Meninos e meninas

/

Todo mundo me disse que eu ia achar diferente cuidar de meninos e eles estavam certos: é muito diferente mesmo. No entanto, apesar de muita coisa estar dentro do esperado, algumas situações me levam a crer que eu vivo num mundo muito mais dramático agora que cuido de J. e S.

Primeiro: apesar das meninas que eu cuidava serem mais novas, elas me davam menos trabalho. Quer dizer, elas sempre queriam companhia pra brincar e até no banheiro iam comigo, mas elas eram independentes - se trocavam sozinhas sem reclamar (a mais nova estava começando por volta dos 2 anos), comiam de tudo, estavam sempre felizes. Já os meninos, mesmo sendo mais velhos, são muito chatinhos com algumas coisas - outro dia o J. de 5 anos, fez um escândalo porque disse que não sabia colocar a meia sozinho. Desculpe querido, mas você tem 5 anos, vai colocar a meia sim. E falei mesmo, porque poxa, se a É. com menos de 3 anos colocava meia sozinha, porque ele não conseguiria?

Tento tomar cuidado com as comparações: as pessoas são diferentes, as crianças também. Não é porque o fulano sabe X que o outro fulano também tem que saber, mas sigo o bom senso.

As meninas adoravam cantar, dançar, brincar de quebra-cabeça e cuidar das suas bonecas/ursinhos de pelúcia. Os meninos também cuidam dos bichinhos, mas não sentam pra fazer lego nem quebra-cabeça por muito tempo não; o que eles gostam é de ficar correndo pela casa, de fingir que estão atirando em mim, de corrida, etc. É muito mais cansativo fisicamente mas há uma vantagem: eles brincam muito entre si. O mais novo inclusive, se deixar, brinca hoooras sozinho com seus carrinhos e livros.

Os meninos choram muito mais do que as meninas choravam. Elas só choravam quando os pais saiam pra trabalhar (pelo menos umas 2x na semana rolava isso, principalmente com a mais nova) e quando caíam, algo assim. Já os meninos choram pelo menos 1x por dia: o mais novo quando contrariado e o mais velho quando frustrado. Tadinho, esses dias ele começou a chorar claramente emputecido porque "não conseguia" fazer a lição-de-casa (traçar as letras no pontilhado), mas ele estava conseguindo! Foi muito difícil contornar a situação porque ele insistia que queria fazer aquilo naquela hora quando não tava dando certo. No fim, consegui tirar ele da sala e levei pra fazer outra coisa, mas essa situação da lição-de-casa já se repetiu outras vezes...

Agora, se tem uma coisa que é bem parecida é que tanto as meninas como os meninos são bem carinhosos: quando estava/estou de cabelo solto, elas/eles adoravam/adoram ficar brincando com ele. Além disso, me abraçam, e querem que eu pegue no colo de vez em quando.

Não sei se estarei falando besteira agora, mas no geral, eu acho as meninas beeeem mais avançadas do que os meninos. A É., por exemplo, sabia contar até não-sei-que-número e sabia falar e reconhecer o alfabeto todo sem problemas. Já o J. dois anos mais velho, não liga muito pra isso e parece ter um pouco mais de dificuldade com as letras. Além disso, ele não tinha absolutamente nenhum conceito de país/língua diferentes, porque quando eu disse que no Brasil as pessoas falavam português ele me olhou como se nunca tivesse ouvido isso antes (e na verdade, não ouviu mesmo). Quando cantei em português ele perguntou porque a minha voz estava diferente e não mostrava nenhum interesse quando eu tentava ensinar palavras novas. Depois de um tempo cuidando deles percebi que sua curiosidade acerca do assunto aumentou bastante: J. me pergunta as palavras e as repete quando eu digo.

Já a mais velha das meninas sabia muito bem o que eram países e línguas diferentes. Ela tinha claramente o conceito do que é inglês, irlandês, espanhol, português, etc. na cabecinha dela. Isso certamente é devido aos pais, que encorajam muito as meninas a falar irlandês. Quando ensinei a É. que se falava português tanto no Brasil como em Portugal, ela nunca mais esqueceu; quando eu disse que Portugal era pertinho da Espanha, ela nunca mais esqueceu. Talvez seja porque ela goste mais do assunto mesmo...

Enfim, eu me divertia e surpreendia muito com as meninas, mas acredito que isso se deve ao fato deu não ter tido nenhuma experiência prévia com crianças. Hoje, cuidando dos meninos, acho muito mais normal e as coisas fofas que o pequeno S. diz já não são mega fofas pra mim, sabe? Mesmo assim, vez ou outra eu ainda sou pega de surpresa e apesar dos chiliques dos dois, me divirto com os meninos também.


Brincando de massinha com meus novos ~gatinhos~
Web Analytics

@blog_barbaridades

Back to Top