Tudo azul (ou mais ou menos isso)

/

Fiz um post falando do meu histórico capilar e dos planos que eu tinha antes de vir pra Irlanda, mas com tanta coisa acontecendo, acabei não contando que fim ele levou, né?

Então, vamos lá!

No início de março, assim que cumpri o aviso prévio da empresa onde trabalhava, marquei um horário no salão Novo Arte, que fica numa travessa da Augusta, pra fazer a transformação no cabelo. Fui lá pois eles são um salão ~alternativo~, que costuma trabalhar com cabelos diferentões e coloridos. A cabeleireira fez uma análise no meu cabelo e achou melhor não descolori-lo todo, pra não danificar muito o coitadinho.

A idéia era fazer um degradê, mas ela acabou fazendo mais mechas do que um degradê propriamente dito, porque o cabelo estava castanho escuro na raiz mas mais claro na altura da orelha pra baixo, pois eu o havia clareado há alguns meses.

O resultado foi esse aqui:

cabelo azul, mechas azuis no cabelo

Trem das onze (não pro Jaçanã, mas pra Malahide)

/

Mais um "check" pra minha listinha "lugares pra conhecer na Irlanda".



Sábado fomos visitar o castelo e a praia de Malahide, cidade próxima a Dublin. Dá pra ir de ônibus e trem (DART), e fomos de trem pra ir mais rápido (uns 20, 25 minutos).

Itanglish

/

Eu comentei aqui há alguns dias que fui na biblioteca perto de casa e descobri que eles oferecem aulas de conversação de vários idiomas. E eu também já falei aqui há uns meses que estudei italiano por um tempo e adoro essa língua. Aí resolvi juntar o útil ao agradável e fui lá na conversação segunda-feira pra ver qual é que é.

Cheguei na biblioteca do shopping Ilac. Ela fica no último andar, vi uma placa no térreo e foi fácil encontrá-la. Pedi informação pro cara da recepção e ele me mostrou a sala onde a conversação acontece. Algumas pessoas estavam ao lado de fora, mas logo chegou um funcionário da biblioteca e abriu a sala.

As pessoas chegaram, pegaram as cadeiras que estavam num canto e foram formando um círculo. Tava um clima de awkwardness (não sei em português, "estranheza"?) na sala, ninguém sabia o que falar. Aí uma menina perguntou se eu era nova ali. Me senti na própria reunião do A.A tipo vamos-nos-apresentar e comecei a falar meu nome, de onde eu era, o que eu fazia aqui. Mais gente foi se juntando ao círculo mas ninguém mais falou de si. Ah não ser a menina, que ficou impressionada com o meu inglês ser tão bom mesmo eu sendo brasileira (ela disse mais ou menos assim). Aí fiquei com a cara de pateta esperando alguém falar alguma coisa. ONDE É QUE FUI ME METER?!

Trabalho voluntário em Dublin

/

Eu nunca pensei em fazer trabalho voluntário. Nunca achei que combinasse comigo e por conta de estar sempre trabalhado e estudando, nunca tive tempo. 

Mas aqui na Irlanda as coisas são diferentes!

No dia em que fui pra biblioteca, uma funcionária de lá perguntou se eu era estudante e se gostaria de ser voluntária, já que isso ajudaria no inglês e tal. Peguei o folheto que ela me deu e fiquei pensando no caminho pra casa. 

Resolvi me inscrever no site. Basicamente você você coloca seus dados pessoais e áreas de interesse - eu coloquei arte e educação, mas tem de tudo, tudo mesmo. 

Uma semana depois, recebi email de uma tal de Eleanor perguntando se eu gostaria de participar do projeto Music Matters. É um coral comunitário que tem como membros pessoas com alguma deficiência física ou mental. O trabalho seria pra ajudar no café, ajudar com as cadeiras, ajudar quem precisa a se locomover. Achei bacana e disse que tava a fim. 

