Furacão na Irlanda

/

Nunca achei que fosse viver pra passar por um furacão. E apesar de sempre ventar muito - principalmente no inverno - aqui na Irlanda, eram ventos fortes, tempestades, não um furacão.

Durante a semana os veículos de comunicação já vinham avisando da possibilidade do furacão Ophelia atingir a Irlanda, e no domingo a notícia se confirmou. Começou um ba-fa-fá na internet sobre o que aconteceria de fato no país na segunda-feira e umas 9 da noite recebi um email e mensagem de texto da minha chefe avisando que a escola estaria fechada na segunda, seguindo recomendação do Department of Education do país.

Não sei se foi preocupação, mas acordei umas 5 da manhã e demorei muito pra pegar no sono novamente, mas não ouvia ventos nem chuva lá fora.

A previsão era de que o furacão chegaria em Dublin umas 13h e dito e feito: os ventos começaram a ficar mais fortes e assustadores, mas nada muito diferente do que temos no mês de janeiro - sempre tem uma ou outra semana no começo do ano que é assim, não consigo pedalar, é perigoso, etc.

Intercâmbio na Irlanda: prós e contras

/

Em 2013, no meu primeiro ano morando na Irlanda, eu fiz um post intitulado "Eu não recomendo um intercâmbio na Irlanda". Até hoje esse é um dos posts mais lidos e comentados do blog, e até entendo o porquê. Enquanto dezenas de vídeos no youtube e blogs pela internet à fora não param de dizer "vem pra cá você também", o meu post surge como um contra-ponto, mas eu queria fazer algumas reflexões sobre o que escrevi naquele texto.

Muita coisa aconteceu não só na minha vida mas também na Irlanda nesse meio tempo. De 2013 pra cá, a Irlanda mudou diversas regras para os que vem pra cá como estudante, como a permissão de trabalho (agora só trabalha fulltime no verão e na época do Natal) e o tempo de visto (antes 12 meses, agora somente 8). Além disso, em 2014 e 2015 mais de 10 escolas de inglês fecharam em Dublin (inclusive a minha!), o que resultou em outras mudanças, já que agora as escolas são obrigadas a oferecerem uma proteção pro aluno caso feche suas portas, entre outras coisas.

A primeira razão que eu citei naquele post de 2013 contra um intercâmbio aqui foi a questão do sotaque irlandês. De fato, nos meus primeiros meses aqui fiquei num conflito muito grande pois me descobri conhecendo diversas variações linguísticas dentro do país que constratavam muito com o "inglês-irlandês" que eu conhecia dos filmes. Hoje, penso que essa não é uma barreira pra quem quer estudar aqui. No entanto, a pessoa precisa estar preparada, pois somente em Dublin são diversos sotaques pra você conhecer e se acostumar.

intercambio irlanda pros e contras

Wishlist #3 - Aniversário

/

Esse blog já presenciou duas listas de desejos de compras nos últimos meses, mas eu não podia deixar passar mais uma - afinal de contas, vou completar 30 anos em dezembro e 30 anos de vida merecem uma boa wishlist, né? risos.

Mas eu fiquei mesmo inspirada na Nivea que postou a lista dela de aniversário esses dias e resolvi publicar uma também. Pra ser sincera, não tenho muitos desejos de compras não, ainda mais que nos últimos meses consegui ganhar/comprar muita coisa que andava desejando há uns meses, mas sempre tem uma ou outra coisinha que estamos precisando ou querendo no momento, né?

Ultimamente tenho comprado mais cosméticos mesmo, principalmente de cuidados com a pele do rosto, então não tenho muitos desejos nessa área não. Quer dizer, desejos sempre tem, mas todo mês compro uma ou outra coisa, então tô bem satisfeita. Mesma coisa com maquiagem - apesar de sempre querer testar as novidades, ter coisas diferentes, tô bem ok com as maquiagens que tenho - acabo usando sempre as mesmas coisas anyway!


Foto, foto, foto, muita foto!

/

Eu sei, eu sei: com o advento dos smartphones, esse lance de tirar foto de tudo a toda hora ficou muito... intenso. Claro que antes tínhamos o flickr, o tumblr, e até mesmo os fotologs da vida, e antes deles, era o bom e velho mostrar o álbum de fotos pra família, não era?

