Uns dias no Uruguai - parte I

/

Quando eu decidi ir ao Brasil, ainda mais de surpresa, quase explodi por não poder contar pra ninguém a grande novidade. Aí num dia de muita ansiedade resolvi compartilhar as novas com minha amiga Jamile, que conheci aqui em Dublin. Ela já voltou pra casa, Montevidéo, no Uruguai. E já que ela tá no Uruguai, não teria nada de mais em falar que eu tava indo de férias pro Brasil, né?

Contei e ela ficou empolgadíssima e me fez um convite: "vem me visitar aqui?"

Ahhhh, como eu queria, ainda mais porque ela tá esperando um bebê! Seria demais conhecer mais um país na América Latina, né?

Conversei com R., que ficou bem empolgado em conhecer, além do Brasil, o Uruguai. Pensamos, calculamos, e um tempo depois, compramos as passagens pela TAM.

Chegado o dia da viagem, acordamos bem cedo e pegamos um táxi pra Guarulhos, porque não tem condições de chegar naquele aeroporto de transporte público. O aeroporto foi tranquilo, imigração sossegada, vôo silencioso. Sim, tava com saudade de voar com uma companhia que não fosse Ryanair que não ficasse vendendo coisa e fazendo alarde o vôo inteiro.

Jamile foi nos buscar no aeroporto. Tentamos tirar dinheiro na máquina ali mas não deu certo, a máquina dava erro. Sendo assim, saímos em direção a algum lugar pra almoçar porque já estávamos com fome.

Paramos perto do parque Rodó, já que as primeiras tentativas foram frustradas (muitos restaurantes fechados na segunda). A sugestão da Jamile foi pra gente comer um chivito - lanche de carne e várias outras coisas, servido com fritas e maionese. Uma delícia!


De lá, fomos dar uma volta no parque comentei no parágrafo acima. O Rodó é um parque bem bonito e tem um lago lindo e verde com pedalinhos e patos. Há também exibição de fotos, muitas árvores e bancos onde você pode sentar, descansar, ler um livro...





De lá, seguimos pro centro pra comer sobremesa. Jamile recomendou um café que não consigo lembrar o nome - era um nome meio alemão - trata-se de um café com um salão bem grande, bem diferente do que tô acostumada aqui em Dublin. Pedimos suco natural e a tal da torta alfajor - ela é um pouco diferente do alfajor original, porque a massa é um pouco mais folhada. O negócio é maravilhoso de bom, mas é um pedação muito grande que nem eu consegui comer:


Já era meio fim de tarde, sol se pondo... museus já estariam fechando, então ainda dava tempo de fazer alguma coisa outdoors. Sabe aquele letreiro "I Amsterdam" super famoso que todo mundo tira foto quando vai pra Amsterdã? Então, Montevidéo também tem um, e foi pra lá que fomos tirar fotos:



De lá demos uma caminhada à beira do rio, passamos no supermercado pra comprar umas coisinhas pro jantar e finalmente conseguimos achar um caixa eletrônico que aceitasse nosso cartão aqui da Irlanda pra sacar um dinheirinho. Só pra efeito de comparação, 1 real compra uns 9 pesos uruguaios (ou seja, 1 euro compra 3x mais), mas achei os preços iguais aos do Brasil, então pra quem vai com real, não vai fazer A RYCA no Uruguai, sabe? hahaha

No dia seguinte passeamos, visitamos museus, comemos a famosa carne uruguaia e muito mais!
Web Analytics

@blog_barbaridades

Back to Top