Fim de ano em Praga - introdução

/

Nossa viagem pra Praga (nossa porque mamis e meu irmão estavam junto) foi muito gostosa e relativamente tranquila. As passagens foram compradas com antecedência e a acomodação também foi resolvida bem antes, já que seria Ano Novo e Ano Novo é concorrido. 

Ficamos numa casa numa região longe do centro, mas pelo preço compensava pra nós. Seria fácil chegar aos pontos turísticos, então não nos preocupamos com isso. E de fato, o transporte público em Praga é muito acessível e funciona bem - apesar de ter que pegar ônibus até o metrô e de lá pegar o metrô pro centro, em menos de meia hora já estávamos por lá.



Ao descer em Praga, já trocamos algum dinheiro no aeroporto; a moeda lá é a coroa checa e é bem bizarro porque 1 euro = 26 coroas, o que confundiu muito a cabeça na hora de comprar as coisas (Como assim essa passagem custa 110?!!! Como usa essa nota de mil?!!). 

Seguimos as instruções da host e pegamos um ônibus até a estação Dejvicka. Fácil. De lá, pegamos o metrô até a estação Náměstí Míru. Fácil. Pegamos o ônibus 35 pra descer no ponto Slovinská. Fácil, se a gente tivesse pego ele do lado certo. 

ps: Já deu pra sentir o drama do idioma, né? O que salva é que em todos os meios de transporte eles anunciam a estação atual e a próxima - depois de um dia pegando bondes, metrôs e ônibus, já estávamos craques em reconhecer as palavras "próxima estação" em tcheco...

Eu tive uma intuição que estávamos indo pro lado errado e sim, o ônibus chegou no ponto final e não era ali que desceríamos. Liguei pra dona da casa que confirmou a suspeita e pegamos o mesmo ônibus de volta - dessa vez, lado certo e tranquilo descer no ponto. A casa era numa rua meio escura mas era grande, limpa, uma graça. Fomos num Tesco próximo comprar comida (por um lado, ver um Tesco dá sensação de familiaridade; por outro, ver os nomes dos produtos em tcheco nem tanto...) e tiramos o resto da noite pra fazer os últimos ajustes no planejamento e ir descansar. 

Como ficaríamos lá dia 31/12 e 1/01, muita coisa estaria fechada, o que de certa forma afetou um pouco o que faríamos por lá: tudo que era externo deixamos pro dia 1, tudo que tinha entrada pro dia 31. 

Nossa primeira parada foi a Ponte Carlos, ponte mais antiga e famosa da cidade, cheia de artistas de rua, estátuas e turistas. Demos sorte: chegamos cedo e havia pouca gente por ali, tiramos nossas fotos com muita calma e tava nascendo um sol lindo.





Aí eu tava tirando uma selfie com o meu irmão e uma moça que passava com uma criança e um carrinho de bebê ofereceu pra tirar foto. Eu devia ter desconfiado (nunca ninguém oferece pra tirar foto, é sempre você que pede!) mas ok. Ela começou a tirar váááárias fotos e fiquei pensando: gente, essa mulher vai levar meu celular! Aí quando ela terminou pediu um trocado "pra tomar umas". Ah, já que ela foi sincera, dei umas moedas. Dei 200 coroas, e só depois caiu minha ficha que seriam 4 euros, caramba!


As fotos tiradas pela moça

E depois de contemplar a beleza de Praga ali dessa ponte que começou a ser construída quase 200 anos antes do Brasil ser descoberto, seguimos pra próxima atração: o Castelo de Praga (ou o maior castelo do mundo).








Web Analytics

@blog_barbaridades

Back to Top