Namorar um estrangeiro [2ª edição]

/

(amanhã é o dia do sorteio, hein?! já tá participando?!)

Em julho de 2014 eu publiquei um post sobre namorar um estrangeiro. Foi uma coisa que eu sempre quis escrever a respeito mas esperei pois queria preservar minha relação com o R. (irlandês), sabe? Principalmente porque ele não é fã de redes sociais nem gosta de exposição na internet.

Eis que há umas semanas recebo um email de leitora muuuito fofa, a S. Ela dizia que nunca tinha comentado no blog porque era tímida, mas que me lia há muito tempo e que tinha muita curiosidade em saber mais sobre essa coisa de namorar alguém de nacionalidade diferente, além, é claro, de ter um relacionamento em outra língua.



Desde aquele post que fiz ano passado pra cá, minha percepção não mudou: ainda penso no R. como pessoa, não como irlandês. Não temos conflitos em termos de diferenças culturais porque eu sou super aberta pra cultura irlandesa e ele pra brasileira. Cozinhamos batatas e legumes com carne por minha causa e faço arroz, feijão e carne por causa dele. Fico na fissura de comer sobremesas irlandesas e ele doido pra comer brigadeiro.

Esse interesse mútuo pela cultura um do outro é uma das coisas que faz muita diferença num relacionamento.

Como anda o projeto de conhecer a Irlanda toda?

/

(não esquece do sorteio de 3 anos do blog, hein?)

Eu escrevi um post sobre querer conhecer todos os condados da Irlanda há mais ou menos 1 ano. Mas antes, um parênteses: eu também havia escrito um post sobre lugares que eu queria conhecer no meu segundo ano de Irlanda. Umas semanas atrás por algum motivo fui dar uma olhada lá e qual foi a minha surpresa ao constatar que da minha lista de 10 lugares, só falta um pra eu ver de perto!

Voltando: essa ideia de conhecer todos os condados surgiu quando eu percebi que já tinha ido pra vários lugares da ilha. E aí pensei: por que não querer ver tudo, tudo, tudo? Obviamente que conto que a ajuda fundamental do R., porque sem ele, não daria pra fazer o tanto que fazemos juntos.

Desde que escrevi o post, consegui acrescentar mais uns condados pra minha lista (MayoCarlow e Donegal) e agora falta muito pouco pra ter visitado todos os condados da República da Irlanda - aliás, a maioria deles agora tá pertinho aqui de Dublin! (na foto abaixo, os condados em branco são os que eu ainda não visitei; os verdes os que já visitei e os cinzas fazem parte da Irlanda do Norte)


Mais uma mudança

/

(não esquece que tá rolando sorteio aqui no blog, hein?!

Eu sempre morei no mesmo apartamento a minha vida toda no Brasil e por isso acho estranho pensar que agora estou morando na 4ª casa desde que vim pra Irlanda.

Depois de ter morado 3 meses numa casa super gostosinha na região de Cabra (D7) logo que cheguei aqui, me mudei pra Inchicore (D8) porque o aluguel era muito mais barato. A casa era fria, pequena e meu quarto era super exprimido, mas foi esse aluguel barato que me permitiu fazer tantas viagens ainda em 2013 e 2014 inteiro. Aí no começo de 2015 eu e R. passamos a morar juntos num apartamento também em D8, mas numa região um pouco melhor que Inchicore (e aliás, espero nunca mais precisar morar lá!) - num condomínio em frente à Kilmainham Gaol.

Morar ali era bem ok, perto do centro, perto do Luas, fácil acesso pro canal de onde eu seguia pedalando para o trabalho. E também era ótimo quando eu ainda estava estudando na MEC, já que dava uns 15 minutinhos de bicicleta só.

Aí eu me matriculei na UCD e começamos a pensar na possibilidade de nos mudarmos de novo. É que eu pedalo 20km por dia e a faculdade fica no meio do caminho pro trabalho - eu estaria indo para aqueles lados da cidade todo dia de qualquer forma e economizar tempo de bicicleta seria muito bom para que eu pudesse usar esse tempo fazendo minhas leituras e trabalhos.

Acomodação em Dublin é um negócio muito complicado: muita procura pra pouca demanda, preços exorbitantes, casas ruins.

3 anos de Barbaridades! [e vai ter presente sim!]