A princípio, eles querem um compromisso de 6 meses, uma vez por mês. Moleza, né? Fui lá essa semana pra conhecer. 

Phoenix Park e conhecendo mais do centro

/

Sábado passado foi dia de conhecer o maior parque urbano da Europa: o Phoenix Park. De casa é bem pertinho! Na verdade, esse parque é gigantesco e engloba várias áreas de Dublin. Ele é um parque, mas não um parque fechado, tipo o Ibirapuera em São Paulo - há algumas entradas mas estas não fecham, porque afinal de contas,  até carros e ônibus passam por dentro dele. 



Money que é good nóis (quase) num have

/

Eu planejei o intercâmbio há meses, juntei dinheiro a mais, enfim, fui mais cuidadosa do que sou de costume porque sair de casa pra morar fora é coisa séria e demanda dinheiro e planejamento.

Aí eu cheguei na Irlanda com dinheiro a menos, por conta de uma passagem que comprei em Istambul (fui burra, já aprendi a lição, mas estou no processo de reaver a grana, vamos ver) e por conta disso, tive que economizar ainda mais nos primeiros dias aqui.

Só que mesmo economizando, a gente gasta. Gasta com edredon, lençol, depósito, aluguel, passagem de ônibus... quando menos percebe, o dinheiro foi embora, você ainda não tem conta no banco, não pode gastar dos 3 mil que trouxe exigidos pela imigração pra tirar o visto e tá quase pedindo socorro pra sua mãe.

Moda feminina na Irlanda

/

Gosto de como as irlandesas se vestem, com algumas exceções. Já até falei rapidamente aqui no blog, mas queria comentar mais a respeito. 

No geral, elas estão sempre maquiadíssimas e com a base num tom mais escuro - geralmente alaranjado - do que a pele. Cílios postiços e batom rosa vi aos montes, e nas meninas novinhas também  Essa é a única parte do vestuário delas que não gosto tanto. Não tenho fotos próprias pra ilustrar porque é meio tenso tirar foto das pessoas na rua, mas nada que uma busca no google não resolva:


Já vi várias assim na rua, sério

Visitando a biblioteca

/

Confesso: a última vez que havia entrado numa biblioteca foi, provavelmente, por volta dos meus 17 anos. Eu freqüentava a biblioteca da escola mais de uma vez por semana e saia sempre com muitos livros. (saudade do tempo em que eu devorava Harry Potter e lia Agatha Christie numa tacada só!)

Depois que comecei a trabalhar, freqüentei bem mais livrarias e alguns sebos. 

Essa introdução foi pra dizer que aqui perto de casa tem uma "filial" da Biblioteca Pública de Dublin. Meu flatmate já havia feito carteirinha e fui lá fazer a minha também. Precisa levar comprovante de residência e passaporte. Com a carteirinha é possível pegar 12 itens de uma  vez: livros, CDS, DVDs, etc. O prazo de entrega desses itens é diferente, mas pelo site é possível renovar, reservar, consultar, enfim.


dublin city library - cabra

Entre jardins e galerias

/

Antes de vir pra Dublin, comprei dois guias de viagem: um sobre Dublin especificamente e um sobre a Irlanda.

Tenho consciência de que, quando a gente mora em algum lugar, acaba não fazendo os passeios turísticos locais. Eu morei 25 anos em São Paulo e conheço pouca coisa de lá - um ou outro museu, uns 3 ou 4 parques, pouca coisa mesmo.

Só que morar em Dublin não é algo permanente, logo, me permito fazer a turista quando não tô fazendo a estudante.

Há alguns dias, o plano era visitar o Jardim Botânico, mas como tava um dia chuvosinho e nublado, achei melhor ir pra algum lugar fechado.

Dei uma olhada no meu guia e escolhi dois lugares bem próximos: The Garden of Remembrance e The Dublin City Gallery.

