Retrospectiva 2015

/

Mais um fim de ano e mais um post de retrospectiva, que já é figurinha carimbada desde o primeiro ano do blog!

Clique aqui para ler a retrospectiva de 2012, aqui para a de 2013 e aqui para a de 2014.

2015 foi o meu ano mais difícil na Irlanda. Não que difícil signifique ruim - pelo contrário - mas foram muitos problemas a serem resolvidos, muito pouco dinheiro entrando e algumas mudanças de percurso que não estavam previstas. No entanto, não posso de maneira nenhuma reclamar: tive a oportunidade de ir ao Brasil, viajei bastante, comecei um mestrado, passei a dividir o mesmo teto com o R., enfim, muitas coisas boas aconteceram também!


Preferidos de 2015 - filmes

/

Eu comecei o ano toda animada, cheia de projetos cinematográficos e tudo furou. Quer dizer, o meu projeto de ver filmes do mesmo diretor ficou na gaveta, pois não dei conta de ver uma alta quantidade de filmes todo mês. A ideia permanece e se eu conseguir pelo menos continuá-lo de forma homeopática nos próximos anos, já tá bom demais.

O projeto com outros blogs - Cinemateca - começou super bem, mas perdeu força e morreu no final. Uma pena, porque eu lutei muito pra conseguir terminar o ano com os 12 temas que propusemos... paciência, né?

Em 2015 eu vi 33 filmes - muito mais do que em 2014 (18 filmes apenas). Principalmente no início do ano fiz um esforço consciente de aumentar essa lista, já que eu gosto muito de cinema e dedico muito pouco tempo à essa atividade atualmente. Espero manter o número alto pro ano que vem!


Preferidos de 2015 - séries

/

2015 não foi um ano de séries pra mim. Apesar deu já ter me considerado uma série-maníaca no passado, não dá pra dizer o mesmo agora. Por motivos de vida real, não deu pra assistir taaanta coisa esse ano.

Foram 14 séries: algumas na sua reta final (que só assisti pra ter o sentimento de conclusão mesmo), outras novas e mais algumas que já acompanho há um tempo.


Glee e The Big Bang Theory só estão nessa lista porque eu gosto de sofrer - e Modern Family vai pro mesmo caminho. House of Cards, True Detective e minha queridinha Orphan Black não fizeram suas melhores temporadas, mas continuo gostando bastante.

Pra mim, as melhores séries esse ano foram:

- Unbreakable Kimmy Schmidt

Eu comecei essa série por recomendação de um amigo e me apaixonei. Primeiro que a abertura é viciante (uma sátira dessas músicas de auto-tune). Segundo que a atriz que faz a personagem da Kimmy é uma fofa, conhecida minha dos tempos de The Office. Terceiro porque a trama do seriado é tão surreal e fofa que não tem como não gostar. Menção honrosa para o amigo dela, Tituss, que tem tiradas e momentos engraçadíssimos em diversos episódios.

Banheiros irlandeses

/

Quando pensamos na casa ideal, pensamos num quarto legal e aconchegante, uma sala confortável e uma cozinha bem espaçosa. Mas e o banheiro? Um cômodo da casa tão importante não pode ser esquecido, não é mesmo?

banheiros na irlanda


Na Irlanda, a primeira diferença que notei entre os banheiros brasileiros e os daqui foi o interruptor: fica do lado de fora do banheiro! Confesso que a localização do switch causou estranheza, mas hoje é tão automático que nem paro pra pensar.

Depois disso, o fator mais importante: na Irlanda o papel higiênico pode ser jogado dentro do vaso sanitário. E cara, essa é uma das melhores coisas da vida. Tipo, quando estamos acostumados a jogar o papel no lixo, como Brasil, a gente joga, mas depois de poder jogá-lo no vaso, a vida muda e voltar pro cesto de lixo é complicado.

Por conta disso, não é raro perceber que não há nenhum tipo de cesto de lixo nos banheiros irlandeses - às vezes um pequeno, para os rolos de papel vazios e outras coisas, mas só.

Matando as saudades das "minhas" meninas

/

De agosto de 2013 à agosto de 2014 eu trabalhei com a família M. cuidado de duas meninas: a É. e a C.

Quando comecei a trabalhar pra eles, a É. tinha 2 anos e meio e a mais nova, C., 1 ano e 2 ou 3 meses. Super pequenininhas! Foram muitos momento fofos, estressantes, divertidos e que renderam muitos posts aqui no blog (se você clicar na tag "childminder em Dublin" vai poder ler as dezenas de posts que escrevi sobre o assunto).

Verão de 2014

Pois bem. Desde que saí de lá, mantive contato com a família pois gosto deles e tenho muito carinho pelas meninas. Os visitei a cada 3 ou 4 meses e hoje as meninas estão enormes: a mais velha com quase 5 e a mais nova com 3 e meio. Detalhe: minha ex-chefe tá esperando outro bebê! Fiquei super feliz por eles pois não imaginava que eles teriam mais uma adição à família.

Aí como todo ano, eu comprei uns presentinhos simples de Natal pras meninas e mandei mensagem pra mãe delas pra saber se eu podia passar lá essa semana pra entregá-los. Ela me disse que quarta-feira seria um bom e me perguntou se por algum acaso eu gostaria de ganhar uma graninha e cuidar das meninas naquela tarde, já que a atual babá deles havia comprado uma passagem de última hora pra passar o Natal no Brasil e eles estavam fazendo malabarismos para cuidar das duas.

