Primeiras impressões: Myanmar

/

Eu lembro de, em algum ponto da minha vida, ter ouvido falar na Birmânia, mas nunca soube que a Birmânia tinha deixado de ser Birmânia para se tornar Myanmar. Ok, vida seguiu como sempre, e saber sobre esse país não afetou a minha vida em nada.

Aí a gente decidiu ir pra Ásia, e nessa altura do campeonato, eu já tinha vistos fotos absolutamente maravilhosas de Myanmar, e nem precisamos ler muito mais a respeito pra bater o martelo que queríamos conhecer esse país. Não somente porque ele parecia lindo e interessante, mas também porque por conta de sua recente abertura ao turismo internacional, tínhamos certeza que a experiência que teríamos por lá seria muito diferente de tudo que já havíamos vivido e não poderíamos estar mais certos!

Mas são muitos lugares em Myanmar, e o país não é exatamente pequeno. Então foi difícil pensar num roteiro que incluísse as três cidades que gostaríamos de conhecer e ainda pensar em toda a parte logística de transporte da coisa. Foram muitas tentativas e erros de voar pra lugar X, ônibus para Y ou vice-e-versa pra chegar no que chegamos. No total, ficamos 7 dias entre Mandalay, Bagan e Yangon e acho que foi o tempo ideal - quer dizer,  adoraria poder ter ficado mais tempo, talvez uns 10 ou 15 dias, mas ao mesmo tempo, acho que só ter tido uma semana fez a gente ir embora com um gostinho de "quero mais" que tornou nossa passagem por lá ainda mais especial.


Primeiras impressões: Laos

/

Eu não sabia mesmo o que esperar do Laos, e nem sabia nada sobre o país até começarmos o planejamento dessa viagem. Mas o R. já tinha ouvido falar, sabia até que Luang Prabang era um destino procurado, talvez até mais do que a capital Vientiane. E como o país tá ali exprimido entre a Tailândia e o Vietnã, dois países que com certeza visitaríamos na Ásia, incluímos Laos no roteiro.

Mas pelo menos os vôos não foram nada baratos não! Pra chegar até lá gastamos 142 dólares (Air Asia) num voo saindo de Bangkok e pagamos mais 230 (Lao Airlines) para chegar no Vietnã. Para vias de comparação, o voo de Singapura para Phuket custou 112 e o de Yangon para Bangkok, 107 dólares - isso eu falo valor total, ou seja, os dois bilhetes + uma mala de 20kg despachada.

Tá, mas incluímos Laos na parada. E pensamos muito se ficaríamos uns dias na capital antes de ir de fato pra Luang Prabang, mas de acordo com nossas pesquisas, LP teria uma vibe mais laosiana, mais autêntica. Então pulamos a capital e fomos direto pra lá: não nos arrependemos nem um pouco!


Visitas e re-visitas

/

No fim de semana que a Carol e o Rudy vieram pra cá para vermos o show do Ed Sheeran juntos, aproveitamos para também passear por Cork. A verdade é que tem muitas cidadezinhas lindas e lugares impressionantes nesse condado, mas tudo bem longe de Cork city e pro lado oeste do país. Isso significa que qualquer passeio mais pra lá do mapa deixa a gente mais longe ainda de Dublin pra voltar, e como o R. ainda dirige sozinho (não posso pegar estrada com a habilitação de learner), não acho justo.

Então decidimos que levaríamos nossos amigos para conhecer dois dos nossos lugares preferidos na região: Nohoval Cove e Kinsale. Eu já falei sobre esses dois lugares aqui no blog, e se você quiser voltar no tempo e reler sobre minhas impressões ao conhecer esses lugares alguns anos atrás, clique nos links, fique à vontade!

Nohoval é meio que um lugarzinho secreto que pouca gente conhece - eu fui pela primeira vez há mais ou menos cinco anos e o caminho até a praia continua o mesmo: as placas todas caídas, apontando pro lugar errado. Felizmente, o R. ainda lembrava o caminho. O dia estava um pouco nublado e a maré alta, infelizmente. Mas mesmo assim, a Carol e o Rudy ficaram bobos com a vista, e só por isso voltar lá valeu muito a pena!

nohoval, cork

Show do Ed Sheeran em Cork

/

A não ser que você viva numa caverna, você provavelmente já ouviu falar do ruivo Ed Sheeran. Gostando dele ou não, difícil ignorar seu crescente sucesso nos últimos anos - tanto por suas músicas como por seu comportamento tranquilo e personalidade carismática, Ed vai deixando fãs por onde passa e no ano de 2017 foi o artista mais ouvido do Spotify.