30 dias com ela

/

30 dias de Dublin, 30 dias de Irlanda. Teve frio, teve andança, teve neve, teve passeio, teve um pouco de sol e muita coisa nova pros meus olhos, ouvidos e memória registrarem. 30 dias com essa cidade incrível!

Todo dia 20 é dia de comemorar!

Um pouco de história aqui, muito verde ali

/

Ontem eu conheci um dos lugares mais visitados e bonitos da Irlanda: Glendalough. Glendalough faz parte do condado de Wicklow (outra na minha lista a visitar), e significa "vale dos dois lagos". Tem muito verde, água, muita vida e história naquele lugar.


Fui por um passeio organizado pela escola - na verdade, só o transporte mesmo (10 euros ida e volta), porque chegando lá, foi cada um por si (apesar do pessoal da escola ter dado coca, água, salgadinho e doces pra galera! comida de graça o pessoal caiu matando...).

Segunda-feira batendo perna ali em Howth

/

Segunda-feira: sinônimo de volta à rotina, trabalhar, estudar... certo? Mais ou menos. Ou pelo menos a segunda passada, quando tive a oportunidade de conhecer Howth!

O Rick me chamou pois uns amigos dele que moram em Portugal de passagem por aqui iriam embora no dia seguinte, e eles haviam planejado ir pra Howth. Pegamos o ônibus 31 no centro (pagando a tarifa mais cara, que é 2,80) e em uns 30 minutos chegamos lá.

Howth é uma área residencial que faz parte do condado de Dublin. Só casão!

Indo de ônibus você meio que desce "no topo" da montanha. Seguimos um pseudo-mapa por ali, mas após alguns minutos caminhando, percebemos que estávamos na direção errada. Aí uma senhora vinha vindo na nossa direção, pedimos ajuda e ela disse que podíamos segui-la, já que ela ia na direção dos cliffs também.

Minha primeira entrevista de emprego (em Dublin)

/

Desde a minha segunda semana aqui em Dublin, quando já estava acomodada, comecei a procurar emprego. Me inscrevi no Fás, no IrishJobs, no Jobs, entre outros. Atualizei o meu Linkedin, ajeitei currículo, tudo bonitinho.

Mandei, de lá pra cá, uns 10 currículos por e-mail e me inscrevi numas 20 vagas - secretária, recepcionista, vendas, telemarketing, assistente em loja, etc. Tô super cabeça aberta a qualquer tipo de vaga, mas queria começar tentando algo em que eu possa ter contato com pessoas, que possa praticar inglês.

Recebi alguns emails do tipo "oi, recebemos o seu currículo, se a gente não responder em uma semana, deixa quieto" e alguns do tipo "oi, a gente gostou do seu currículo mas tem gente melhor pra essa vaga, valeu aí".

... que vejo flores em você!

/

Domingo passado tava fazendo 8 graus e o céu, azul azul. Resolvemos ir no Jardim Botânico, ou, em inglês, The National Botanic Gardens.

O jardim fica em D9, uns 45 minutos a pé de onde moro. É bem fácil chegar e tem várias placas sinalizando o caminho também.

Tinha pensado em fazer a visita guiada, mas tem horários específicos pra isso, e como não havíamos planejado muito, fomos só pra conhecer mesmo. E valeu a pena.

O National Botanic Gardens tem mais de 15 mil espécies de plantas de vários lugares do mundo e várias, várias estufas lindas de vidro que contém diversas dessas espécies. Tudo por lá - até mesmo fora das estufas - é sinalizado com uma plaquinha dizendo o nome científico e nome em inglês da planta.


Perseguição, chatice, frescura ou tenho razão?

/

Você pode até achar que é perseguição, mas sério, não dá pra engolir as aulas dessa professora na minha escola aqui não.

