O dia em que ganhamos dinheiro da Ryanair

/

Um belo dia recebemos um cheque no valor de 525 euros da Ryanair. Isso mesmo, da infame companhia aérea que cobra pouco por passagens, mas muito por qualquer outro serviço.

Mas pra contar essa história precisamos voltar pra dezembro de 2015, mais precisamente no dia 14, quando R. e eu voltávamos de uma rápida viagem à Noruega. Nosso vôo estava programado pra sair às 11h da manhã  às 10h já havíamos passado pela segurança e aguardávamos o horário do embarque.

Passei pela imigração, carimbaram meu passaporte, subimos no avião, colocamos as malas no bagageiro e aguardamos. Apesar de todo mundo já estar sentado e pronto, nada do avião sair do lugar - até o piloto anunciar que devido à uma peça estar congelada e eles não estarem conseguindo arrumar, todos precisariam sair do avião e voltar pro aeroporto.

Frustrados, pegamos nossas malas e voltamos pro salão do aeroporto pra aguardar mais informações. Alguns minutos depois, o pessoal da Ryanair avisa que infelizmente não havia um engenheiro em solo norueguês que pudesse arrumar a peça e que por causa disso, o vôo atrasaria bastante. Aliás, teríamos que esperar o vôo que vinha de Dublin chegar em Oslo pra que pudéssemos embarcar de volta no mesmo avião.

E como tínhamos que "voltar" pra Noruega (tecnicamente o passaporte dos não-europeus haviam sido carimbados como se tivéssemos saído do país), os oficiais anularam o carimbo de saída e pudemos voltar ao salão principal do aeroporto pra esperar.

O aeroporto na ocasião era o Rygge, super minúsculo com poucas opções de entretenimento. O jeito foi simplesmente sentar e esperar.

A Ryanair deu pra cada passageiro um voucher de 5 euros (!) e mais ou menos uma hora depois, outro voucher de 5 euros. Gente, 10 euros num aeroporto na Noruega não compra absolutamente nada, nem um amendoim. Tivemos que almoçar pagando do nosso bolso e ficamos muito putos.


Sobremesa gostosa enquanto esperávamos no aeroporto


No entanto, a mesma Ryanair distribuiu uns folhetos explicando os nossos direitos no caso de um atraso como esse - e como o aeroporto tinha wi-fi, eu e R. começamos a pesquisar que tipo de compensação poderíamos ter, já que o atraso totalizaria 5 horas. Descobrimos que de acordo com as leis da União Europeia, quando um vôo atrasa mais de 5 horas, ele é tratado como um cancelamento.

Sendo assim, descobrimos que nesse caso, poderíamos pedir uma compensação de 250 euros pra cada passageiro - o valor é baseado na distância entre os lugares que você vai voar. No caso, a distância entre Dublin e Oslo nos daria direito à isso.

Na mesma semana preenchemos um expense report no site da Ryanair, mas não recebemos nem notificação por email. Encontramos um outro formulário no site, preenchemos e recebemos um email dizendo que teríamos uma resposta dentro de 14 dias.

Como era época do Natal, deixamos dezembro passar e em Janeiro preenchemos o formulário de novo - e dessa vez recebemos uma outra confirmação por email. O problema é que depois da confirmação nada aconteceu. R. ligou na Ryanair pra descobrir que não havia nada no sistema deles... E lá vamos nós preencher o formulário novamente.

A Ryanair parece que faz tudo isso de maneira meticulosa pra que as pessoas desistam de conseguir as coisas, porque você liga e o cara não sabe informar, você faz por internet e não recebe resposta...

Bom, aí no fim de janeiro finalmente recebemos uma resposta: a Ryanair dizia que não tínhamos direito à nada pois o vôo tinha atrasado por causa de condições climáticas.

Desculpa aí, amigos, mas vocês estão mentindo!

Não foi condição climática porra nenhuma! Nós embarcamos e o piloto disse que era um problema técnico. Se foi problema técnico, eles tinham que nos pagar, sabe? O negócio é que se tivesse sido mesmo o clima, a companhia não precisaria nos pagar nenhuma compensação, sabe?

Confirmação do atraso que recebemos no mesmo dia do vôo


Respondemos dizendo que não aceitávamos essa alegação deles e mandamos um novo formulário.

Esperamos fevereiro, março, abril e nada. Em maio, repetimos todo o procedimento.

Depois desse monte de chá de cadeira, dá até vontade de desistir, sabe? Mas como somos brasileiros sou brasileira e não desisto nunca, em julho liguei na Rynair. Os atendentes não sabem explicar nada, dizem que não podem resolver o problema e te mandam fazer tudo pelo site. Foi quando cansamos, foi a gota d'água.

Pesquisamos "taking Ryanair to court" no google e achamos o caso de um cara que levou eles à Justiça e ganhou a causa. Resolvemos fazer o mesmo. Dá pra fazer tudo online, pelo tribunal de pequenas causas irlandês (Small Claims Court) e pagando uma taxa de 25 euros.

Uns dias após colocarmos nossa causa no site, recebemos uma confirmação que dizia que agora a empresa, no caso a Ryanair, tinha 15 dias pra contestar nossa causa ou não. Caso eles contestassem, teríamos que ir ao Tribunal - caso não, receberíamos o dinheiro em casa mesmo.

E não deu outra... após duas ou três semanas, recebemos um email dizendo que a Ryanair não havia contestado nossa causa e que receberíamos um cheque deles!

O cheque demorou mais algumas semanas pra chegar, mas chegou. E chegou lindo, no valor de 525 euros (250 euros de cada passageiro - no caso eu e o R. e 25 euros da taxa que tivemos pagar pra colocar a causa no site).



Moral da história: acabamos deixando rolar por muitos meses por inúmeros motivos - muito trabalho, estudos, vida corrida, e penso que muita gente teria esquecido ou se cansado dos 'nãos' que levamos da Ryanair, mas valeu demais a pena ir atrás dos nossos direitos. Acredito que eles não contestaram nossa causa pois já deveriam ter respondido a mesma causa de algum outro passageiro do mesmo vôo - e também porque nós tínhamos razão. Nós temos tudo anotado e documentado - dias em que ligamos na Ryanair, que preenchemos formulários no site, os emails que recebemos e não precisamos mostrar nada disso, mas vale a pena ter tudo pra caso precisar.

E agora com esse dinheiro, a viagem à Oslo saiu praticamente de graça! \o/
Web Analytics

@blog_barbaridades

Back to Top