Nossa língua portuguesa

/

Muita gente menospreza o próprio idioma, né?

Quantas vezes cê não ouve alguém dizer "ai, o francês é lindo!", "queria falar inglês assim, é tão bonito" ou "italiano é maravilhoso" (ah sim, essa fui eu que disse)?

No entanto, poucas vezes ouvi alguém dizer "a língua portuguesa é bela".

R. acha que o português (de Portugal) parece russo aos seus ouvidos, hahaha.

Mas é sério, o português é a 5ª língua mais falada no mundo, depois do inglês, francês, árabe e espanhol - são 285 milhões de falantes em Portugal e suas ex-colônias espalhadas pelo mundo: Angola, Guiné-Bissau, Moçambique, São Tomé e Príncipe, etc e etc.

Dar aula é mais fácil

/

Gente! Gente...

O meu primeiro dia de trabalho oficial sozinha com as crianças foi ok. Cansativo e agitado, mas ok.

Cheguei às 09h. A mãe saiu pro trabalho e eu fiz o mingau (ou melhor, porridge) das meninas. Elas comeram e troquei a fralda da menor - só xixi! hahaha

A ideia era trocá-las pra irmos no parque, mas gente... haja paciência. A grandinha até se trocou rápido e colocou o sapato, mas a pequena abria o berreiro se eu chegasse perto pra colocar a blusa. Tentei não ser invasiva, mas depois de muitas tentativas e da E. já estar pronta e impaciente pedindo pra ir no parque, eu simplesmente agarrei a menina e enfiei a blusa nela. Ela chorou e tentou tirar, mas só por alguns segundos.

Mas sair com criança na rua é uma experiência muito assustadora.

(Des)empregada

/

Pois é. Sabe aquele emprego que comentei aqui, aquele de childminder que era pertinho de casa, família fofa, que eu tava super feliz e confiante que ia dar certo?

Depois de 3 dias de trabalho, fui educadamente despedida.

Numa quinta de manhã, a mãe dos meninos me liga dizendo que apesar de terem gostado muito de mim, o fato deu não ter muita experiência com bebês acabava atrapalhando as coisas e que eles achavam melhor, para o bem dos meninos, ficar com alguém com mais experiência.

Meu mundo caiu.

Ela me ligou tipo umas 9h45 e eu tinha que dar uma aula às 10h. Depois de desligar o telefone, chorei por uns 3 minutos, lavei o rosto e fui dar aula. Guardei o choro pra depois.

Após a aula, chorei muito, muito tempo. Que sensação de derrota, de fracasso, de "o universo conspira contra mim". Eu não sabia de onde começar. Site de emprego de novo? Entregar CV de novo?

Abri o Roller Coaster e vi um anúncio de childminder que era pra começar na segunda-feira seguinte. Mandei mensagem, mas tava tão desanimada que não imaginei que em umas 4 horas, a mãe me ligaria perguntando se eu tinha como fazer uma entrevista naquele dia à noite.

Fui.

Fiquei uma hora e meia lá. Conversamos sobre as meninas - uma de 2 e meio e uma de 15 meses, rotina delas, alimentação, e basicamente isso. A mãe não perguntou muito de mim, mas disse que havia gostado do fato deu ter experiência com aula e ter um bom inglês, já que ela havia entrevistado outras brasileiras e ficou preocupada com o fato do inglês delas não ser tão bom - poderia haver dificuldade em entender as meninas e as meninas entenderem a babá também (palavras da mãe).

Como já era pra começar segunda, ela pediu pra ir lá no sábado ou domingo passar o dia com a família - e foi o que fiz no domingo. Cheguei cedo e fui embora no meio da tarde - ela me pagou pelas horas trabalhadas e já foi me dando cópia de chave e tudo. E assim, em menos de 24h eu perdi um emprego e arrumei outro!

Café-da-manhã e sobremesas

/

Todo mundo fala do Irish Breakfast, café-da-manhã irlandês reforçado e tal. Pérai, café-da-manhã?! Bacon, linguiça, ovos... café-da-manhã?

Aí lembrei dos meus tios em Pernambuco que comem cuscus bem cedo, mas divago.