A aula de quinta começou 15 minutos após um pouco de enrolação. Ela entregou uma folha com exercícios de modal verbs (até um pouco mais difíceis do que os do outro dia) e deu, sei lá, 3 minutos pra fazer. Eu e a menina do meu lado terminamos rápido, mas o povo ainda tava na metade e a professora já foi corrigindo. Vi as pessoas totalmente perdidas e a professora lá, com o papel na mão lendo os exercícios e dando as respostas. Que horror, que horror.

Depois, do nada, ela resolveu que nos daria a oportunidade de preparar uma atividade de música.

OI? PREPARAR? TÔ NO BRASIL TRABALHANDO COMO PROFESSORA OU ESTUDANDO NA IRLANDA?

Você tem fome de quê?

/

Acho que uma das grandes preocupações das pessoas que fazem intercâmbio é em relação à comida.

Porque a gente sabe que o Brasil é incrível nesse sentido e que temos uma grande variedade de pratos em diferentes lugares do país: tem o churrasco gaúcho, pão de queijo e doce de leite mineiros, bobó no nordeste, feijoada, doces, etc etc etc.

Particularmente gosto de qualquer tipo de comida - japonesa, indiana, vegetariana, turca, chinesa e tal. Gosto de experimentar coisas novas e estava bem tranquila em relação a isso antes de vir pra Irlanda. Sabia que eles comem muita batata (que gosto muito), sabia que não se come feijão e arroz como fazemos diariamente no Brasil, e sabia que o almoço pra eles não é como é almoço pra nós. Só que se você mesmo cuida da sua alimentação, pode comprar e cozinhar o que quiser, né?

Abrindo uma conta no banco (agora foi!)

/

Depois de três idas ao banco pra abrir a conta, tinha que dar certo, né? Já tava achando que era uma grande pegadinha.

Após a primeira tentativa fracassada de abrir minha simples conta de estudante, fui na escola causar (mentira, fui educada e falei baixinho) pra tentar obter uma solução. Disseram que postariam minha carta de novo.

E de fato, ela foi postada. Mas, novamente sem A PORRA DO CARIMBO DO CORREIO.

Mandei e-mail pra escola na hora reclamando... e o funcionário me respondeu logo em seguida, dizendo pra eu levar a carta do PPS que eles aceitavam.

Fui pra aula ontem, e na saída, passei no banco. Qual a minha surpresa em levar outro "não" na cara, que não podiam aceitar aquela carta pois ela não tinha nenhuma data?! Detalhe: eu recebi dois envelopes do PPS - um que continha o cartão (o que levei pro banco) e outro com um documento que apenas mostrava o número do PPS. Adivinha qual eles aceitariam no banco pra abrir a conta? Pois é, o envelope que eu não levei, claro.

Como eu já tinha andado de ônibus nesse dia (e com o cartão do Dublin Bus, pegou um ônibus pode pegar ônibus infinitamente nessas 24 horas), voltei pra casa, peguei o tal envelope e voltei no banco.

Quando cheguei na fila de atendimento, uma moça veio até mim e perguntou o quê eu queria. Expliquei que queria abrir conta de estudante. Ela pegou meus envelopes e passaporte, reclamou que não tinha carimbo do correio neles, mas me entregou o formulário de solicitação de abertura de conta mesmo assim. YES!

Preenchi o formulário (simples: nome, endereço, telefone, informações da escola) e aguardei na fila pra ser chamada novamente. Em poucos segundos fui atendida. E sabe qual é o final da história? Ele não reclamou do envelope da carta da escola não ter carimbo e nem pediu pra ver a carta do PPS. Ironia, não te curto.

ps: agora é esperar até duas semanas (prazo dado pelo funcionário, mas conheço gente que recebeu em uma) o cartão e senha chegarem.

Não é bem assim

/

Eu planejei meu intercâmbio por 1 ano. 