/

[UPDATE 28/10: Sorteio realizado e a vencedora foi a pessoa número 2 a comentar, ou seja, a Paula! Aêêê! Obrigada a todo mundo que participou!]

Esse mês o blog completa três anos de existência e a gente não podia deixar de comemorar, né? (até porque eu adoro uma desculpa pra comemorar!)

Nesses três anos de Barbaridades, foram mais de 600 posts e pouco mais de 296 mil visualizações, caramba!

Os posts mais lidos mudaram bastante nesses anos, mas não tem jeito: piercing no nariz (que nem tenho mais!) e tatuagem inflamada (que está ótima, obrigada) são os mais visitados ever:


A maioria esmagadora das visitas vem do Brasil, seguidas de Irlanda, EUA, Ucrânia (!), Portugal, Rússia, Alemanha e Reino Unido.

Nesses três anos de blog eu pude desabafar sobre minha profissão, falar sobre a preparação para o intercâmbio, contar sobre minhas viagens e compartilhar muita, muita coisa sobre a minha vida aqui na Irlanda! Como eu ainda não esgotei assunto não sei (e como vocês ainda me aguentam também não), mas ahhhh, eu adoro sentar na frente do computador e escrever aqui no blog. É uma terapia, uma atividade que me deixa verdadeiramente feliz.

Sem contar nas pessoas incríveis que conheci através deste espaço e nos amigos que fiz! Obrigada!

E como estamos em ritmo de alegria, resolvi que vou fazer um sorteio pra agitar isso aqui!



Vou montar um kitzinho (simples) de gostosuras e coisinhas irlandesas e enviarei pra qualquer lugar do mundo (se der Brasil, tenha paciência que o correio aí não gosta de mim e às vezes até some com encomenda minha!).

Pra participar, baixa deixar um comentário me dizendo quem você é (obviamente que se eu já te conheço, pode pular essa parte!) e qual foi o seu post preferido por aqui. Isso é só a título de curiosidade minha mesmo, porque o escolhido será totalmente aleatório, feito por aquele random.org.

Vou fazer o sorteio no dia 28 de outubro, o dia oficial de aniversário do blog. Participe!

ps: O resultado será dado por esse post mesmo. Assim que o resultado sair, vou pedir pra pessoa sorteada, aqui pelos comentários mesmo, pra me mandar um email com o endereço e tal. Se a pessoa não responder em 48h, escolherei outra pessoa, beleza?

Outono em fotos

/

Apesar de adorar fotografia, o meu negócio é escrever e por isso eu quase nunca faço (na verdade, acho que nunca fiz) um post de fotos. Masss estamos no meio do outono, minha estação preferida do ano e não tive como não fazer umas fotos dessa estação maravilhosa e suas folhas alaranjadas! Se estivesse um pouquinho mais frio estaria perfeito, mas logo logo chega o inverno, né? :)

Essas fotos foram tiradas no Marlay Park e no meu caminho para o trabalho e arredores de Stillorgan, aqui em Dublin.


outono na irlanda

outono na irlanda

Resenha: brunch no 37 Dawson Street

/

Eu e o R. nessa loucura de comer brunch aos finais de semana acabamos seguindo, mais uma vez, uma lista de sugestões que encontramos pelo google. Esse local é normalmente um bar e tal, mas aos sábados e domingos eles servem brunch e como o menu estava bem diferente do que costumamos ver por aí, resolvemos arriscar.



Primeiro que o local é super fácil de se localizar e dá pra ir tranquilo a pé se você mora no centro. Segundo que, bem, a decoração é no mínimo diferente... (fotos do google, só tirei fotos da comida no dia):


Waterford - nós voltamos!

/

Em outubro de 2014 eu fiz um post contando sobre como nós tentamos conhecer Waterford e não tivemos sorte, já que fomos pra lá direto de Wexford e quando chegamos os museus e atrações já estavam fechando.

Massss nas férias de verão desse ano (quando fomos pra Bristol, Cardiff e Kerry) resolvemos cumprir a promessa de voltar pra cidade mais antiga da Irlanda.

Sim, é isso mesmo: Waterford é cidade mais antiga desse país! Um oferecimento dos vikings (o nome da cidade vem da língua nórdica antiga Veðrafjǫrðr, que significa Fjord of the Rams - referência à exportação de ovelhas na região).

Começamos o passeio com o tour pelo Waterford Crystal.