A minha história com o Ed Sheeran não é assim tão longa, porém é intensa. Acho que a primeira música que eu ouvi dele foi "Kiss me" num episódio de Vampire Diaries (me julguem) por volta de 2012 e desde então não o larguei mais. Venho ouvindo seus álbuns + (2011), x (2014) e ÷ (2017) desde essa época, gosto de quase todas as músicas, acompanho a carreira e tal.

No ano passado Ed tocou aqui em Dublin e eu, tola, tentei comprar ingressos. Que ilusão! Comprar ingresso pra show de artista grande aqui em Dublin é como ganhar na loteria, e se você realmente gosta da banda/cantor, vai ter que desembolsar uma nota preta comprando ingressos em sites de revenda. Infelizmente, não rolou em 2017.



Primeiras impressões: Tailândia

/

Eu tô enroladíssima pra falar dessa viagem pra Ásia. Tenho trabalhado muito nos últimos dias e muita coisa acumulando pra fazer - tanto na vida pessoal como profissional. Amo o blog, amo escrever aqui, amo interagir na internet, mas tenho deixado isso de lado por enquanto, mas sempre com aquela vozinha na cabeça gritando "atualiza o blog"!

Na verdade, eu já escrevi uns 6 posts da viagem, mas comecei escrevendo sobre Hong Kong que foi nossa última parada, já que estava mais fresco na cabeça. Mas por algum motivo desconhecido, não quero começar a postar do final #vaientender. Pra completar, como um dos meus cartões de memória parou de funcionar na viagem e preciso levar em algum lugar pra recuperar os arquivos, não começarei os relatos de viagem em ordem cronológica exatamente como aconteceu porque as fotos dos dois primeiros países - Malásia e Singapura - estão inacessíveis por enquanto.

Quanta enrolação!

Enfim, resolvi pular a Malásia e Singapura enquanto não recupero os arquivos e parti pra um queridinho de muita gente que visita o sudeste asiático: Tailândia.

tailandia sudeste asiatico

Filmes irlandeses #3: The Young Offenders

/

Ressuscitando uma categoria praticamente morta desse blog! Apesar de já ter falado sobre filmes irlandeses nesse postnesse post, nesse post, nesse post e nesse post aqui, no ano passado eu nem cheguei perto do assunto. A verdade é que eu mal assisti filmes no ano passado - viajamos bastante, trabalhamos bastante, e no tempo que sobrava, a gente assistia à séries. Eu não estabeleci nenhuma meta do tipo "quero ver mais filmes em 2018", mas se as oportunidades foram surgindo, vamos aproveitando, não é mesmo?

Uns meses atrás eu tava dando uma aula pra uns adolescentes sobre filmes irlandeses - eu não havia preparado nada daquela aula eu mesma, só estava seguindo o programa sugerido pela escola. No entanto, não resisti em adicionar uns toques diferentes e abri uma lista do IMDB com os alunos em sala com os filmes irlandeses mais bem cotados e... o mais bem cotado da lista era um tal de "The Young Offenders". Achei estranho, nunca tinha ouvido falar desse filme e esperava algo como "Michael Collins" ou algo histórico/sobre a guerra entre Irlanda e Irlanda do Norte.

Uns dias depois, estou com o R. na temida netflix hour, quando tentávamos decidir que filme assistir no sábado à noite. Apareceu a sugestão de "The Young Offenders" e na hora o R. disse que precisávamos ver, que ele tinha ouvido dizer que era bem engraçado, autêntico e tal. E lá fomos nós.


Com neve e tudo!

/

Eu tenho vários posts sobre o clima aqui na Irlanda, mas eles são todos antigos. O fato é que eu falava com muito mais entusiamo e interesse pelo clima nos primeiros anos em que cheguei aqui. Cinco anos depois, é natural esse encantamento com as estações e suas mudanças passar. Quer dizer, até fevereiro desse ano.