Li site, li blog, li fórum, falei com gente, comprei guia, pesquisei tudo que estava ao meu alcance. E assim... Agora que estou aqui há uns 20 dias, já deu pra tirar algumas conclusões e constatar que as pessoas são muuuuuito cheias de mimimi. Explico:

"Ai, o feijão enlatado daqui da Irlanda é muito ruim" 

O feijão enlatado é mais rápido pra preparar, vem numa espécie de molho de tomate meio docinho e fica muito bom com arroz. A gente frita um alho com cebola, joga o feijão na panela e pronto! Sem precisar esperar cozinhar por horas na panela de pressão. 


Bom e barato! Menos de 30 centavos!

O outro professor

/

Depois da aula de segunda - totalmente desmotivante e entediante, fiquei meio "assim" de frequentar 6 meses de aula de inglês aqui em Dublin. Mas, como sabia que terça e quarta a aula teria outro professor, dei uma chance. Fui pra aula com a expectativa baixa, mas um pouco mais esperançosa, já que algumas pessoas haviam comentado que a aula desse outro professor era boa.

De fato, gostei.

Não amei, mas gostei.

Ele começou com uma folha de exercícios de revisão do livro New Headway (precisando atualizar, hein galera?). Tinha linkers, passive voice, inversion, phrsal verbs e questios tags, além de vocabulário. Tava num nível bem legal e tive que pensar bastante em alguns dos exercícios. Ufa!

Abrindo uma conta no banco (parte 1: fail)

/

Quando fiz a prova de nível na escola, pedi para que enviassem a carta do banco pelo correio, já que esse é o procedimento padrão.

Teve feriado na sexta e segunda próximas ao domingo de Páscoa, e acho que por conta disso, as correspondências atrasaram. Minha carta foi chegar ontem de manhã.

Até aí, ok, atrasou, acontece, normal.

Vim da escola e fiquei toda feliz ao descobrir que minha carta havia chegado. Comi um lanche rapidinho e voltei pro centro pra abrir a conta no Bank of Ireland. Precisa levar a carta enviada pela escola e o passaporte.

Não tem porta detectora de metais! YES!

Seguindo dicas do meu flatmate, já fui na porta à esquerda na entrada do banco - perguntei pro segurança e atravessei uma segunda porta pro customer service. Havia uma pequena fila e logo fui atendida.

"Hi, I came to open a student's back account!"

O cara pegou o envelope e olhou, olhou, analisou e me disse que não, não seria possível abrir a conta PORQUE NÃO HAVIA CARIMBO DO CORREIO NO ENVELOPE!

Oi? Carimbo? Mas eu recebi essa carta pelo correio, moço! A escola postou pra mim!

Não teve conversa.

Frustrada, saí do banco e fui até a escola, que é perto de lá.

Expliquei a situação pra menina na recepção, que não sabia direito e foi tirar dúvida com um outro atendente. Depois voltou, disse que teriam que postar a carta novamente pra vir com o carimbo. Só não entendi até agora se foi culpa deles ou do correio mesmo.

Paciência. Essa é a palavra-chave que mentalizo nesses momentos, porque senão eu tinha explodido em lágrimas.

1º dia de aula na escola

/

Meu primeiro dia na escola não teve nada especial. Mas, normal, porque eu já fui com a expectativa beeeem baixa pra não me decepcionar nem nada. Tipo, comprei um curso numa das escolas mais baratas do "pedaço", então eu já tinha uma ideia do que me esperava.

Acordei um pouco em cima da hora - quer dizer, só não acordei com a antecedência suficiente pra ir a pé, aí resolvi ir de ônibus mesmo. Tomei meu café da manhã e peguei o ônibus às 8:15.

Uns minutinhos depois, já tava ali no centro, em frente à Trinity College. Desci e subi a Grafton em direção à escola.

Cheguei umas 8:50 (fui andando devagarzinho, senão chegaria muito cedo) e entrei na sala. Tinha uma mesa grandona com algumas cadeiras e um cara sentado ouvindo música. Sentei ao lado e fiquei na minha.

Freud, Lacan ou Jung - quem virá me salvar?

