Passeio de barco pelo Liffey

/

Desde que cheguei em Dublin, conheci bastante coisa. Foi museu, foi parque, foi praça, foi rua, foi galeria, um monte de coisa mesmo. Eu tento aproveitar o máximo e ainda tenho muitos lugares na lista pra conhecer.  Mas o passeio que vou descrever nesse post foi totalmente inesperado. Quer dizer, pegar ônibus, trem e andar muito pela cidade pra mim já é normal, mas nunca imaginei que veria Dublin de um ângulo bem diferente - de baixo, do principal rio da cidade.

Quem me convidou foi a Bia (só pra variar). Ela tinha ganhado tickets da chefe e tava esperando o tempo melhorar pra aproveitar melhor o passeio. Fomos no sábado retrasado e aproveitamos muito da história de Dublin, além do clima que tava muito quente e bonito no dia.

O tour é feito pela Liffey River Cruises e dura 45 minutos. Ele sai ali da Bachelor's Quay, na O'Connell, e vai até as Docklands (ou seja, não muito longe). O barco é fechado (porque a probabilidade de chover aqui é.... bem grande), mas não passamos calor porque tinha ar condicionado. A guia era uma menina bem novinha, não muito animada, mas consegui aprender bastante.

A questão é que eu deveria ter tomado notas, pois lembro poucos detalhes do que ela falou. Mas vou tentar...


Jeanie Johnston

Essa é uma réplica de um navio construído no Canadá em 1847 e que fazia viagens constantes da Irlanda pra lá e pros EUA também. A viagem de um continente pro outro levava em torno de 47 dias e podia carregar até mais de 200 pessoas. O curioso é que apesar das longas e cansativas viagens, nunca ninguém morreu a bordo do Jeanie. Isso porque o capitão nunca superlotava o navio e havia sempre médicos qualificados a bordo.

The Convention Centre

Esse centro de convenções foi inaugurado em 2010 e tem capacidade para até 8 mil pessoas. Grandes eventos e reuniões acontecem aqui e alguns eventos podem enfrentar fila de espera de até 3 anos! (?) Além disso, esse é o primeiro centro de convenções de carbono-neutro do mundo, já que em sua construção foi usado cimento de baixo carbono. Bonitão o prédio, né?




Esse prédio seria um super banco por aqui. Só que com a crise na Europa, uma das áreas mais afetadas negativamente foi a área de construção. Por conta disso, tiveram que parar a obra e ela está assim há anos. Aparentemente o Banco Central comprou o prédio e tem intenção de terminar a obra. Vamos aguardar!

Samuel Beckett Bridge
Essa ponte fica na região das Docklands e tem o nome de um grande escritor irlandês (aliás, tudo por aqui tem nome de grandes líderes das revoluções irlandesas ou nomes da literatura). Ela custou 60 milhões pra ser construída e tem o formato de uma harpa deitada - a harpa sendo símbolo nacional da Irlanda. Uma curiosidade que descobri no blog Viajar é Preciso é que essa ponte foi desenhada pelo mesmo cara que criou "La Puente de la Mujer" em Buenos Aires. Estive lá em fevereiro, lembra? Ele também fez a James Joyce Bridge - ponte que eu sempre passava pra ir na minha outra casa:


Por fim, a guia falou algumas curiosidades sobre o rio Liffey. Uma delas, por exemplo, é que ele era muito mais largo e ia até a altura do prédio do correio do lado norte e até o Dublin Castle do lado sul:

Olha até onde o rio chegava!

E assim, terminamos mais um passeio incrível na cidade!

10 dias de verão na Irlanda. YES!
Web Analytics

@blog_barbaridades

Back to Top