Rolavam boatos fortíssimos de que nevaria na Irlanda. "Neve como no famoso inverno de 2010", eles diziam. Uma tal de frente fria, a Beast from the East, chegaria na Irlanda e causaria estragos. Tavam até falando que não ia rolar sair de casa, toque de recolher meeesmo.

Eu, conhecendo um pouco essas previsões do tempo irlandesas, estava super desconfiada. Afinal de contas, quem não lembra do estardalhaço que fizeram na época da tempestade/furacão que passaria por aqui que no fim não foi tão ruim quanto previam? A minha desconfiança era tanta que fiz uma aposta com o R. de que não nevaria nada, prometi aos alunos que nos veríamos novamente no dia seguinte e... bem, eu estava errada.

E que bom que eu estava errada!

neve irlanda 2018

Primeiras impressões: sudeste asiático

/

Nós voltamos de viagem semana passada e estou assim, uma mistura de sentimentos. Muito feliz em ter tido essa experiência incrível de viajar pra um lugar tão diferente, mas muito feliz em estar de volta depois de 6 semanas fora. Fiquei pensando com meus botões e eu não ficava assim de férias, sem trabalhar, desde que era criança. Ora, trabalho desde os 17 então nunca tive tanto tempo de férias assim!

E se por um lado tô animada e ansiosa de colocar tudo "no papel", organizar as fotos, começar a postar e contar da viagem aqui, por outro não sei bem como começar. A verdade é que vimos, fizemos e vivenciamos muita coisa, e ao longo da viagem até fui fazendo algumas poucas anotações, mas confesso que muito pouco. Vou ter que confiar na memória mesmo!

Além disso, a verdade é que esse blog nunca foi um blog de viagem propriamente dito. Não ganho dinheiro com esse espaço, que hoje é nada mais do que um diário virtual, como os blogs de raiz se propunham a ser, não é mesmo? Apesar de aqui haver muitas dicas de viagem e principalmente muita coisa sobre viver na Irlanda, eu nunca quis que isso fosse uma revista virtual, algo impessoal, com informações secas. O blog é pra mim mesma. E também é pra compartilhar o que eu quero compartilhar: coisas bacanas, experiências, viagens, divagações... mas só isso.

sudeste asiatico dicas

Como organizamos nossa viagem pro sudeste asiático

/

Quando decidimos fazer essa grande viagem pela Ásia, sabíamos que precisaríamos de muito tempo pra planejar tudo com muita calma e cuidado. Apesar de termos tido a ideia de passar 6 semanas inteiras perambulando pelo continente, tínhamos plena consciência de tentar aproveitar tudo o máximo possível, já que não saberíamos (e nem sabemos!) a próxima vez que vamos pra lá.

Então tudo exigiu muito preparo, pesquisa, leitura de guias e blogs, mais pesquisa e claro, juntar dinheiro! Pelas nossas pesquisas iniciais, vimos que teríamos um gasto de mais ou menos 50 dólares pros dois por dia - nos países mais baratos, claro. Esse valor incluiria acomodação simples, então por cima, 6 semanas de viagem, que daria no total 42 dias, custaria em torno de 2 mil euros pros dois. Aí colocando as passagens e vôos internos, arrendondamos isso pra uns 4 mil - 2 mil euros pra cada.

Pode parecer uma puta grana, mas 2 mil euros pra uma viagem de 42 dias passando por 8 países pra mim é um preço muito, muito bom. Então o negócio foi começar a juntar dinheiro com esse fim em mente e ajustei minha contribuição pra minha poupança e comecei a juntar uns 200 euros por mês só pensando nessa viagem.

Links Legais #12

/

Essa categoria do blog ainda não morreu! Continuo salvando links legais e quando lembro, junto tudo aqui e compartilho. Nessa era de informações rápidas e redes sociais e tal, acho bacana tentar dividir as coisas interessantes e bacanas que encontramos por aí, não é verdade? Sempre acho coisas legais nesse tipo de post em outros blogs!

Como sempre, por categorias:

Língua


Humanos já falavam há 1,9 milhão de anos -  Biologia ou cultura? Esse artigo fala sobre um linguista que desafia as ideias do famosíssimo (pelo menos na área!) Chomsky de que nós não nascemos com a capacidade de falar, com tudo instalado no cérebro. Interessante demais!
Web Analytics

@blog_barbaridades

Back to Top