/

Esse post pode ou não ter a ver com intercâmbio e com Dublin, mas como eu já apontei aqui, esse blog é sobre coisas que eu gosto, e se tem uma coisa que eu gosto é contar pras pessoas dos meus sonhos.

Todo mundo que me conhece sabe que, desde sempre tive facilidade em lembrar dos meus sonhos. É comum eu mandar mensagem ou comentar com as pessoas: "ei fulano, sonhei com você!". Nos últimos anos, conseguia me lembrar quase sempre dos sonhos e tive 3 ou 4 pesadelos por mês.

No entanto, nessa semana, já foram uns 4 sonhos ruins na sequência. Medo de dar tudo errado? Preocupação em encontrar um emprego? Solidão? Sei lá. Mas que eles tem sido estranhos, ah tem.


"Pesadelo" em italiano é INCUBO. Lindo, né?

Conta de eletricidade, gás, internet e taxa do lixo

/

Eu moro numa casa "nova" aqui na Irlanda, ou seja, basicamente nos mudamos todos na mesma semana e ninguém morava aqui antes. 

Por causa disso, o casal que alugou a casa aqui teve que resolver algumas coisas, como passar a conta de eletricidade e gás pro nome deles, além de contratar um serviço de internet e de retirada de lixo também.

A landlady, dona da casa, foi bem legal e passou o nome do meu flatmate pra conta de gás e eletricidade (fornecidos pela mesma empresa), mas teríamos que ligar pra resolver uma pendência: forma de pagamento. Como seria uma conta nova, há duas opções: pagar um depósito de 200 euros (devolvidos quando você muda o dono da conta novamente) ou mudar pra débito automático e não pagar depósito nenhum - a opção escolhida aqui. 

E quem fez essa ligação? 


Duas semanas de Irlanda e...

/

... o maior estranhamento pra mim, até agora, é o fato de não ter uma rotina de trabalho.

Pra quem trabalha desde os 17 e sempre chegou tarde em casa por causa disso, é estranho não ter nada pra fazer. Claro, eu tive "sorte" e cheguei após o Saint Patrick's, na semana de páscoa e logo ganhei uma semana de férias da escola por causa disso. Ou seja, além de não ter rotina de trabalho, não tive ainda rotina de estudos iniciada.

Sendo assim, tenho passado os dias basicamente fazendo passeios baratos, indo ao mercado e procurando emprego na internet.

A adaptação aqui está bem melhor do que eu imaginava (mas eu já imaginava que ela seria boa) - apesar da primeira semana ter sido muito mais fria do que eu esperava. Essa primavera aqui tem assustado porque fez chuva, frio e até nevou, mas nos últimos dias, embora a temperatura ainda esteja muito baixa, os dias tem sido ensolarados e muito bonitos. O sol tá até esquentando! 

Andar aqui é muito fácil e já sei mais ou menos onde Dublin 1, 2, 3, 7 e 8 ficam. Já sei caminhos diferentes pra ir pro centro daqui de casa, já sei pegar ônibus pra alguns lugares e até o ônibus noturno já sei como funciona! 

As casas na Irlanda são um pouco diferentes das casas no Brasil - a luz do banheiro acende do lado de fora, não tem ralo em lugar nenhum, e tanque... non ecziste. Tem aquecedor em todos os cômodos e a máquina de lavar fica na cozinha.

Na casa onde moro o chuveiro é elétrico, o que é ótimo, porque basicamente você liga o chuveiro e ele esquenta. Em muitas casas aqui não há chuveiro elétrico, então tem que esperar o boiler esquentar pra poder tomar banho. Só que a água que o boiler esquenta geralmente não dura uns 5 banhos, por exemplo. Então dei sorte!