O R. fez o tal do Irish breakfast pra mim algumas vezes e confesso: eu adorei! É óleo, gordura, tudo que não é saudável, mas é gostoso. E sustenta bem, viu? Dá um belo de um almoço.



Os ingredientes podem variar, mas no geral tem o já mencionado bacon - que aqui eles chamam de rashers, já que são tirinhas do bacon, e não pedaços - ovos, linguiça de porco (o que eu menos gostei, porque tem mó gosto de gordura), black pudding, white pudding e torrada.

Black o quê?

Black pudding, em português, morcela (?). É tipo uma carne misturada com sangue, sei lá. Não parece bom, mas juro que é gostoso. White pudding é a mesma coisa, só que sem o sangue: uma mistura de carne de porco, gordura, e outras coisas que preferimos não saber. É bom, vai por mim! E olha que sou mó contra esse negócio de comer gordura e tal.

Aí um dia desses eu exibia (através de fotos) as maravilhas doces da culinária brasileira pro R.: pudim de leite condensado, brigadeiro, beijinho, pavê, etc. Mas ele contra-atacou mencionando um tal de custard, que parece um mingau amarelinho. Ele pode ser comido individualmente ou no meio de outras sobremesas, como o triffle (que também provei e gostei!). R. misturou um pó próprio para o preparo, açúcar e leite. Confesso que eu não tava dando muito pelo tal do custard não, mas não é que o bichinho é bom? Tem que comer quente!

Mas a melhor sobremesa que comi aqui não foi triffle, nem custard, nem coisa nenhuma.

Foi a banoffee pie.

O negócio é tão bom, mas tão bom, que "bom" é pouco pra descrever a gostosura desse doce.



E depois de Irish breakfast, custard, banoffee pie... haja exercício pra queimar essas calorias! hahaha

Blogs amigos

/

Quando a pulginha do intercâmbio começou a coçar, o google foi meu melhor amigo: li sites e sites e blogs e blogs sobre intercâmbio - muitos desatualizados, muitos mal escritos, mas que de alguma forma, me ajudaram na preparação.

Mas claro, sempre tive meus preferidos e vez ou outra comento deles aqui. Dessa vez, com mais detalhes:

Um Fabuloso Destino




Ainda em São Paulo eu acompanhava os preparativos da Bia pra vir pra Irlanda. Nunca comentei, ficava na minha, e só começamos a ter contato depois dela ter chegado na terra dos leprechauns. De leitora virei amiga, mas agora ela me abandonou e voltou pra Sampa!

O blog da Bia é super bem escrito e além dela escrever bem, dá informações e conta curiosidades de suas viagens e da vida na Irlanda. Bia, não pára de escrever não!

Livin' la vida Rick




Não lembro como encontrei o blog do Rick... mas lembro que ele tava nos últimos meses no Brasil, quase pronto pra vir pra cá. Eu gostei de cara de como ele escrevia e do bom-humor nos posts. Comecei a comentar no blog dele, nos adicionamos no facebook e nos tornamos amigos. Agora o Rick mora em Sligo e dá várias dicas da cidade, então o blog dele acaba sendo um grande diferencial no meio dos blogs sobre intercâmbio na Irlanda.

Vida na Irlanda



O Vida na Irlanda é tipo... o melhor site sobre intercâmbio e vida aqui. A Tarsila mora na Irlanda há muito tempo e tem muitas dicas boas - tanto dicas específicas sobre imigração e escolas como lojas legais pra visitar, passeios pra fazer... Tive a oportunidade de conhecê-la pessoalmente e nos vimos outras vezes e ela foi sempre muito gentil e fofa - além de ser ilustradora de mão cheia!

Viajar é Preciso




Só descobri o "Viajar" há alguns meses. Lembro que gostei dele de cara pois os textos eram bem escritos e a Jamile tem uma visão diferente, pois ela já morou em outro país além do Brasil e traz essa experiência nos relatos dela. Nos conhecemos pessoalmente no evento do Riverdancing aqui e ela é simpática, legal e linda como nas fotos!

