Mais um final feliz (?)

/

Há alguns dias comentei que fiz uma entrevista na Oxfam. Passei e fui chamada pra começar, mas optei por uma outra empresa que também havia me chamado. Eis a história:

Me ligaram pra fazer uma entrevista na Concern. Eu tinha aplicado pra essa vaga pelo jobs.ie - a vaga era pra ser door-to-door fundraiser (expliquei o que é fundraiser aqui).

O escritório deles é super chique e a entrevistadora era muuuuuito simpática. Na verdade, eram dois entrevistadores. 

Além de mim, haviam 4 candidatos: outro brasileiro, um polonês e uma irlandesa. 

Na primeira parte da entrevista, pediram pra que ficássemos em pé e nos apresentássemos. Até aí, nada de mais: falei minha idade, de onde sou, há quanto tempo estava em Dublin e um pouco da minha experiência. O entrevistador disse que meu inglês era muito bom e que sua esposa também era de São Paulo, do Alto da Lapa (mundo ridículo de pequeno, ridículo - mas acho que ganhei uns pontos aí...).

Depois disso, eles saíram da sala por alguns minutos e pediram pra gente pensar numa apresentação de 2 minutos sobre algo que gostássemos - qualquer coisa. Eles queriam ver como a gente se saía, nosso tom de voz, o modo como movíamos as mãos ao falar, essas coisas. 

Eu não fazia idéia do que falar na tal apresentação. Algo que eu gosto? Sorvete. Séries de TV. Viajar. Idiomas. Aí resolvi falar sobre como passeios culturais e museus podem ser legais. 

O polonês falou sobre andar de bicicleta, o brasileiro falou sobre voleibol e a irlandesa sobre história. 

Quando acabamos, eles saíram da sala mais uma vez pra conversar sobre nosso desempenho mas logo voltaram. Ao voltar, a entrevistadora agradeceu o nosso comparecimento e disse que o meu formulário e o da irlandesa estavam incompletos - eles enviaram esse formulário por email e pediram pra gente levá-lo preenchido no dia. Os meninos estavam com o formulário em ordem e foram dispensados. 

Quando eles saíram da sala, a entrevistadora diz: 

- Opa! Essa é a segunda parte da entrevista!

A história do formulário foi só uma desculpa pra gente ficar na sala. 

Aí fizeram perguntas mais especificas sobre os nossos currículos e sobre nossa experiência com atendimento ao cliente e como lidar com o publico. 

Pediram também duas referências. Eu dei a referência da Cultura Inglesa e da empresa que trabalhei aqui fazendo demonstração em supermercado

Eu fiquei animada porque a empresa pareceu bem séria e paga bem. Pagam a hora mínima se você não consegue doações no dia e a cada doação, a sua hora do dia aumenta 2 euros. Ou seja, com 3 doadores no dia você consegue fazer 15 euros a hora!

Eles disseram que teriam mais um grupo pra entrevistar naquela semana e que checariam nossas referências e por esse motivo demorariam alguns dias pra dar o resultado. 

Demorou uns 4 dias, mas eles deram o resultado: fui aprovada! Teria que providenciar cópia dos documentos (passaporte, GNIB, PPS) e uma foto tipo passaporte, além da carta de férias da escola, já que o trabalho é full-time e eu não poderia estar frequentando as aulas. 

E com os documentos solicitados em mãos, fui pro treinamento... Mas essa história eu conto depois.

Opa, fui contratada!

Web Analytics

@blog_barbaridades

Back to Top