Aqui perto de casa tem um Tesco enorme, então temos feito compras lá. Compramos alguns itens de uso geral - macarrão, arroz, açúcar, etc - e alguns individuais (eu gosto de cereais, iogurte, etc). Sendo assim, a compra fica bem barata pra todo mundo e dura legal pelo menos uma semana. A última compra deu em torno de 8 euros pra cada e estamos comendo muito bem! Já fizemos estrogonofe, frango assado (mas não domino a arte de cortar o frango ainda), linguiça, etc. Ontem até arrisquei fazer um bolo na mão, mas ele não cresceu muito e não curti o resultado. Temos que providenciar um liquidificador!

PS: Anteontem teve premiere do filme novo do Tom Cruise e ele esteve no tapete vermelho num cinema aqui em Dublin. Fui com a minha flatmate pra tentar vê-lo, ficamos de pé uma hora mas perdemos a paciência com a multidão e a espera e viemos embora. 

Kilmainham Gaol - a prisão

/

No feriado de segunda fomos visitar a Kilmainham Gaol e demos com a cara na porta porque todos os tours do dia estavam cheios.

Somos brasileiros e não desistimos nunca (tô falando isso em todo post, né? hahaha), então voltamos hoje de manhã. Chegamos às 11h20 e o próximo tour disponível era para às 12h30. Bom que chegamos cedo dessa vez, porque quando saímos de lá, umas 14h, quase tudo já estava lotado para o resto do dia.

Se bem que hoje era um dia especial, porque toda primeira quarta-feira do mês alguns eventos são grátis aqui em Dublin. Aproveitar quando dá, né não?

kilmainham gaol em dublin

Museu de Arte Moderna (IMMA)

/

Essa semana não tem aula por causa do Easter Break (semana de "férias" por causa do feriado da páscoa). Então assim: não tô estudando, não tô trabalhando, não tirei o visto então não posso gastar dinheiro à vontade, logo: me resta ficar em casa. 

Ou fazer passeios baratos!!!

Combinamos de ir na Kilmainham Gaol, uma das maiores prisões desativadas da Europa. Ela tem uma história interessante e custa 2 euros a entrada de estudante. Ao chegar lá, descobrimos que todas as visitas já estavam lotadas! Mas segunda foi feriado, então devíamos ter imaginado que estaria cheio, né?

E o que fazer pra não perder o passeio?

Perambulando pela noite de Dublin

/

"Todo mundo espera alguma coisa de um sábado à noite", já dizia a canção. E aí que fui pra minha primeira noite aqui em Dublin.

Tipo assim... eu sou a maior velha e careta. Não bebo, não fumo, não gosto muito de sair à noite porque geralmente as pessoas que saem bebem e fumam. Aí fico meio perdida, mas gosto de música, gosto de ouvir música alta, e assim, tô na terra dos pubs, então não tem como fugir, né?

Os amigos me levaram pra um tal de O'Reilly's. É um pub de rock, tem alguns ambientes, gostei. Ficamos num ambiente onde a música não tava tão alta e dava pra conversar. Foi divertido. Conhecemos um italiano que disse: "you look like Brazilians", ao que respondi "can you tell that easily?". Aí ele falou que conhece brasileiros e já sabe "como somos". Depois um brasileiro muito bêbado veio conversar conosco e nos convidou pra feijoada, pro pagode, pro forró, pro sertanejo. Aí falei: "Tá doido, cara? Eu não ia nessas coisas nem no Brasil, até parece que vou aqui...". Ele insistiu e disse que esses rolês eram bons. Ok, né.

Dublinia - um museu viking

/

A Bia já tinha me chamado pra ir no museu na semana passada, mas por conta das correias pra encontrar casa, ir na escola, não tinha rolado. Fomos no sábado à tarde, finalmente.

Esse museu chama Dublinia. Ele fica perto da Christ Church em D8, tem meio que um portal lindo na rua que já te deixa no clima medieval. O Dublinia é um museu Medieval e Viking, conta a história dos vikings que se estabeleceram aqui, o que faziam, o que comiam, como viviam. A entrada de adulto custa €7.50 e estudante paga €6.50.


Web Analytics

@blog_barbaridades

Back to Top