Futebol ou hurling, pra mim tanto faz

/

Esse título aí é tudo mentira, tá?

Eu nasci no país do futebol, torci em muitas Copas do Mundo, vi muito jogo na TV mas sempre achei futebol um esporte meio sem graça, porque dura 90 minutos e às vezes não acontece simplesmente nada. NADA.

Todo esse blá-blá-blá pra dizer que no último domingo eu fui ver um jogo de hurling.

Hurling? Como assim?

Hurling é um esporte totalmente irlandês que eu descreveria como uma mistura de handball com tacos. São 15 jogadores de cada time e o objetivo é marcar pontos ou gols. Os pontos são marcados quando a bola (pequena, quase não se vê durante o jogo) cruza as estruturas que ficam acima do gol. Os gols são marcados como no futebol - quando a bola ultrapassa a linha - e valem 3 pontos. Ah, os jogadores só podem pegar a bolinha do chão com o taco e só podem andar com ela na mão por no máximo 4 passos.


Os jogadores usam uma proteção na cabeça - tipo futebol americano - e correm muito durante a partida (que tem dois tempos de 35 minutos). Eles se empurram, se batem, caem no chão pra logo em seguida se levantar - não tem aquele drama todo que jogador de futebol adora fazer. Por se tratar de um jogo rápido, você acaba se divertindo muito mais porque tem ponto novo a todo minuto. O curioso é que hurling é um esporte amador, então os jogadores na verdade são pessoas como eu e você (não exatamente como eu porque eu sou uma molenga), que trabalham e têm suas vidas ocupadas além do esporte.

Um dos pontos altos da experiência toda, pra mim, foi fazer todo o processo na companhia de irlandeses: pub, caminhada ao estádio, jogo, pub de novo. A cidade tava num clima bem gostoso, com famílias, casais, crianças e velhinhos indo ver o jogo - sem contar o calor, que me deixou bronzeadíssima. Tava um sol de rachar!

O Croke Park é um estádio lindo, mas pena que não tava cheio - R. me disse que na final, em setembro, o estádio lota porque todo mundo quer ver. O jogo que vi foi Dublin vs Galway.



R. tem família em Galway e seus familiares que estavam lá no estádio vestiam bordô - a cor da camisa de Galway. Eu "tive" que torcer pra Galway, mas no fundo no fundo, tava torcendo pra Dublin e sua camisa celeste - não é aqui que eu moro, poxa? (R., não fica bravo! hahaha)

Antes do jogo começar, assim como no futebol, rolou o hino nacional. Colocam a letra no telão (o que não ajudou muito, porque o hino é em irlandês, risos) e todo mundo cantou super empolgado. Eu achei lindo e me emocionei!

O primeiro tempo foi bem acirrado, mas Dublin saiu na frente. O povo incentivava os jogadores, gritava, levantava, aplaudia - e tudo na maior paz, já que torcedores de ambos os times sentam juntos, não há separação de acentos por torcida. Já no início do segundo tempo Galway deu uma ameaçada, mas Dublin fez outro gol e a galera foi à loucura. Aí não tinha muito o que o time de Galway fazer, mas lutou até o fim.



A torcida de Dublin gritava "Come on you boys in blue". Foi lindo! Fiz um videozinho bem amador do jogo. Valeu muito a pena, foi uma experiência muito bacana e inesquecível:


Web Analytics

@blog_barbaridades

Back to Top