Dublin não é pequena

/

Pedalar por caminhos conhecidos é fácil, quero ver pedalar no desconhecido. Nessas horas, eu queria mesmo era um óculos tecnológico que me mostrasse o caminho tipo um gps na minha cara, porque não tá fácil parar de 5 em 5 minutos pra checar endereço.

Não, e não é só checar endereço não. É pedalar um tempão na rua errada e depois perceber que você tem que voltar, é ficar agoniada com o possível atraso pro compromisso. Mas pelo menos tô conhecendo altas regiões da cidade! Lembro quando cheguei em Dublin: era um tal de checar caminho de ônibus, já que fui pra vários cantos a procura de casa e passei por D4, D5, D3...

Na semana passada eu tinha que estar às 7h30pm em Rathfarnham pra uma entrevista. Nunca tinha ouvido falar no lugar mas aceitei porque preciso de emprego, né? Pesquisei no maps, que me deu um caminho meio difícil, mas eu fui.

O vermelho são as paradas, idas e vindas...

Tava indo bem até certo ponto, mas foi um vem e vai e para e checa celular que acabei levando 1 hora e meia pra um percurso de 30 minutos (na volta levei 30, quando eu já tava ligada no rolê).

Esses dias foi a mesma coisa: tinha que estar às 6h30pm em Goatstown (oi?). Olha no google maps (que me deu o caminho mais bizarro) e vai - pelo menos dessa vez o caminho era um pouco mais direto e parei menos vezes pra checar o mapa. Ufa!



Nesse caso, se eu tivesse pedalado um pouquinho mais teria ido por um caminho que já estou familiarizada e depois seguido uma só reta. Vivendo e aprendendo a interpretar o google maps!

Hoje percebo que Dublin não é uma cidade tão pequena assim não. Apesar da tal divisão entre D1, D2, etc. e norte e sul, cada região tem suas mini regiões - por exemplo, em D4 tem Ballsbridge, Donnybrook, Irishtown, Merrion, Ringsend, um pedacinho do Grand Canal Dock e Sandymount. Acho legal conhecer a cidade assim com mais intimidade, e pedalando eu sinto uma "conexão" muito mais forte com as ruas do que de ônibus. Porque no ônibus eu tô mexendo no celular, olhando pro teto, dormindo, menos prestando atenção no caminho. Ao pedalar, você tem que olhar ao redor, aí não tem jeito, acaba lembrando nome de rua mesmo.

Acho engraçado brasileiro que vem pra Dublin e fala que a cidade é igual cidade de interior, que não tem nada pra fazer, que é pequena. Isso deve ser porque o cidadão frequenta isso aqui:


Tem muito mais cidade pros lados, pra cima e pra baixo desse circulo vermelho, mas é esse meio que a galera frequenta: da Parnell (lado norte) ao Stephen's Green (lado sul).

Mas o que eu quero mesmo é o meu gps de bicicleta.
Web Analytics

@blog_barbaridades

Back to Top