Um Tôca na Irlanda





Também só fui descobrir esse blog quando já estava na Irlanda. O Thiago tem uma marca registrada: seus posts são divididos em capítulos, sempre com um título bacana e uma citação relacionada ao texto. Eu o conheci pessoalmente sem querer, andando pela O'Connell. Foi coisa de filme, tipo "oi.... é você??!!" - hahaha. Ficamos um tempão batendo papo na rua, mó barato!
O Thiago aliás que me inspirou a fazer esse post, já que ele fez propaganda do Barbaridades (e de outros blogs) recentemente.

Sábado no zoológico

/

Fazia um tempinho que eu queria ir no zoológico de Dublin, mas nunca "dava". Sabe quando você fica adiando, adiando, adiando, e não tira a bunda da cadeira pra resolver? Pois é.

Queria ter ido no final de semana passado, mas eu e R. estávamos com muita preguiça e deixamos pra lá, mas do último sábado não passou.

Parecia que ia chover, mas na verdade o dia foi bem quente com alguns ventinhos fortes ao longo do dia.

O zoológico de Dublin fica no Phoenix Park - a entrada pra estudante é 12 euros e a de adulto, 16. Meio salgadinho, mas se você pensar que é um passeio que dura o dia todo, vale a pena.

Logo na entrada uma funcionária simpática tirou uma foto nossa com o lago de fundo - na saída seria possível ver a foto exposta e comprá-la se quiséssemos, coisa que não fizemos (mas a foto ficou bonita).

Tô ficando boa nesse negócio de entrevista

/

Minha segunda entrevista pra ser childminder foi muito, muito mais sossegada do que a primeira.

Foi assim: vi o anúncio no Roller Coaster (assim como na primeira entrevista!), que tinha o telefone da mãe. Liguei à noite e ela não atendeu. Aí liguei no dia seguinte no horário de almoço, e ela atendeu com a maior simpatia do mundo. Ficamos no telefone uns 10 minutos e ela me explicou que precisaria de alguém pra 3 dias part-time e 2 full-time. Três meninos (de 2, 4 e 6 anos) e o salário era bem ok. Fiquei interessada, principalmente porque a localização era muito interessante, perto da minha casa, distância que dá pra ir até a pé.

Ela disse que conversaria com o marido e que me mandaria mensagem pra confirmar uma entrevista.

Mais tarde recebo a mensagem me chamando pra uma entrevista no dia seguinte.

Eles me receberam com muita alegria e informalidade. Os meninos jogavam video-game na sala e o pequeno tava andando pela cozinha e em cima da mesa.

150 dias, 21 semanas, 5 meses

/

Ah não. 5 meses não! Já? Como assim? Cadê o 4º mês? E o 3º? E o 2º, e o 1º?!

Confesso: fiquei bem chateada há alguns dias porque estava perto de completar 5 meses de Irlanda com poucos euros na conta, nenhum emprego e irritada com esse calor.

Eu, na minha fase pré-intercâmbio, achava que com 5 meses já estaria trabalhando há meses - que teria juntado dinheiro pra viajar e que já teria começado a desbravar o mundo. Não foi bem assim.

Em 5 meses eu conheci muita coisa de Dublin e muita coisa da Irlanda. Se tivesse que voltar agora, voltaria feliz, mas um pouco frustrada.

Massssss, a frustração deu lugar à esperança quando fui aceita no meu emprego.

Museu de Cera - Agosto de 2013 (vou usar essa foto no Natal!)

Por tópicos, seguindo a tradição:

Sobre a língua irlandesa (ou gaélica, como preferir)

/

Aqui na Irlanda existem dois idiomas oficiais: o inglês e o gaélico (chamado também de irlandês).

O Irlandês é língua indo-européia considerada uma das línguas oficiais da União Européia.

Pra resumir: as pessoas falavam irlandês. Os ingleses chegaram botando banca, mandaram o irlandês à puta que pariu proibiam o uso de irlandês e lá pelo século 17 a influência do inglês foi aumentando. Mas o que causou a brusca queda do irlandês aqui foi a Grande Fome no século 19, quando a Irlanda perdeu em torno de 25% de sua população por causa de mortes ou emigração - mais ou menos duas milhões de pessoas a menos em território irlandês.