Foto é uma coisa boa demais. Eu sou sempre invadida por um momento de nostalgia ao ver uma foto antiga, sorrio com fotos da infância, consigo reviver aquele sentimento gostoso de um dia ao ver a foto. Então faço questão de registrar momentos importantes, prefiro pecar pelo excesso! Deve ser coisa de sagitariana, somos famosos por sermos um pouco exagerados, rs.

E o excesso de fotos significa que é preciso ter uma certa organização, ainda mais agora que a gente tira centenas, milhares de fotos num evento só. Me lembro bem da época em que eram apenas 12, 24 ou 36 poses -  hoje, as vezes você tira 12 selfies sem nem ao mesmo perceber... E sim, eu sou da época que você tinha que comprar um filme, colocar na máquina, depois mandar revelar... as próximas gerações não vão nem saber o que isso significa, né?


Há males que vem para o bem

/

Recentemente a Ryanair se envolveu numa polêmica que tem dado o maior bafafá.

Por conta de férias que eles deviam à funcionários, tiveram que cancelar muitos, mas muuitos vôos. Foi bem polêmico porque cancelaram dezenas, centenas de vôos diários e muita gente foi pega de surpresa - tipo, cheguei no aeroporto, meu vôo foi cancelado e agora só tem outro pra daqui a 5 dias.

Depois dos primeiros dias dessa bagunça toda, anunciaram que cancelariam ainda mais voos até o fim de outubro, quando a situação estaria normalizada. Ficamos apreensivos, porque tínhamos um voo marcado pra Suíça no feriado do fim de outubro - e a ida é justamente com a Ryanair.

Aí publicaram uma lista dos voos que seriam afetados e ufa - nosso vôo não estava lá! Seguimos nossas vidas felizes da vida.

No entanto, como estamos falando de Ryanair, nem tudo é tão simples quanto parece e bem... anunciaram que cancelariam ainda mais voos. Dessa vez, ao invés de fazer tudo de uma vez, cancelariam voos aos poucos entre outubro e março do ano que vem. E nem deu tempo de ficarmos apreensivos - já que tínhamos outro voo marcado com a Ryanair pra novembro - dessa vez nosso voo de ida foi cancelado.


Atenas #4 - A biblioteca de Adriano e o Templo de Zeus

/

No nosso último dia em Atenas acordamos tarde e resolvemos pegar muuuito leve. Nosso voo seria às 8 da noite, mas queríamos chegar no aeroporto sem correria, então nos programamos sair do centro de Atenas umas 4h30, já que o trajeto pro aeroporto leva quase uma hora de metrô.

Sendo assim, com as poucas horas que restaram, fomos conhecer duas atrações do nosso Acropolis pass: a Biblioteca de Adriano e o Templo de Zeus. Não foram ideias geniais não, porque acabamos sofrendo demais com a temperatura. Tipo, saímos do hotel quase meio-dia e cara, tava um calor de derreter qualquer um. Sério. Até o R., que ama calor, pediu arrego. Mas pelo menos essas atrações não exigiam hoooras no sol não, então deu pra ver tudo, sentar na sombrinha e tal, principalmente na primeira parada.

A biblioteca de Adriano tem uma estrutura parecida com a do Foro Romano e tem apenas uma entradinha. São várias colunas espalhadas pelo local e ali era o lugar onde os livros - ou papiros - eram guardados. As outras salas seriam tipo salas de leitura e de aula - incrível, né?

biblioteca de adriano em atenas

Atenas #3 - Sul de Atenas, amigos e praia

/

Eu tenho uma amiga grega, a M. que trabalhou comigo na Cultura Inglesa em 2011. Ela é casada com um brasileiro, morou no Brasil 10 anos mas foram pra Grécia uns anos atrás e óbvio que eu não ia deixar a oportunidade de poder vê-la passar.

A M. sempre foi uma pessoa querida por todos - sério! Não tinha uma pessoa que não gostasse dessa mulher. Todo mundo amava seu estilo - aquelas saias maravilhosas! - e também seu português, que era - e é - absolutamente impecável.

