Apelo: eu só queria usar um casaco

/

Se você é leitor desse simples blog já sabe: odeio passar calor. Desde antes de vir pra Irlanda já sonhava com dias de brisa e dias frios - dias em que eu poderia usar casacos, botas e cachecóis e sair pelas ruas feliz da vida. 

Só que parece que é a sina da minha vida: ir atrás do frio e ele fugir de mim. 

A primeira vez que esse fenômeno ocorreu foi em 2001, se não me engano. Ia rolar um passeio da escola organizado pelo professor de geografia, o ~professor Marcelo~ (minha primeira grande inspiração). Fomos para Campos do Jordão, sinônimo de charme e ~clima europeu~, menos, é claro, quando eu tava lá. Lembro que minha mãe mandou eu usar muitos agasalhos e foi só chegar em Campos, passei o maior calor e sufoco tendo que carregar aquele monte de blusa. Infelizmente, não tenho fotos desse passeio - talvez algum amigo da época da escola as tenha guardadas em alguma caixa de sapato.

O mesmo fenômeno aconteceu anos depois, especificamente em 2012, quando fui passar uns dias no sul do Brasil, bem no pico do inverno. Eu estava empolgadíssima pra conhecer Porto Alegre e a famosa Gramado e comprei touca, luvas e casaco (parcelado em 3x no cheque, RISOS), totalmente empolgada com o frio que me esperava lá. E sim, já sabe o que aconteceu, né? Nada de frio. Quer dizer, à noite e bem cedo pela manhã esfriava - e pra ser justa, consegui usar casaco e lenço no pescoço em Gramado - de resto, passei calor, como você pode ver na foto abaixo:



O meu consolo era saber que em Dublin eu usaria todos esses acessórios quase que diariamente, já que eu havia lido em dezenas de blogs que Dublin era fria, que chovia muito, etc e tal. 

Cheguei aqui no fim de março de 2013, primavera. De fato fazia frio (lembro da primeira semana, usava 3 meias-calças e ainda sentia um pouco de frio), mas eu sobrevivi. E uma, duas, três semanas depois eu já estava bem adaptada. Só que o verão foi chegando, e chegou com tudo, tipo o melhor verão dos últimos tempos. Fiquei confusa, porque só fazia sol, calor... Mas Dublin não era fria e chuvosa? No fim das contas foram meses e meses de temperaturas altas - apesar de ter esfriado em setembro, em outubro, em algumas ocasiões, cheguei a passar calor. 

Mas aí novembro chegou e definitivamente o inverno junto, mas disso eu só tive certeza porque os dias estavam mais escuros. Porque frio, frio mesmo, frio de morrer de frio, não senti. 

No entanto, a chuva e a ventania foram intensos e o barulho de fantasma vento na minha janela não me deixava esquecer que eu precisava de um bom casaco de frio que me protegesse do clima na capital irlandesa. Por recomendação do R., comprei um casaco bem grosso que prometia ser ótimo - e na verdade é. Pena que eu devo ter usado o bichinho umas 2 ou 3 vezes no máximo aqui na Irlanda. 

Sim, e eu comprei esse casaco em novembro do ano passado e usei o bonito menos vezes do que os dedos de uma mão podem contar. 

Uma das pouquíssimas vezes em que usei esse casacão


Esse ano foi a meeeesma coisa: temperaturas amenas a partir de abril e calorão de maio a setembro. Aliás, até o começo desse mês ainda passei calor, mas felizmente os termômetros já tem começado a marcar menos de 10 graus. 

Eu fui esses dias na Penneys e vi vários casacos lindos, maravilhosos. Cheguei até a provar um mas no fim das contas pensei: pra que adquirir um casaco novo se mal usei o que comprei no ano passado? Ahhh, mas eu queria tanto, tanto ter uma seleção de casacos lindos de inverno. E não só casacos, como botas e lenços também - eu adoraria! Mas como ter coleção disso se não sinto frio suficiente pra usá-los?

Por isso, deixo o meu apelo ao universo: traga um inverno digno esse ano! Eu só queria usar meus casacos...
Web Analytics

@blog_barbaridades

Back to Top