Irmãos e irmãs

/

Eu cuido de duas menininhas fofas: a C. de 17 meses e a É, de 2 anos e 7 meses.

Elas me irritam de vez em quando, mas na maior parte do tempo, acho elas fofas e me impressiono com as coisas que elas fazem e falam. No entanto, o que mais me chama a atenção é a obsessão da mais nova com a mais velha.

Obsessão talvez seja uma palavra forte demais. Mas gente, a bichinha é louca pela irmã. Quando acorda, a primeira coisa que ela diz é o nome da irmã. Quando a É. vai pra escola, C. chora e fica repetindo o nome dela por muito tempo. Quando falo que vamos buscar a É. na escola, a pequena sai correndo pro carrinho toda feliz.

Eu acho muito fofo. Toda hora ela quer mostrar as coisas pra irmã, quer brincar com ela, quer ter a aprovação dela.

Me faz pensar muito no meu irmão.

Não lembro dele ser assim grudado comigo quando éramos mais novos, mas bem o contrário: por ser a irmã mais velha, eu sempre gostei de cuidar e protegê-lo. Nas nossas fotos de criança, tô sempre agarrando e sufocando o coitado:

Montagem que fiz no aniversário dele no ano passado


E aí fico pensando: como é bom ter um irmão. Porque amor de irmão é diferente de amor de mãe, de pai, de vó, de tia... nós somos fruto das mesmas pessoas. Tivemos a mesma educação, crescemos na mesma casa, comemos a mesma comida, dormimos no mesmo quarto... quanta coisa você divide com um irmão. O meu ainda divide gostos musicais (alguns né, seu indie?), séries de TV e profissão.

Além disso, a gente nem precisa falar muito pra se entender - dada a situação, só precisamos olhar um pro outro pra saber o que o outro tá pensando! Muitas coisas em comum e muitas piadas internas.

Eu vejo as fofinhas brincando juntas e sempre fico com um sorriso no rosto - como é bom crescer com um irmão!

Cé, sinto tanto a sua falta. You know that, you know... But soon, we'll be together, bitch!
Web Analytics

@blog_barbaridades

Back to Top