No senso de 2006, 80 mil pessoas disseram usar o irlandês no dia-a-dia. Em 2001, mais de 90 mil pessoas disseram usar o irlandês em seu cotidiano, então os números tem aumentado!

Coisas de irlandês

/

Eu moro na Irlanda há praticamente 5 meses, mas contato com irlandeses e convivência com os locais tive pouco, já que não morei em casa de família quando cheguei (fiquei em hostel) nem fiz amizades com pessoas daqui, a não ser um ou outro contato nos trabalhos e tal.

No entanto, nos últimos meses, tenho observado bem de perto algumas características da vida dos irlandeses. Desculpa R., não resisti! Preciso compartilhar essas coisas:

1) DIZENDO OI
Irlandeses não se tocam. Não dão beijo pra cumprimentar, nada disso. Já vi amigos se cumprimentando e basicamente eles dizem "hey, tudo bem?" e pronto. Pra despedidas é a mesma coisa: nada de beijo no rosto, de abraço, de aperto de mão. Imagina a cara do R. quando eu o cumprimentei com beijo no rosto nas primeiras vezes em que nos vimos? hahaha!

Assim também nunca vi

Relembrar é viver: Brasília

/

Estive na capital do Brasil em março de 2009.

Na época, até criei um blog pra contar da viagem, mas fiz uns 3 posts e ficou por aquilo mesmo. Aí resolvi rever as anotações e fazer um post só aqui pro Barbaridades.

Era aniversário de um grande amigo, o Thiago. A gente se conheceu pela internet lá pelos idos de 2004 e desde então, foram muitos encontros em São Paulo e este em Brasília. O aniversário era dele mas quem ganhou o presente fui eu: Thi pagou minha passagem de ida e volta e ofereceu estadia na casa dele, na época, uma kitnet super pequenininha!

Cheguei relativamente cedo ao aeroporto em São Paulo, e fiquei aguardando o horário do meu vôo. Logicamente já fui ouvindo uma das mais famosas bandas de Brasília (e minha banda nacional preferida): Legião Urbana – pra ir entrando no clima.

Entrevista de emprego: childminder

/

Eu tô há meses mandando currículo para um monte de vagas diferentes: assistente em loja, operadora de telemarketing, recepcionista, vendedora, etc.

Cheguei a mandar alguns currículos pra ser au pair live out (cuidar de crianças, mas que não mora com a família), mas não tive resposta. Me cadastrei no Au Pair World, no Kangaroo, e nada.

Quando a Bia ainda tava aqui, ela me falou de um site chamado Roller Coaster - tem vários artigos e fóruns para mães no geral, e uma sessão de anúncios de nanny, childminder, au pair, etc. Você lê o anúncio, e se interessar, manda mensagem pra pessoa. A partir daí, vocês podem trocar email ou telefone pra combinar entrevistas e tal.

Museu de Cera

/

No mesmo sábado que visitei a Science Gallery também dei uma passadinha no Museu de Cera que fica ao lado do Banco da Irlanda.

Sélim me acompanhou. Logo na entrada, já paramos pra tirar foto na forca:



A entrada de estudante custa 10 euros (salgadinha, mas ao contrário do Leprechaun Museum, aqui vale mais a pena) e o passeio é livre: você entra nas salas que quiser, lê as placas sobre as estátuas que quiser e se tiver a fim, aperta o botão verde na entrada das salas pra ouvir um pouco mais sobre aqueles personagens.

Ilusões

/

Sábado retrasado tava um dia meio graça. Eu acordei desanimada, com vontade de ficar na cama o dia todo. R. tava ocupado e eu tinha o dia todo livre.

Ainda na cama, chequei meus emails do celular: tinha um da Lê dizendo pra eu não desanimar e pra fazer alguma coisa no sábado, ir passear. Ao mesmo tempo, meu amigo francês me mandou mensagem no facebook perguntando como eu estava.

Digitei "free things to do in Dublin" no navegador do celular e das opções da lista me restaram poucas, já que visitei bastante lugar por aqui. Tinha uma tal de "Science Gallery" que pareceu interessante e convidei o Sélim pra ir comigo.

A galeria fica na Pearse Street e não tem como não vê-la porque a entrada é enorme e tem um letreiro grandão no muro.

