A primeira semana no novo trabalho

/

Comecei um novo emprego na semana retrasada. Agora sou minder de dois meninos - o J., de 5 anos, e o S., de 2 anos e meio.

Eu estava em processo de adaptação e portanto, trabalhando poucas horas por dia, que aumentaram meio gradativamente até finalmente eu chegar na carga horária definitiva, que é das 13h às 18h30 (das 12h às 18h30 no início de setembro por algumas semanas). No início começava mais tarde e ia buscar os meninos na creche e brincava com eles em casa até a mãe chegar.

Nos primeiros dias a Barbara (não eu, minha chefe!) me acompanhou até a creche onde os meninos ficam durante o dia. O mais velho foi simpático e conversou numa boa, ele tá bem acostumado com as cuidadoras da creche e não tem vergonha de interagir. Já o mais novo estava extremamente desconfiado e não quis me dar 'oi' nem 'tchau'.

No 3º dia rolou uma interaçãozinha com ele, mas só.

Aí no 4º dia fui buscar os meninos sozinha na creche. Na noite anterior eu tinha demorado a dormir de frio na barriga, tive pesadelos, acordei várias vezes à noite... sintomas básicos de ansiedade e medinho de ficar sozinha com eles pela primeira vez. Que bobagem, né? Bobagem porque ocorreu tudo da melhor maneira possível: não teve choro nem muito estranhamento e ao chegar em casa, o mais novo foi me mostrar os brinquedos dele e tudo!

5º dia seguiu como o 4º: busquei na creche, brincamos, pintamos e brincamos mais um pouco. Os meninos parecem muito educadinhos e bonzinhos - o mais velho já estava bem à vontade, mas o mais novo ainda meio desconfiado...

Uma coisa que achei estranha é que o S., apesar de ter 2 anos e meio, fala muito pouco - ele fica só no "my car!", "my brother", "I don't like that", entre outras combinações. A C., menina de 2 anos que eu cuidava na outra família, falava muuuuito mais: perguntava, cantava, fazia frases longas! Sei que não dá pra comparar criança, mas achei estranho não poder "conversar" direito com o pequeno S.

Foi uma boa semana, no geral. Pedalei horrores, senti dores nas pernas... A subida final na ida ao trabalho parece tipo o "desafio final" de um jogo de videogame, porque a subida vai ficando íngrime e vou pedalando dizendo a mim mesma: NÃO DESCE DA BICICLETA, NÃO DESCE DA BICICLETA, PEDALA, PEDALA!!!!

Um ps. importante: já amo a minha chefe, sério. Ela é simpática, fofa, aberta, generosa e me deixou extremamente à vontade. Que mulher Bárbara! (tudum tsssss)

Por que o dedo na foto? Boa pergunta...
Web Analytics

@blog_barbaridades

Back to Top