A cor do meu batuque tem o toque tem o som da minha voz

/

Se você leu o título desse post e completou com "Vermelho, vermelhaço, vermelhusco, vermelhante, vermelhão", cê tá ficando velho, hein? hahaha (e se você não entendeu porra nenhuma, clica aqui e aqui).

Brincadeirinha. É que eu enjoei do cabelo rosa - depois de quase um ano com ele assim, eu queria mudar mas não pra uma cor muito diferente, já que eu não queria ter que descolorir o cabelo de novo. O foda de descolorir é que o cabelo fica muuuuuito seco por algumas semanas. Haja cuidado e hidratação pra fazer o bichinho voltar a um estado aceitável!

Dentro dessa limitação que impus (a de não querer descolorir e ter que passar tinta por cima do rosa desbotado), não tinha muito como fugir do vermelho. Na verdade, eu gosto muito da cor e acho que combina com a cor da minha pele, já usei vermelho das pontas antes e gostei do resultado. 


Aí achei melhor comprar uma tinta de qualidade, porque essas baratinhas da vida saem com uma, duas lavagens. Cheguei a testar aquela famosa Manic Panic mas nenhuma tinta que usei na vida foi tão boa e duradoura quanto a americana Special Effects, que não é vendida aqui e não achei em nenhuma loja online no Reino Unido também. O jeito foi recorrer ao ebay americano de novo e garantir a minha!

Eu estava em dúvida entre os vermelhos Devilish (um tom de cereja), o Hot Lava (vermelho puro) e o Blood Red (cor bem fechada, meio vinho). Mas aí vi umas fotos do Nuclear Red e surtei, porque ele é muito muito muito vermelho, vermelhão total!

Como não sou nem um pouco discreta nesse quesito, meti as caras (no caso, o cabelo) e fui de Nuclear Red.

O rosa já tava bem desbotado e taquei o vermelho por cima. Deixei agindo por 45 minutos (a tinta-fantasia hidrata o cabelo, diferente das tintas comuns, então tudo bem deixar bastante tempo). Quando fui tomar banho pra tirar a tinta, Jesus! Era vermelho que não acabava mais, não parava de sair água vermelha! Eu lavei, esfreguei, tirei todo o excesso e a água saindo toda vermelha. Mas é assim mesmo, porque eu já havia lido que vermelho é uma cor de pigmentação muito forte e que me mancha muito no começo. 

Pra vocês terem uma ideia da qualidade dessa tinta:


1ª, 2ª, 3ª e 4ª lavagens; a cor mudou, mas continuou viva!


Pra manter a cor, tenho que dar uma maneirada nas lavagens. Não dá pra lavar o cabelo dia sim, dia não, senão não tem tinta que dure! 

Faço assim: lavo a cada 3 dias. Mas o cabelo não fica oleoso, Bárbara? Claro que fica, principalmente a franja. Mas aí eu redescobri um produto que tava encostado aqui há tempos: o shampoo a seco. 

O shampoo a seco não lava o cabelo. Ele só melhora a aparência de sujo (e dá um cheirinho bem gostoso). É tipo um banho de gato no cabelo, pra dar aquela segurada mais um dia, sabe? O que eu tinha tava acabando e por sugestão da minha flatmate, comprei um da marca Batiste. O trem é bom, viu? Você espira na raiz e deixa agir uns minutinhos. Depois, penteia bem o cabelo pra ele não ficar com resíduo branco do spray e pronto - aparência de recém-lavado, juro! Comigo dura umas 8 horas.

Outro produto que uso pro cabelo é o spray Frizz-Ease da marca John Frieda. Geralmente espirro esse na franja e na "frente" pra segurar o frizz e os fios no lugar. A franja fica certinha mesmo depois deu ter dormido com a cara enfiada no travesseiro, é ótimo! Eu espirro no cabelo e passo um pente fino pra espalhar, senão o cabelo fica duro.

Por fim, tenho usado, também da marca John Frieda, um sérum anti-frizz. Ele pode ser usado com o cabelo seco ou molhado, mas já percebi que tem que maneirar na dose senão o cabelo fica com o aspecto muito pesado. Foda manter o cabelo no lugar com a umidade e a ventania dessa cidade!

Enfim, estou feliz com os cabelos vermelhos, mas não pra sempre... qual será a próxima cor?
Web Analytics

@blog_barbaridades

Back to Top