Uma vez professora, sempre professora

/

"Filha de peixe, peixinha é", mas no meu caso, "irmã de peixe, peixinha é", "prima de peixe, peixinha é", "sobrinha de peixe, peixinha é" e derivados.

Tem mó galera na família que é professor. De inglês especificamente, somente eu e o Cé.

No ano passado eu tava meio puta e fiz um post falando que tava cansada de ser professora. Mas isso logicamente era stress de final de semestre e alguns meses depois, me deu muita saudade de dar aula.

Sugeriram que eu oferecesse aulas de inglês aqui em Dublin. A princípio, não imaginei que as pessoas fossem querer - afinal de contas, eu sou só mais uma brasileira, e gringo é que é bom professor.

Anunciei aulas no grupo de Dublin no facebook e tive um bom retorno. Várias pessoas interessadas, mas quando eu falava o preço (que NÃO É ALTO, veja bem, praticamente metade do que eu cobraria no Brasil), as pessoas diziam que "iam ver". Algumas chegaram até a marcar aula, mas desmarcaram em cima da hora e desanimei.

Pede pra sair! feat. Reencontros

/

Eu não aguentei o emprego na Concern.

Desde o primeiro dia não me senti bem, não me senti confortável. Não ia dar conta, não gostei das pessoas, percebi que aquilo não era pra mim. Achei melhor "pedir as contas".

"Pede pra sair, porra!"

Mas a busca por emprego continuou: mandei currículo, saí entregando, me inscrevi em outros sites de au pair e na terça-feira fui pra uma entrevista.

Confesso que tinha mandado e entregado tanto currículo que não sabia nem qual era a vaga direito. Sabia que era relacionado à vendas, mas nem nos meus piores pesadelos pensei que fosse acontecer o que aconteceu.

Mas deixa eu começar do começo.

Mais sotaque irlandês

/

Em maio eu fiz um post falando do sotaque irlandês. Na ocasião, comentei do som do TH, do U, do R e de algumas expressões/palavras muito utilizadas por aqui.

De maio pra cá tive muito mais contato com irlandeses e tenho tido a oportunidade quase diária de conversar com os locais (certo, R.?).

E aí que minha percepção sobre o sotaque irlandês mudou um pouco e aprendi novas coisas também.

Não consegui pensar em foto melhor pra ilustrar o post...

Relembrar é viver: férias em Natal (parte II)

/

Ontem comentei da primeira parte das minhas férias em Natal, no Rio Grande do Norte. Agora voltei pra contar mais...

No dia em que chegamos lá, pegamos um táxi pra voltar do supermercado, onde passamos pra comprar coisinhas pra fazer de janta (economia em primeiro lugar, já que no hotel tinha cozinha no quarto). Fizemos amizade com o taxista e pegamos seu cartão - ele ofereceu um passeio de um dia inteiro pelo litoral sul do Rio Grande do Norte, já que comentamos que faríamos o litoral norte na nossa estadia lá.

Ele cobrou 100 por pessoa. Minha mãe não estava inclinada a fazer o passeio, mas já estávamos lá, qual a probabilidade de voltarmos? Bóra fazer o passeio e pronto.

Acordamos cedo no dia após ao passeio de buggy e o taxista nos esperava na recepção.

A primeira parada foi a Praia do Cotovelo:


Relembrar é viver: férias em Natal (parte I)

/

Em janeiro de 2012 estive na capital do Rio Grande do Norte, Natal. Foi uma viagem muito gostosa e bacana, mas na época eu não tinha o blog e nunca escrevi a respeito.

Esses dias tava lembrando da viagem quando conversava sobre praias com minha flatmate e me deu vontade de escrever sobre o RN porque se eu não escrever, esqueço. Esqueço fácil!

Como comentei aqui, tenho família em Pernambuco, e nas férias de 2012, eu, minha mãe e meu irmão decidimos conhecer as maravilhas de Natal depois de passar uns dias na casa da minha família. Decidimos tudo com 6 meses de antecedência numa agência da CVC (CVC é amor) e parcelamos as passagens + hotel em umas 5 vezes, por aí.

