Limerick e um pouco do Obama

/

O que mais gosto no intercâmbio é poder conhecer o máximo da cultura local (e de outras também). A Irlanda é um pais muito rico nesse aspecto, com muita literatura, música, história, lendas e esportes diferentes, e tento absorver tudo o que posso. 

Há alguns meses tive a chance de ver um jogo de hurling - esporte típica e exclusivamente irlandês no estádio Croke Park. Adorei e acrescentei na minha listinha mental "assistir futebol gaélico e rugby", esportes também populares aqui. 

Um dos amigos do R. curte muito rugby e nos deu dicas de bons jogos para assistirmos. Ele acabou reservando ingressos pro jogo Munster x Leinster que aconteceu no dia 5 de outubro no estádio considerado o melhor do mundo para o rugby, o Thomond Park em Limerick. 

Eu já havia passado por Limerick na minha viagem pela Irlanda em junho, mas não conheci nada lá. Resolvi unir o útil ao agradável e fomos mais cedo pra lá pra poder dar tempo de turistar um pouco. 

O que não deu muito certo. Quer dizer, deu e não deu. 


Limerick é a terceira cidade mais populosa do país. Foi um dos primeiros lugares aqui a receber os vikings lá pelo ano 800 e depois pelos normandos. Segundo o meu guia, até tinha algumas coisas bacanas de se fazer lá: Limerick City Museum, o Hunt Museum, St. Mary's Cathedral e o principal, King John's Castle. 

O foda é que não acordamos muito cedo no sábado e acabamos ficando uns 40 minutos parados na rodovia pois um acidente havia acontecido na M7. Chegamos em Limerick no início da tarde e começamos o turismo pelo centro, nas ruas O'Connell e Parnell (sim, nomes repetidos eternamente em ruas pelo pais inteiro). 



Estátua do ator Richard Harris - eu não sabia que ele era de lá!

O plano era começar pelo museu da cidade, mas ao checar o endereço no celular - tcharãm, museu fechado no fim de semana. Poxa, gente!

Fomos então pro castelo. É bem fácil chegar a pé e olhando de fora você não dá nada - até porque a entrada do museu é meio que em outro prédio à parte do castelo. A entrada pra estudante é uns 8 euros (não lembro) e cara... Que museu. Que castelo. 




O melhor museu e o melhor castelo que já visitei nesse pais. Foi sensacional e conto tudo em detalhes depois. Por isso, vou pular pro fim do dia. É que rolou o rugby nesse meio tempo, mas foi tão legal que também vou escrever um texto só pro rugby. 

No final do jogo voltamos pro centro pra comer alguma coisa. As ruas estavam relativamente cheias - nada comparado a Galway ou Dublin, mesmo em dia de jogo - mó galera ouvindo música na rua, tomando uma cerveja e tal. 

No caminho de volta observamos que o céu tava muito, muito claro e portanto dava pra ver muuuuitas estrelas. Resolvemos parar para apreciar com calma, mas o melhor não foi parar em qualquer lugar da estrada. Queríamos um local sem luzes e tranquilo pra parar o carro, quando lembramos que na ida pra Limerick vimos a placa de uma cidade chamada Moneygall. E o que Moneygall tem de especial? Parentes do presidente Obama! Hahaha

Ele esteve lá recentemente e tem placa indicando isso, tipo "Moneygall - cidade onde o Obama tem parentes". Nós pegamos a saída da cidade e ela tava bem vazia, mas algumas coisas não passaram batidas, como o pub onde o presidente americano tomou uma pint e esse café aqui:



Irlanda, cê é demais mesmo!

ps.: nos próximos capítulos, cenas do rugby e do melhor museu que visitei aqui.
Web Analytics

@blog_barbaridades

Back to Top