Então na sexta fim de tarde, um dia antes de irmos embora de Atenas, a M. nos convidou pra irmos comer alguma coisa juntos - o marido dela C., também queria nos conhecer. Nos encontramos na praça Syntagma e de lá pegamos um tram até o lado sul da cidade.



De facto relationship

/

O visto de relacionamento é algo que eu e o R. vínhamos cogitando há um tempão. Na verdade, é um pouco estranho quando você está num relacionamento e sabe que dali a algum tempo, tudo pode acontecer. Quando conheci o R. não tinha planos de ficar na Irlanda pra sempre; comentei com ele que poderia renovar o visto como estudante de inglês e que provavelmente o faria porque tinha gostado muito da Irlanda. Mas ficou por isso mesmo, deixamos o assunto pra lá e seguimos a vida no melhor estilo "we'll cross that bridge when we come to it".

Mas não tem jeito. O assunto "o que faremos quando o visto acabar" rondava nossas cabeças e nossas vidas como uma nuvem de chuva, e quanto mais o tempo passava e mais próximos nos tornávamos, mas eminente se tornava a necessidade de falar sobre o depois. Renovei o meu visto, completamos um ano de namoro, o R. foi comigo ao Brasil pela primeira vez (e desde então ele já foi três vezes!) e lá pelo 1 ano e meio sentamos pra ter a conversa: o que faríamos quando meu visto acabasse?

A ideia de namorar à distância não nos interessava e não cogitávamos ir ao Brasil permanentemente, pelo menos não naquele momento. Também não queríamos nos casar apenas para ter um visto - nem eu e nem ele. Não que tenhamos uma visão mega romântica de casamento, mas é uma coisa séria e levamos esse compromisso a sério. 

O dia em que recusei uma promoção no trabalho

/

Só hoje vim perceber que não escrevo - e nem posto - nada no blog há mais de uma semana. Não abandonei esse espaço - ainda é um prazer, um refúgio, um passatempo delicioso dividir minhas experiências e vida por aqui, mas não está fácil. Tenho trabalhado muito, muitas horas por dia, e tenho feito coisas além trabalho quase todo dia da semana. Isso somado à cuidar da vida doméstica, encontrar amigos, falar com família e amigos o Brasil, pronto, acabou o tempo livre, mesmo!

Mas eu queria vir contar sobre uma coisa que aconteceu comigo nesse mês de agosto que mexeu muito comigo.

Todo mundo que me acompanha aqui sabe quem sou, da minha trajetória: sou professora de inglês desde os 17 anos de idade, amo o que faço, mas tive meus momentos de estresse. Justamente pra ter uma pausa vim pra Irlanda passar uma temporada - cof cof - que acabou virando uma mudança ~permanente~ mesmo. Mas o fato é que quando me vi construindo uma nova vida aqui, não pensei que poderia fazer outra coisa a não ser ensinar. É isso o que sei fazer, o que amo fazer e o que tenho qualificação pra fazer.


Atenas #2 - a Acrópole

/

Ir à Atenas e não visitar a Acrópole é como ir à Paris e não visitar a Torre Eiffel. Mas multiplicado por mil. Não tem como não ter a curiosidade de querer ver de perto um local tão importante, imponente e interessante. De pensar em como viviam os gregos. Em como se desenrolou a coisa da filosofia, matemática, política e democracia na Grécia. No legado que eles deixaram para o mundo...

Então no nosso segundo dia em Atenas acordamos super cedo, tomamos café no hotel na hora que o café abriu - as 7h30 da manhã - e pouco antes das 9 da manhã estávamos na entrada na Acrópole entregando os nossos ingressos (comprados no dia anterior na Ágora de Atenas) pra começar a subida.

Segundo o Wikipédia, Acrópole é a parte da cidade construída nas partes mais altas do relevo da região. A posição tem tanto valor simbólico (elevar e enobrecer os valores humanos) como estratégico, pois dali podia ser melhor defendida. Era na acrópole das diversas cidades que se construíam as estruturas mais nobres, tais como os templos e os palácios dos governantes.

acropole de atenas

Web Analytics

@blog_barbaridades

Back to Top