pronta profissionalmente pra ir atrás do que quero aqui em Dublin. Depois, temos tenho planos mirabolantes pra viajar bastante, conhecer novos lugares e terminar de conhecer todos os condados da Irlanda, já que ainda me faltam alguns.

Além disso, é o ano em que faço 30 anos e o retorno de Saturno tem me feito pensar sobre tanta coisa, inclusive rever conceitos e mudar aquela minha "velha opinião formada sobre tudo", sabe? Sei que é muito clichê, mas é verdade.

Penso no futuro a médio e longo prazo e no que quero de fato pra minha vida.

Em 2017 faço 4 anos morando na Irlanda, 4 anos de relacionamento com o R. e são muitos motivos pra comemorar! Estou muito feliz com os rumos que a minha vida tomou, mas ainda quero muito mais - como boa sagitariana, estou sempre me mexendo e não me contento com pouco!

Web Analytics

@blog_barbaridades

Back to Top