Dicas pra quem quer ser childminder/au pair na Irlanda

/

Depois de um ano trabalhando como minder e ter passado por váááárias entrevistas e me candidatado a diversos anúncios, cheguei a algumas conclusões que podem ajudar quem tá pensando em ser au pair/minder na Irlanda.

Primeira coisa: se você quer um emprego melhorzinho, tem que saber inglês. Não adianta. Se você não consegue se comunicar nem entender o que as crianças querem (se eles já souberem falar), dificilmente vai conseguir uma vaga live out. Minha ex-chefe, por exemplo, disse que me contratou mesmo sem experiência porque eu era a única candidata que falava inglês...

Em segundo lugar: referências fazem uma puta diferença. Percebi que da segunda vez em que procurei emprego de babá, o fato de mencionar que eu tinha referência irlandesa fez com que muitas pessoas entrassem em contato comigo. A experiência profissional também, mas acho que a referência contou bem mais. Por isso, acho que poderia ser uma boa ideia fazer um trabalho voluntário aqui pra adquirir mais desenvoltura ao falar inglês, além de poder trabalhar com irlandeses e ter referências pra futuras buscas de emprego.

Trabalho voluntário em Dublin - parte I

Trabalho voluntário em Dublin - parte II 


Depois, acredito que saber dirigir faça uma boa diferença no salário. Vi várias vagas boas de childminder part-time pra ganhar 14, 15 euros por hora se soubesse dirigir. Muitas pedem habilitação daqui, mas acho que isso pode ser conversado - lembrando que a habilitação brasileira só vale no nosso 1º ano aqui.

Em julho deste ano, quando acessava sites de vagas pra esse tipo de emprego diariamente, vi muitas vagas part-time, muitas mesmo, principalmente pra começar no fim de agosto/início de setembro, que é quando começa o ano escolar aqui. Ou seja, a melhor hora de procurar emprego como au pair ou childminder é antes do verão ou durante o verão. Antes porque se der sorte, consegue um que seja full-time em julho e agosto e depois vira part-time e durante porque provavelmente começa após o fim das férias das crianças.

Vejo muita gente reclamando que não consegue achar emprego part-time pra poder continuar indo pra escola, mas ó, tem sim. Só que a maioria, quase todos, é pra trabalhar à tarde, então o ideal é estudar de manhã.

Tem vaga pra trabalhar 2, 3 dias na semana, 2 ou 3 horas por dia e as mais legais, que vão de 20 a 25 horas por semana. É bom porque trabalhar part-time quase sempre significa ganhar por hora (e grande parte das famílias paga no mínimo 10 euros por hora) e com uma quantidade razoável de horas, dá pra continuar vivendo tranquilo aqui - com muita economia, mas tranquilo.

Enfim, tem vagas de todos os tipos e pra todas as pessoas. Vou reforçar o que disse lá em cima: se você não fala inglês, dificilmente vai conseguir uma vaga legal pra ganhar 10 euros por hora, ok? A probabilidade é que você só consiga encontrar vagas pra au pair, o que não necessariamente seja ruim. Conheço meninas que foram au pair por um tempo e gostaram da experiência, pode ser uma porta de entrada pra ter experiência e referência, melhorar o inglês e conviver com uma família irlandesa, né?

Ah, esqueci de falar das entrevistas: geralmente as famílias perguntam sobre sua vida aqui - há quanto tempo chegou, por que escolheu vir pra cá, quanto tempo pretende ficar. Algumas não sabem direito do visto de estudante e já tive que explicar várias vezes a questão de poder trabalhar aqui e tal. Também perguntam da sua experiência profissional aqui e no seu país de origem, perguntam se você já cuidou de crianças, se poderia fazer babysitting, se sabe cozinhar (essa é importante!) - aliás, sobre cozinhar: dê exemplos, tipo: sei cozinhar carne com batata, faço arroz, macarrão à bolonhesa, lasanha, enfim, é mais fácil já ter umas coisas na mente antes de ir pra entrevista, porque chega lá na hora, você fica nervosa e não consegue lembrar de nada legal pra falar.



Espero que de alguma forma esse texto tenha ajudado! :)
Web Analytics

@blog_barbaridades

Back to Top