O hotel a princípio era simples mas bem localizado, na praia de Ponta Negra.

O segundo dia de trabalho

/

O meu primeiro dia na Concern foi uma droga, muito ruim. Foi tão ruim que pensei: "pior não pode ficar, né?".

Assim, fui pro segundo dia um pouco mais confiante.

Só que tem chovido muito aqui e eu não imaginei que essa chuva toda pudesse causar trânsito aqui. Trânsito que me fez chegar atrasada. Afff. Eu podia usar a desculpa do trânsito o tempo todo em São Paulo, mas aqui é complicado, né?

Quando percebi que o ônibus não tava andando mesmo, desci e fui indo a pé. Liguei no escritório e avisei que chegaria uns 10 minutos atrasada e corri na chuva pra pegar outro ônibus pra subir a Aungier Street.

Cheguei. A equipe estava me esperando - iríamos a pé até a Pearse Station pegar o trem pra Shankill, uma estação antes de Bray.

Chovia muito e fiquei ensopadíssima. No caminho, eu pensava "que droga, não preciso disso" ao mesmo tempo em que pensava "preciso do emprego, é só água".

Pegamos o trem e uns 25 minutos depois chegamos no local. Estava ensolarado, então ao longo do dia deu pra secar pelo menos.

A região tinha umas pessoas mais amigáveis e não levei tantos "nãos" na cara. Consegui conversar com algumas senhorinhas e tal. Mas não consegui nenhuma doação, nenhuma.

Mas eu até entendo, sabe? Porque eu também não daria informações bancárias pra alguém batendo na minha porta.

E o dia demorou a passar.

Mas ele acabou. E ainda tava muito infeliz...

Festival de Comédia

/

O blog tá meio pra baixo ultimamente, então vou dar uma mudada de assunto porque hoje é sexta-feira!

No último final-de-semana rolou o Vodafone Comedy Festival aqui em Dublin.

Quem me falou foi o R., mas vi alguns cartazes pelas ruas da cidade. Achei a "arte" do festival muito bonitinha, dá pra ver no site os bonequinhos e os desenhos.

O Festival aconteceu no Iveagh Gardens e trouxe diversos comediantes famosos por aqui, tipo Dylan Moran (não gosto muito), David McSavage (vi no Comedy Club e gostei) e Tommy Tiernan.

Alguns amigos do R. vieram de Cork pro festival e queriam ver o "Whose line is it anyway", programa originalmente britânico que depois ganhou versão americana. É basicamente um programa de improviso, onde a platéia sugere as situações e personagens e os caras vão fazendo na hora (tipo os Barbixas no Brasil).

O Iveah Gardens tava lotado, cheio de tendas lindas e coloridas - tenda de bebidas, café, crepes e doces. Tinha até gente andando em pernas-de-pau!


O primeiro dia como fundraiser...

/

... foi uma droga, uma droga.

Cheguei no escritório da Concern às 11h e terminamos o treinamento com um team leader - ele explicou como utilizar o aplicativo que eles usam pra cadastrar as informações das pessoas quando elas topam fazer doações. A gente "ganha" um celular (galaxy alguma-coisa) da empresa no dia pra poder usar esse aplicativo e o devolve no final do dia pro team leader.

Lá pelas 11h45 o local já tava cheio de outros fundraisers esperando pra saber em que time eles estariam no dia. Alguns vieram se apresentar pra gente, alguns não.

Dividiram os times. Fiquei num time com 3 caras: P., que é do Malawi e líder do time; D., irlandês que estava em seu último dia de trabalho e L., também irlandês há alguns meses na empresa.

Pegamos o ônibus com o pessoal de outro time que iria pra mesma região que a gente (Cabra, perto de onde eu morava antes). No caminho deu pra ver que o céu tava bem cinza e que logo começaria a chover. E pouco antes de descermos do ônibus, caiu O MAIOR PÉ D'ÁGUA DA HISTÓRIA. Nos abrigamos debaixo de uma árvore, mas ela não deu conta. Fiquei ensopada e muito frustrada - pegar toda essa chuva logo no meu primeiro dia de trabalho?!

Web Analytics

@blog_barbaridades

Back to Top