Cork City Gaol - a prisão

/

Falei aqui sobre minha ida à Cork e alguns passeios que fiz por lá. Resolvei deixar a prisão de lado pra falar dela com mais carinho aqui.


Essa é a segunda prisão desativada que conheço. A primeira foi Kilmainham, no começo de abril. De fato, elas são bem parecidas fisicamente, mas acho que a grande diferença é que a prisão de Dublin recebia principalmente presos políticos, enquanto em Cork os prisioneiros eram "gente como a gente", pessoas que cometiam pequenos delitos.

O tour começa no pátio principal e o guia vai falando sobre algumas pessoas que passaram pela prisão. Pena que o guia estava meio de má vontade - também, era domingo, e um domingo lindo de sol e ele tava lá, trabalhando.



A Cork City Gaol foi construída em 1816 e os primeiros prisioneiros foram pra lá em 1824. Quase 100 anos depois, em 1923, a prisão foi desativada. O incrível da experiência é que há estátuas de cera representando os presos e os guardas da prisão - o que acrescenta uma sensação mais real e até assustadora ao passeio todo.

Uma das primeiras celas é a de Thomas Raile - preso por roubar livros. Na época, os governantes da prisão acreditavam que as pessoas poderiam se arrepender e se tornarem pessoas melhores através da religião. Por isso Thomas é retratado rezando com um padre em sua cela:


Depois o guia fala sobre outros prisioneiros, como Mary McDonnell, que com 23 anos foi condenada a trabalhos forçados por não cuidar bem de seus 6 filhos depois que o marido morreu e ela recorreu à prostituição. Tem também Mary-Ann Twohig, que só não foi forçada a trabalhos forçados pois estava grávida e acabou tendo o seu filho lá. Após alguns meses, os caras acharam melhor liberar Mary-Ann pois o bebê poderia adoecer na prisão. Não se sabe o que aconteceu com ela depois disso, mas provavelmente a criança morreu de alguma doença ou de fome - o que era muito comum na época. Inclusive, muitos voltavam a cometer os mesmos crimes pois sabiam que na prisão teriam comida três vezes ao dia...



O guia ainda fala sobre outras figuras que passaram por ali, como Henry White, canastrão que engava as pessoas dizendo ser filho de gente importante, pegando dinheiro emprestado e dando o cano em todo mundo (RISOS). Outros nomes mencionados: Cornelius Kelleher (tirei foto do nome pra pesquisar mais depois e... não acho nada do cara na internet! afff) e Edward O'Brien, menino de 9 anos preso por roubar duas torneiras de latão - ele foi condenado a três semanas e era chicoteado duas vezes por semana!

Henry White passando a perna na geral


Gente, 9 anos de idade!

Tem ainda outra prisioneira, a Mary Sullivan, que foi pega por roubar UM PEDAÇO DE PANO e foi condenada a 7 anos de prisão. Mas ela só foi condenada a todo esse tempo porque era boa costureira e ajudava inclusive a costurar coisas para a prisão. Sendo assim, eles não queriam perder prisioneira tão preciosa... que horror, né?


No entanto, uma das informações que mais me chocou no tour todo foi que os guardas da prisão não poderiam sair dela também - muitos deles inclusive traziam esposa e filhos pra morar com eles lá. Eles dividiam pequenos cômodos e muitas dessas crianças nasciam e cresciam na prisão sem nunca terem visto o mundo lá fora.

Mas mudando de assunto: dá pra conhecer os jardins, o escritório do governador da prisão e ver a entrada de um túnel que dava acesso ao mundo exterior - é que o governador não queria levar a família dele pra lá e passar o tempo todo ali, então ele mandou cavar um túnel que passava por baixo da construção e dava no outro lado da rua, numa casinha com chaminés. Só que às vezes uns caras do Governo Britânico vinham inspecionar e numa dessas inspeções, descobriram o túnel. Infelizmente não dá pra visitá-lo porque segundo o guia, ele tá inundado por baixo.


Ao final do tour você pode andar livremente pela prisão se quiser e passar na lojinha, é claro - que tinha muita coisa baratinha, principalmente livros. Fiquei tentada, mas não queria gastar, sabe como é? Avistei um dicionário de inglês-irlandês e fiquei morrendo de vontade... tava baratinho, apenas 3 euros, aí comprei.

Se você for pra Cork algum dia, recomendo uma visita à prisão. Caso não haja tour na hora que você estiver lá, tem áudio-guias e textos pra acompanhar também!

Mais algumas fotos:

Inscrições nas paredes das celas

Os guardas passando o tempo

Réplica de jornal com vários dados históricos da prisão

O governador da prisão

Olhando dessa distância, parecia um cara de verdade

ps: Dois links (em inglês) bem legais que encontrei de gente que visitou a Cork City Gaol também: este aqui e este outro. Vale a leitura!
Web Analytics

@blog_barbaridades

Back to Top