Londres - um pouco mais do primeiro dia

/

No último post eu terminei de contar do ótimo walking tour que fizemos em Londres, mas acabei não dando detalhes da parada final dele, o local mais famoso da cidade: o Big Ben.

Pra começar: Big Ben não é o nome da torre, e sim do sino que fica lá dentro da torre no palácio de Westminster. Ele foi colocado lá na gestão de um cara chamado Benjamin, e como ele era grandão e tal, apelidaram o sino de Big Ben. Em 2012 eles mudaram o nome da torre e do relógio para Elizabeth Tower, em homenagem aos 60 anos de reinado da rainha Elizabeth II.

Aliás, eu ainda não falei da rainha aqui! É que ela tá prestes a ganhar da Rainha Victoria em tempo de reinado - Victoria reinou por 63 anos e 216 dias; Elizabeth por 62 anos e 96 dias. O guia do walking tour brincou e disse que a Elizabeth vai passar fácil da Victoria. Será? Quem não deve ficar contente com a longevidade da rainha é seu filho Charles, coitado. Quando assumir o comando já terá mais que 65 anos de idade, e se não seguir os passos da mãe no quesito "tempo de vida", não será rei por muito tempo.



Não vou mentir: foi emocionante ver o Big Ben de perto, sabe? Símbolo máximo de Londres, um lugar que sempre sonhei em conhecer, que sempre teve um lugar especial no meu coração - afinal de contas, sempre associei a língua inglesa com Londres e todo mundo aqui sabe que amo a língua inglesa, né? Foi demais mesmo!

Quando o tour acabou fomos almoçar num restaurante indicado pelo guia - aliás, rolaria um desconto se fôssemos com ele pra lá. O prato foi um típico bangers and mash - linguiça com purê de batata e gravy:



O prato em si não tem nada de mais, né, gente? Mas realmente, ninguém faz purê de batata como o povo desse canto do planeta - hands down!

Aí olha só como o mundo é ridículo e pequeno: um cara sentou comigo e com o R. na mesa pois estava sozinho. R. foi ao banheiro e fiquei com o cara na mesa, aí puxei conversa: "hi, where are you from?". Ele respondeu "I'm from Croatia, but I live in Clare".

Pensei: affff, será que Clare na IRLANDA?

Perguntei.

E ele disse que sim, Clare na Irlanda. Aí ri e disse que morava na Irlanda também.

Qual é a possibilidade de encontrar um cara que também mora na Irlanda no mesmo restaurante que a gente num sábado em Londres?! O mundo é mesmo maravilhoso.

Depois de almoçar, fomos pra London Eye - já havíamos comprado o ingresso pela internet que daria direito a entrar na fila a qualquer momento daquele dia. Antes de ir pra fila, buscamos os ingressos na bilheteria - que tava bombando, assim como toda a cidade - e mesmo tendo comprado antes, tivemos que esperar um pouquinho. Aí quando você vai entrar na cabine da roda-gigante é assim: ela não para. Os funcionários vão mandando as pessoas entrar rapidinho e é isso, você entra. Mas a London Eye felizmente gira beeeem devagarzinho e é muito, muito tranquila, muito suave. 






Depois da London Eye, conseguimos riscar mais um item da lista do dia 1: conhecer a Harrods! A Harrods é uma loja de departamento super famosa, tem vários andares e muuuuita muita muita loja, muita coisa. Acho que o mais bizarro de entrar lá é que já dei algumas aulas no Brasil utilizando um material que continha um texto sobre essa loja - nunca na vida imaginei que fosse de fato um dia conhecê-la!

A Harrods é mais chique do que eu pensava - tem jóias e bolsas que nem etiqueta com o preço exibem. Tem itens com preços à mostra também, mas coisas bizarras, tipo um vest de bebê por 50 libras, um negócio que você compra por 2, 3 euros, sabe?



Vimos a loja de brinquedos, eletrônicos, móveis, roupas, enfim, demos uma voltinha em cada um dos sete andares (acho que foram sete) e mortos, totalmente acabados, pegamos o metrô de volta pra onde estávamos hospedados. 

Foi um dia que quando paro pra pensar, parece que não aconteceu, que não existiu, sabe? Que sensação gostosa poder ter realizado esse sonho! 

ps: ainda fiquei mais 2 dias na capital inglesa, então tem muito mais post vindo por aí!
Web Analytics

@blog_barbaridades

Back to Top