Um dia em Liverpool - a segunda parte

/

Ontem contei um pouco sobre a chegada a Liverpool, o cartão do ônibus, o Museu dos Beatles, Elvis Presley e Museu de Liverpool.

Falei, falei, falei mas acabou faltando uma coisa muito, muito importante: meu primeiro karaokê fora do Brasil foi em Liverpool, cantando "Yellow Submarine" e "From me to you". Me senti realizada! (tinha uma cabine de karaokê no museu e foi muito, muito, muito divertido!)

Voltando à programação normal: saindo do museu, fomos para o terminal Liverpool One pegar o ônibus 76 com destino a Penny Lane - na verdade, outros ônibus passam lá também. Pedimos pro motorista avisar quando chegasse e uns 20 minutos depois, lá estávamos:

penny lane


De acordo com o nosso roteiro, precisaríamos pegar o mesmo ônibus, o 76, pra chegar na casa do John Lennon. Fomos pro ponto de ônibus e perguntamos prum senhorzinho se a casa estava longe - ele disse que não, que era só seguir a rotatória e virar à esquerda. Fizemos isso, até perceber que estávamos no começo da Menlove Avenue, e precisaríamos ir até o número 251. Logo, resolvemos pegar o ônibus mesmo.

Foi uma sensação estranha e sensacional estar na frente da casa do grande mito John Lennon. Há uma pequena placa indicando a casa dele na frente e uma outra no muro. Tiramos algumas fotos e ficamos ali alguns minutos, refletindo sobre o fato de estarmos ali, onde John Lennon cresceu, onde passou sua adolescência, onde começou a se interessar por música.


De acordo com o mapa, Strawberry Fields era algumas ruas pra trás. Seguimos felizes esperando ver placas e muitos avisos de "ó, cê tá chegando em Strawberry Fields (forever)", mas que nada. A rua tava em reforma, não tinha ninguém ali e pra fotografar, só a grade vermelha e uma placa indicando o local, que costumava ser um abrigo onde John passava suas tardes.




Tínhamos poucas horas pra voltar pro centro e conhecer o Cavern Club.

Pegamos o ônibus 76 de volta e descemos um ponto antes do final - ali tem várias placas indicando os "pontos turísticos" de Liverpool. Aquela região me lembrou muito Dublin, porque tinha um calcadão enorme cheio de lojas (tipo a Grafton) e ruas estreitas cheias de pub e gente bêbada (tipo o Temple Bar). Tiramos fotos com a estátua do jovem John, tiramos fotos na frente do pub mas não entramos porque já tava bem em cima e precisávamos voltar pro terminal pra pegar o ônibus de volta pro aeroporto.



Chegamos em Liverpool One e graças aos letreiros digitais, pudemos observar que o próximo ônibus pro aeroporto partiria às 20h10. A gente tava morrendo de fome e cogitamos passar no Tesco ali perto e comprar outro meal deal, mas... dava tempo? Tínhamos pouco mais de 10 minutos. E fomos. Andamos rapidinho, demos uma corridinha, compramos o lanche, voltamos e conseguimos pegar o ônibus! Masssss, o ônibus não era o expresso e demorou MUITO pra chegar no aeroporto. Quando eu digo muito, é muito mesmo, porque chegamos lá às 21h05, e nosso embarque deveria ser feito até 21h20. E corre pra cá, apresenta passaporte, corre pra lá, passa pela segurança, tira a bota, tira o casaco, tira o cachecol, passa pelo detector de metal, coloca tudo de novo, sai correndo e ufa! Deu tempo de fazer check-in!

No terminal tem lista de ônibus e destinos: muito útil!

O vôo de volta surpreendentemente foi ainda mais rápido do que o da ida - foram 25 minutos. VINTE E CINCO!

Em Dublin, a ideia era comprar o ticket que dá direito a pegar o ônibus saindo do aeroporto (número 16) e integração com algum outro ônibus na cidade - o que não rolou, porque a maquininha do aeroporto tava quebrada e tivemos que pagar o ônibus com moedas mesmo. Tudo bem, o único problema seria ter que gastar mais moedas pra pegar outro ônibus do centro pra casa. Só que chegamos no centro pouco mais das 11 e meia da noite e não tinha mais ônibus pro centro. A solução pra mim foi comprar o ticket do nitelink e esperar o primeiro ônibus, o da meia-noite.

Enquanto esperava no ponto, uma senhora se aproximou com um papelzinho escrito "39N" (o número do ônibus que eu estava esperando) e apontou pro ônibus. Na hora percebi que ela não falava inglês, sorri e confirmei com a cabeça que aquele era o ônibus certo, mas que ainda não tava no horário. Mostrei a hora no celular e expliquei que ainda demoraria uns 15 minutos. Aí ela sorriu de volta, agradeceu e perguntei de onde ela era. Ela, toda empolgada, disse: "Turkey!"

Aí falei: "Turkey?! Nice! I've visited Istambul!", e ela, numa empolgação ainda maior, apontou pra si e disse "Yes, yes, me, Istambul"

Continuei a conversa: "Are you in Dublin to visit?"

Ela não entendeu, repeti o "visit" e ela disse "No, no no.... daughter.... baby... me... vacation!"

Tá bom então. Ela me ofereceu um cigarro, recusei e logo o ônibus chegou. Como é bom estar de volta!

------------------

GASTOS DA VIAGEM:

Passagens - 34 euros ida e volta
Transfer pro aeroporto - 17 euros, que dividimos em 3 pessoas, então 5,60
Cartão do ônibus no aeroporto - 3,60 libras (na cotação que comprei, 4 euros e 20)
Entrada pro museu dos Beatles: - 12 libras (14 euros e 30)
Lanche no Tesco (foram dois meal deal e mais umas bolachinhas) - 7 libras (8 euros e 30)
Ônibus em Dublin pra voltar do aeroporto: 2,80 euros
Nitelink pra voltar pra casa: 5,70 euros

TOTAL (medo): 74 euros e alguns centavos.

Mais algumas fotos de Liverpool:

Web Analytics

@blog_barbaridades

Back to Top