Viagens do ano

/

Viajar é muito bom, né? Sou privilegiada por poder viajar tanto morando aqui na Irlanda, ainda que eu tenha um emprego de babá meio-período. Graças à companhias de vôos baratos (e economia na hora de escolher acomodação, atrações, etc), fica possível viajar pra muitos lugares nesse mundo lindo!

Como estamos em Dezembro e Dezembro pede retrospectivas, resolvi começar por essa que sempre me traz sorrisos e aquece o coração: viagens de 2015!

Comecei Janeiro em Barcelona, com os amigos Rick e Bia. A Bia tinha vindo pra Irlanda passar o Ano Novo e programamos essa viagem em trio pra conhecer esse destino tão querido pelos viajantes. De fato, Barcelona é uma delícia, cabe no bolso, tem comida deliciosa e o clima tava super fresquinho, bom demais!




Fevereiro trouxe o Valentine's Day e após pesquisar alguns destinos pra comemorar essa data fora com o R., vimos passagens baratas pra Copenhagen, capital da Dinamarca. Não pensamos duas vezes, compramos os tickets e passamos um fim-de-semana super tranquilo e gostoso (leia-se 'frio') por lá!

Links legais #6 - o último do ano

/

A última edição do Links Legais foi em julho e com motivo: depois que comecei o curso na UCD a vida ficou muuuito ocupada e não tenho conseguido dedicar tanto tempo ao blog quanto gostaria. Achei que ainda daria pra postar antes do fim do ano, mas não rolou. De qualquer forma, fui salvando links e cá estão:

Séries e TV
Narco cultura e narco séries - um texto muito legal sobre como esse assunto se popularizou recentemente no mundo da TV - de Breaking Bad à Narcos....

Ariana Grande sendo engraçadinha - eu sou velha e nem sei direito quem é essa garota, mas que ela imita a Aguilera, a Britney e a Celine Dion direitinho, ah, isso sim!

Os discursos de Stella Gibson - Stella Gibson se tornou uma das minhas personagens preferidas de série EVER. O tipo de filosofia e diálogo que sai da boca dessa mulher na série "The Fall" nao é pra qualquer um mesmo. Que mulher!


Vinte e oito

/

Essa semana foi o meu aniversário - 28 anos completados no dia 1º de dezembro! Confesso que não estava muito animada como costumo estar porque essa, pra mim, é data mais difícil de passar fora do Brasil. Pode parecer egoísta, mas não estar com os meus nesse dia é mais sofrido pra mim do que festas de fim de ano, por exemplo - é foda!

De qualquer forma, eu sempre faço questão de comemorar (meu lema de vida é comemorar!) e por isso fizemos várias coisas legais: na segunda passada, dia 30, fui jantar com o R. num restaurante chamado Kinara Kitchen. É um restaurante paquistanês inaugurado em 2010 em Ranelagh (D6). É meio caro, e olha que restaurantes em Dublin costumam ser caros mesmo, e portanto, ir um pouquinho mais cedo (até às 7h30pm) garante o Early Bird menu, que é um menu mais restrito, mas que engloba entrada + prato principal + sobremesa por um preço bem mais affordable.

Eu nunca tinha comido comida paquistanesa mas o R. já tinha me dado a dica de que seria parecido com a indiana (que ambos amamos) e por isso saí de lá mais do que satisfeita: que comida deliciosa! Eu pedi um curry que tinha um frango tão macio, mas tão macio, que quase perguntei pro garçom como cozinhava daquele jeito delicioso! Bom demais!

Na terça fomos no pub Doyles assistir a Ruby Sessions, que já comentei aqui no blog há um tempão. Nesse dia se apresentaram três artistas diferentes: uma banda que já havíamos visto tocar lá numa outra ocasião (Basciville), uma cantora chamada Rachael Lavelle (canta bem, mas o estilo não nos agradou) e Leila Jane, uma cantora folk que parece ter saído dos anos 50/60's. Super fofa!

Máquina do tempo

/

Ontem, pra distrair a cabeça em meio à tantos assignments da faculdade, me deparei pesquisando sobre os blogs que eu já tive pela internet afora... na verdade, o blog que mantive de 2004 à 2006 está fora do ar. Porém, existem maneiras de recuperar informações de sites que existiram na internet (gente, às vezes a internet dá medo) e eu acabei encontrando algumas preciosidades.

Vi um post que escrevi um junho de 2004 e confesso que me deu um aperto no coração. Já faz mais de 10 anos que escrevi isso?


Como é que num espaço de pouco mais de 10 anos a gente pode mudar tanto, né? Quer dizer... nessa época eu tinha 16 anos e era cheia de sonhos. Não que eu não tenha sonhos agora - tenho muitos! - mas acho que agora, depois de já ter uma certa vivência, eu consigo sonhar um pouco mais com os pés no chão. A vida acaba fazendo a gente ser um pouco menos sonhador, mais realista, mas mesmo assim, eu ainda gosto muito de sonhar.

Web Analytics

@blog_barbaridades

Back to Top