Viena - por onde eu começo?

/

Viena, Viena, por onde começo a falar de você? Tão limpa, linda, imponente, rica, cultural e com a culinária mais incrível que já tive contato até hoje...

Chegamos em Viena de ônibus indo de Bratislava (contei aqui). Já na estação, levamos alguns minutos pra nos situarmos e pegarmos o metrô pra chegar no hotel, que ficava a uns 10 minutos da estação Ottakring - não era perto do centro (justamente por isso o preço tava bem bom) mas dava pra chegar nas atrações principais bem facilmente.

Nessa noite só deixamos as coisas no hotel e fomos direto encontrar meu amigo Tom e sua namorada. Jantamos num restaurante bem gostoso e comi pela primeira vez um dos pratos mais típicos de lá: o Wiener Schnitzel. É basicamente uma carne empanada servida com batatas e dá pra fazer com vários tipos de carne, sendo a mais comum carne de vitela. O negócio é bom, viu? Doeu no bolso (€18!!!), mas valeu cada mordida. De sobremesa comi um tipo de panqueca com geléia servida com sorvete... mal eu podia imaginar que tava só começando a embarcar num mundo maravilhoso de comida, sobremesas e doces.

Mais de 10 anos de amizade... obrigada, ICQ!

No dia seguinte acordamos bem cedo, tomamos café no hotel (€5 com direito a pão, frios, sucos, iogurtes, cereais, frutas, bastante coisa!) e fizemos a primeira parada: Stephansdom. Eu já tinha visto a catedral no dia anterior e fiquei impressionada com o tamanho dela. Construída em estilo gótico lá pelos idos de 1300, essa catedral é o prédio religioso mais importante de Viena:

Nenhuma foto fará jus ao tamanho dela na vida real

Eu não sou muito fã de igreja e catedral, então nem quis entrar e seguimos andando pelas ruas ao redor que são cheias de lojas, confeitarias e na época, muitas decorações lindas de Natal. Foi na principal rua de comércio na cidade, a Kärntner Straße, que eu comi pela primeira vez o tal do Mozartkugel, doce de chocolate com recheio de pistache e marzipã. Esse doce foi inventado em Salzburgo, cidade natal de Mozart, e segundo a lenda, tem esse nome porque ele sugeriu os ingredientes pra um confeiteiro, mas a gente finge que acredita, né? O importante é que ele é delicioso!

Kärntner Strasse

Quero mais!

Andando por ali vimos uns caras vendendo ingresso pra assistir uma ópera. Pra quem não sabe, Viena é uma cidade muito famosa pela música clássica, pelas óperas, pelas orquestras. Não tava nos planos ver ópera porque a gente sabe que é caro, né? Só que o cara foi tão simpático e fez um preço tão bom que não resistimos: 20 euros o ingresso individual pra ver um pouco de orquestra, ópera e balé, tudo numa apresentação só. O espetáculo só aconteceu no fim do dia, mas já adianto aqui: foi maravilhoso e emocionante!

De lá, seguimos pro museu Time Travel, que promete contar a história de Viena/Áustria de maneira interativa. O preço da visita? Dezoito euros. Eu adoro museu, mas 18 não rola não, ainda mais que chegando lá ele parecia ser bastante infantilizado e o próximo tour só começaria em algumas horas. Resolvemos deixar essa passar e fomos pra próxima parada do dia: o Café Sacher.

Na verdade, esse café faz parte do Hotel Sacher. Ele é famoso porque vende um bolo chamado sachertorte, criado em 1832 por um confeiteiro para o príncipe de Viena na época. Roubando da wikipédia: "O bolo consiste de duas camadas de massa de chocolate, não excessivamente doce, com uma pequena camada de compota de damasco no meio e uma cobertura de chocolate negro, com lascas de chocolate em cima e dos lados. É tradicionalmente servida com chantili e é considerada pela maior parte dos vieneses como sendo demasiado "seca" para ser consumida simples". E é exatamente isso: um bolo delicioso de sabor marcante, porém bem seco - justamente por isso eles já servem com um copo d'água.



E continuamos o passeio, agora com destino ao Prater, um parque de diversões famoso por ali que contém a roda gigante de cabines conhecida por Wiener Riesenrad, considerada a mais alta do mundo de 1920 até o ano de 1985. Foi lá também que gravaram cenas de um dos meus filmes preferidos, "Antes do Amanhecer" (Before Sunrise). Aliás, um ps: se você tem intenção de conhecer Viena, ou melhor, se você gosta de um bom filme, assista-o. É maravilhoso! Inclusive já falei dele no blog, nesse link aqui (e acabei de encontrar um link que dá o roteiro passo-a-passo de todos os lugares pelos quais o casal de protagonistas passa pelo filme... declaro todo meu amor à internet!).




Depois de viver esse momento super romântico (o que não é romântico em Viena? me diz!), pegamos o metrô pra conhecer um lugar lindíssimo, o Palácio Schönbrunn - que eu conto no próximo post!
Web Analytics

@blog_barbaridades

Back to Top