Lendas, mitos e folclore irlandês

/

Lembra do Saci, do Negrinho do Pastoreio, da Mula-sem-cabeça, do Boto cor-de-rosa, do Curupira, entre outros personagens do folclore brasileiro?

Pois é. Aqui na Irlanda tem um monte de personagem e história maluca (porque gente, o boto é um cara que conquista a mulherada, engravida e cai fora, o curupira tem os pés pra trás, o saci é mó malandrinho e tal... tudo meio bizarro/esquisito, né?) também.

Antes de vir pra cá, eu basicamente conhecia o Leprechaun, que esconde o pote de ouro atrás do arco-íris e usa roupinha verde.

Mas, tem muito, muito mais coisa.

Domingo passado fui ao Leprechaun Museum com o Rick aprender um pouco mais sobre o folclore irlandês. A entrada de estudante é 10 euros (o que achei bem caro para o que o museu oferece, mas enfim), a visita é guiada e dura em torno de 1 hora.


A guia é irlandesa, ou seja, tem um sotaque do cão, e fala muito, muito, muito rápido. Pra quem não tem o inglês afiado vai acabar perdendo bastante informação, porque basicamente a visita toda depende das histórias contadas pela guia.

A visita começa pelo túnel que nos leva até a casa do gigante, onde você tem a possibilidade de se sentir como um leprechaun perto dos móveis enormes. Eu particularmente me senti igual aquela personagem do Rá-Tim-Bum que tinha umas trancinhas e uma voz bem irritante!

Subir nessa poltrona exigiu muito esforço. Meu e do Rick! hahaha

Depois da sala do gigante, atravessamos o arco-íris e somos levados à sala do Leprechaun, onde a guia explica uma de suas mais famosas histórias - a história do homem que ganhou de presente de um leprechaun uma bolsa que sempre teria dinheiro dentro. O homem deixou o dinheiro subir à cabeça, gastou com as coisas mais caras e no fim, o leprechaun pegou o presente de volta porque o homem ficou muito ambicioso.



De lá, seguimos pra sala das fadas, que podem ser bem mais assustadoras do que as fadas da Disney. Tem as banshees, um tipo de fada que podem aparecer de diversas maneiras e trazem má sorte. Pra evitar que estas entrassem em suas casas, as pessoas colocavam um balde/vasilha com água na porta de casa. Tem também as merrows e a Pooka, a fada mais temida do folclore irlandês.


Depois de ouvir tanto sobre duendes, fadas, gigantes e ficar até um pouco cansado de tanta história, a guia nos leva para um sala com um poço onde podemos fazer um desejo - e ela conta a história do Salmão da Sabedoria, história que eu não tinha conhecimento antes e achei muito, muito legal. A guia contava a história com tanta emoção e diferente entonação que até eu fiquei meio emocionada.

Por fim, a gente passa por um espaço externo onde podemos tirar fotos como leprechauns felizes e saltitantes:



Aí te levam pra lojinha do museu, pra você ficar morrendo de vontade de comprar os livros sobre mitologia celta, os chaveirinhos, as canequinhas, as coisinhas, tudo! E tirar mais fotos de leprechauns, claro. Como mencionei acima, o preço é salgadinho pela simplicidade do museu, mas dá pra aprender bastante e se divertir com as fantasias e cenários!


Web Analytics

@blog_barbaridades

Back to Top