As origens da produção de cristal em Waterford datam de 1783 e passaram por várias fases. Por conta do aumento de impostos, em 1851 a empresa fechou, pra ser reaberta somente em 1947, quando um imigrante da República Checa resolveu estabelecer a cidade como a cidade do cristal novamente - pra quem não sabe, os checos são famosos pela qualidade de seus cristais!

É possível fazer um tour pela fábrica onde mostram todo o processo de fabricação dos cristais, além de contar mais da história da empresa e também algumas curiosidades - como, por exemplo, o fato de que aquela bola gigante no ano novo na Times Square é feita por eles ou que vários prêmios esportivos e musicais são feitos por eles também.


Aquisição de língua e seus padrões

/

Se você for contar o número de posts que eu tenho aqui sobre as meninas que eu cuidei por 1 ano (2013/14) e dos meninos que já cuido há mais de 1 ano (2014/15), vai notar que tenho muito mais posts sobre elas. A verdade é que, por ser uma novidade (cuidar de criança), tudo era muito interessante e eu escrevi sobre diversos aspectos de conviver com elas como preconceito linguístico dentro de casa, pequenos diálogos com as meninas, evolução da fala, fofura overload, músicas infantis, etc, etc, etc.

Não escrevi tanto sobre os meninos porque eu já estava mais acostumada, eles já eram um pouco mais velhos e não me despertaram tanto "interesse investigativo" quanto elas, principalmente no que diz respeito à língua, que é a minha área.

Na verdade, desde o começo observo e comparo o desempenho linguístico do S., que agora tem 3 anos e meio e da C., que na época em que eu saí tinha 2 anos e falava muito mais frases coerentes do que ele. Vantagem de menina sobre menino? Pode ser. O que tenho aprendido é que essa coisa da fala é muito particular e não dá pra ficar comparando criança não. O R. tem um sobrinho da mesma idade do menino mais novo que eu cuido que tem a fala muito mais fluída e clara, por exemplo.

Mas desde que comecei a estudar na UCD e ler aquela porrada de livros, comecei a rever vários conceitos que já tinha aprendido e também a aprender novos. E um deles linkou perfeitamente com o que tenho visto do pequeno S. ultimamente: sua ordem de aquisição linguística.

Basicamente e resumidamente, nos anos 60 alguns pesquisadores estudaram de perto o desenvolvimento de algumas crianças de diferentes idade e perceberam que elas adquiriam os morfemas gramaticais numa sequência parecida:

O que eu mais gosto na Irlanda

/

Vi uma lista dessa no blog da Savana há muuuuito tempo e resolvi fazer uma também. Eu achei que já tivesse feito algum post sobre minhas coisas preferidas na Irlanda, mas o que eu fiz foi um post sobre meu lugar preferido em Dublin e só!

1 - Sistema de férias e feriados


Esse negócio de tirar 30 dias de férias de uma vez só pra mim sempre me pareceu injusto, principalmente na área em que eu trabalhava. É como era professora, só podia tirar férias em julho ou dezembro/janeiro, justamente na alta temporada, onde tá tudo muito mais caro.

No Brasil é lei o trabalhador ter 30 dias de férias mas ele pode tirar menos dias e vender os outros (na verdade agora não tenho certeza se essa coisa de vender ou não é ilegal, acho que é). Já aqui na Irlanda não existe uma lei que determine o número de dias exatos - a maior parte das empresas dá 4 semanas de férias pagas por ano. Ou seja: tem empresa que pode dar mais! Só que o pulo do gato é que essas 4 semanas NÃO PRECISAM acontecer consecutivamente: se você quiser tirar uma semana aqui, ok. Quer dizer mais duas lá na frente? Ok também. Desde que conversado com antecedência, pode tirar pequenas férias ao longo do ano ou um bloco grande de uma vez.

Aliás, não só em termos de semana, mas você pedir dias individuais das suas férias e fazer bem bolados com finais-de-semana e feriados (aqui são 9 feriados públicos por ano chamados de Bank Holiday) - e tirando o Ano Novo, Natal, Stephen's Day e St. Patrick's Day, todos os feriados caem numa segunda! Ou seja, dá pra pegar dois dias e emendar uma sexta + fim-de-semana + feriado + terça e fazer uma viagem legal, né?

Férias, uhu!
Web Analytics

@blog_barbaridades

Back to Top