Mi casa es su casa

/

Receber amigos e família aqui na Irlanda é sempre uma delícia e sou muito privilegiada pois já tive muita gente me visitando aqui: minha melhor amiga Lê, minha mãe (três vezes), meu irmão (duas vezes), uma amiga da Fisk, a Carol e o Rudy, enfim, muita gente mesmo. E a lista não para por aí, porque no mês de Junho recebemos mais dois amigos super especiais: a A. que estudou comigo na pós-graduação do Mackenzie e o A., amigo de sei lá, uns 20 e poucos anos? Nos conhecemos no primário e estudamos na mesma sala muito tempo, e mesmo depois de termos sido separados, mantivemos essa amizade com muito carinho.

E bem, o A. queria muito visitar a Europa e passar uns dias em alguns países diferentes. Ele na verdade veio mesmo pra ficar em Portugal e conhecer a parte da família do pai dele que é de lá (o pai dele é português também!), mas aproveitou o gancho e foi pra outros lugares, incluindo Irlanda! Tivemos que programar tudo com cuidado porque ele queria vir justamente no fim de semana do feriado de junho quando estaríamos na Bélgica, mas conseguimos ajeitar tudo e ele chegou justamente um dia depois de termos voltado pra Dublin.

O A. Ficou lá em casa por uma semana e foi um pouco complicado no começo. Como tínhamos acabado de voltar de viagem, estava tudo uma bagunça – inclusive a vida. Coisas do tipo: compras, casa pra limpar, tudo isso estava mega atrasado. Depois, tinha o fator de que eu estava no meu trabalho há mais ou menos só duas semanas, então ainda tava me acostumando com tudo, procedimentos, materiais, e levava muito tempo preparando aula à noite. Fiquei me sentindo culpada de deixar o meu amigo vagando sozinho durante o dia, mas por outro lado, ele tava de férias, eu não! Rs



Ele chegou numa terça e pra piorar a situação, na quarta recebi a ligação da D. me chamando pra ser coordenadora da escola de verão e pedindo pra fazer entrevista por Skype no mesmo dia a noite. Fiz. Mas o que foi a cereja do bolo é que o treinamento para coordenadores seria no sábado e não tinha como negociar. Como a oportunidade era muito boa e eu não queria deixar passar, acabei passando o dia todo do sábado trabalhando e tive que furar com o meu amigo – a ideia era passarmos sábado e domingo todo juntos!







Demos um jeito de colocar ele num tour legal pelo interior e pelo menos no domingo passamos o dia todo juntos. Fomos pra Wicklow, que é onde sempre vamos quando temos visita, e apesar do dia estar numa loucura de faz chuva/faz sol, aproveitamos bastante, demos risada, tiramos muitas fotos e depois comemos uma comida deliciosa no Johnnie Fox's, vimos um arco-íris... ah, sem contar o hambúrguer maravilhoso que devoramos no dia anterior lá no The Counter (preciso fazer um post desse lugar).






Já a A. chegou no fim do mês e ficou somente dois dias com a gente. Ela veio de passagem porque tava indo pra Itália fazer um intercâmbio de um mês e conseguiu uma conexão pra cá. O R. a buscou no aeroporto na quinta porque eu já tava no trabalho novo e na quinta mesmo não fizemos nada de especial. Sexta coloquei ela pra fazer o walking tour em Dublin durante o dia e nos encontramos a noite pra um café no Foam assim que consegui sair do trabalho.

Sábado fomos tomar um brunch no Bibi's (amo/sou) e depois de uma passadinha rápida na St. Patrick's Cathedral seguimos pro Dublin Writers Museum. Essa minha amiga é super inteligente, ama ler e tal, então achei que seria apropriado. Ela curtiu muito e ficou lembrando das aulas de literatura irlandesa que teve na faculdade. Eu gostei de ter voltado - minha primeira vez nesse museu foi quando cheguei aqui em 2013, junto com a Bia! Confesso que não prestei tanta atenção como da primeira vez porque estava absolutamente cansada e esgotada da primeira semana como coordenadora, acontece.




Após o museu, fomos andar mais pela cidade, tiramos fotos com o Oscar Wilde na Merrion Square e paramos no boticário Sweny's pra conhecer. Ali funciona um local onde as pessoas se encontram basicamente para comprar itens relacionados ao Ulysses do James Joyce e também fazem leitura de páginas do livro juntos. As leituras acontecem em vários dias da semana e em vários idiomas diferentes, inclusive português! Ainda não tenho coragem de pegar nesse clássico da literatura, mas quem sabe um dia?

Caminhamos pela Grafton e Stephen’s Green e fomos jantar num restaurante de comida irlandesa incrível ali no Temple Bar chamado Boxty. O local é bem informal e o serviço super rápido. E a comida... cara, que comida mais gostosa. A panqueca Boxty de frango estava espetacular, a porção de batata frita maravilhosa e o cheesecake de Baileys sensacional! Recomendo!



Meus amigos já foram embora e seguiram seus destinos, e nós ficamos com o coração quentinho de ter recebido amigos queridos por aqui. Queremos mais! Quem vem nos visitar?
Web Analytics

@blog_barbaridades

Back to Top