Opiniões de um irlandês sobre o Brasil - parte III

/

Este é o terceiro de quatro posts com as impressões do R. sobre o Brasil. Resolvi seguir uma lógica meio não-linear e deixei um último assunto para o final (a barreira linguística) - é um tópico que me interessa e que quero desenvolver melhor.

Bom, no primeiro post nós lemos a introdução e as opiniões do R. sobre a comida e o povo brasileiro. No segundo, sobre o transporte, segurança e paisagem e arquitetura. Neste terceiro, riqueza e pobreza, SP X Rio e outras observações gerais. Bóra!

Wealth and poverty

Like every country in the world, there is a gap between the rich and poor in Brazil.  I don’t think I can quantify the gap, but I can say that the amount of homeless people in São Paulo caught me by surprise.  I don’t know how much bigger of a problem homelessness is in Brazil compared with Ireland, but it certainly seemed a lot bigger.  However that could just be a consequence of the size of the city – it’s much bigger than Dublin and logically there will be many more homeless people.  Furthermore, the stories from Bárbara and her friends about the wealthy students they teach were hard to believe.  I think the middle class in Brazil is quite large, as it is in Ireland, but middle class in Brazil appears much more challenging than Ireland – in São Paulo at least.

São Paulo vs Rio

This will be a controversial topic I understand.  While I had a great time in São Paulo, I think Rio has more to offer a tourist.  It lives up to its nickname of cidade maravilhosa.  It also seems to be a little easier to get around, with English information in metro stations and it’s a smaller city (though still huge by Irish standards).  We didn’t speak with many cariocas, but they seemed helpful enough when we asked for directions.  Also, Rio has the beach – as an Irish person this is appealing since the climate is right for the beach.

Que o Rio é mais bonito eu já sabia!

Miscellaneous observations

In Brazil, people kiss each other for hello and goodbye.  This tends to mean a lot of kissing.  While I’m comfortable with this, it seems like overkill at a party with 20 people!  I have witnessed and participated in this custom, and I’m glad that in Ireland I can leave a party with less work :)

Lastly, my phone didn’t work in Brazil.  This was a shock, since it has worked everywhere else I’ve been. The problem was that I have a prepay phone and my network (Meteor) doesn’t support roaming in Brazil by default.  I would have needed to register for roaming in advance of the trip.  Live and learn.

Conclusion

So that’s all I have to say on Brazil.  I’m sure I’ll be back again – I miss the food already!  I’m curious as to how this post will be received, so if there are some questions/corrections, leave them in the comments and I’ll try to respond through Bárbara.  On that subject, I know Bárbara has some work on her hands to translate this into sensible Portuguese.  However I invite you all to read the blog as I do for once – via Google Translate.  It should be good for a few laughs!

------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Riqueza e pobreza

Como em todo país do mundo, há uma discrepância entre os ricos e pobres no Brasil. Eu não acho que posso quantificar essa discrepância, mas eu posso dizer que o número de pessoas sem-teto em São Paulo me pegou de surpresa. Eu não sei o quão grande é o problema dos sem-teto no Brasil comparado à Irlanda, mas certamente pareceu bem maior. No entanto, isso pode ser somente uma consequência do tamanho da cidade - é muito maior do que Dublin e logicamente haverá muito mais pessoas sem-teto. Além disso, as histórias da Bárbara e seus amigos a respeito dos alunos ricos que eles ensinam são difíceis de acreditar. Eu acho que a classe média no Brasil é bem larga, assim como na Irlanda, mas a classe média no Brasil parece ser bem mais desafiadora do que na Irlanda - pelo menos em são Paulo.

São Paulo X Rio

Isso será um tópico controverso, eu entendo. Ainda que eu tenha me divertido em São Paulo, acho que o Rio tem mais a oferecer a um turista. Ele faz jus ao seu apelido de cidade maravilhosa. Também pareceu que é mais fácil de se locomover no rio, com informações em inglês nas estações de metro e é uma cidade menor (embora ainda gigante pra padrões irlandeses). Nós não conversamos com muitos cariocas, mas eles pareceram muito gentis quando pedimos por direções. Ah, e no Rio há praia - como um irlandês isso é muito chamativo já que o clima lá é perfeito pra praia.

Outras observações

No Brasil, as pessoas se beijam pra dizer oi e tchau. Isso significa que vai ter muito beijo. Ainda que eu esteja confortável com isso, parece meio exagero beijar todo mundo numa festa com 20 pessoas! Eu testemunhei e participei desse costume e estou grato que na Irlanda posso sair de uma festa com muito menos trabalho.

Por fim, meu telefone não funcionou no brasil. isso foi um choque, já que ele funcionou em todos os outros lugares onde estive. O problema é que eu tenho um telefone pré-pago e minha operadora (meteor) não funciona no Brasil por padrão. Eu deveria ter me cadastrado para o roaming antes da viagem. Vivendo e aprendendo.

Conclusão 

Então isso é tudo que dizer sobre o Brasil. Tenho certeza que voltarei - já sinto falta da comida! Estou curioso pra saber como esses posts serão recebidos, então se há perguntas ou correções, deixem nos comentários e tentarei responder pela Bárbara. E falando nisso, sei que a Bárbara tem um trabalhão nas mãos pra traduzir isso em um português sensato. No entanto, convido a todos a ler o blog como eu leio pelo menos uma vez - pelo Google translator. Deve ser bom pra dar umas risadas!
Web Analytics

@blog_barbaridades

Back to Top