Voltando a ser turista em Dublin

/

Eu sempre tive medo de me acostumar demais com Dublin e simplesmente não ver mais beleza em nada, enjoar das paisagens, das coisas diferentes, sabe? Lembro de quando me senti quando cheguei aqui e tudo era descoberta, mas uma mistura de novo com um sentimento de que eu já conhecia tudo aquilo...

Três anos e meio se passaram e não tem jeito: por mais que eu ainda ache Dublin uma cidade legal, já conheci os problemas da cidade, já convivi com eles e já não sou tão ingênua de achar que por aqui é tudo lindo e maravilhoso - muito pelo contrário.

Pois bem. E aí que no comecinho de setembro recebemos um casal de amigos muito querido por aqui e foi uma delícia, além de revê-los, poder retomar um gosto por turistar pela cidade e mostrar à eles o que temos de melhor por aqui. A Carol e o Rudy moram na Holanda e amaram Dublin!





Começamos numa sexta-feira. Sem grandes planos, com o intuito apenas de passar tempo juntos, comer coisas gostosas e andar pela cidade. Estava meio chuvoso - aliás, choveu o dia todo, mas isso não nos impediu de sair. Protegidos com casacos à prova d'água e guarda-chuva, saímos de casa e fomos a caminho da Christchurch.

Eu amo aquela 'ponte' entre o museu Dublinia e a Christchurch. Lembro da primeira vez que vi aquilo, ainda no táxi vindo do aeroporto quando cheguei no dia 20 de março de 2013, e fiquei absolutamente maravilhada com aquilo!

De lá fizemos uma paradinha no Queen of Tarts pra tomar alguma bebida - como havíamos tomado um café reforçado, ainda não tinha batido a fome.

Do Queen of Tarts é um pulo até o Dublin Castle e Trinity College, onde só demos uma volta pelo lado de fora, tiramos umas fotos e seguimos pro lado norte da cidade. A ideia era almoçar num café que eu e o R. curtimos demais, o Brother Hubbard. Sendo assim, atravessamos a O'Connell Bridge, demos uma entradinha rápida no GPO, descemos a Henry Street e chegamos na Capel, onde fica o café.




Mesmo sendo um dia de semana, ele estava bem cheio, mas conseguimos uma mesa. A comida estava divina, super temperadinha. O meu prato estava tão bem servido que nem aguentei comer tudo. Eles servem opções de lanches, brunch o dia todo, entre outras coisas.

De lá atravessamos pro lado sul novamente pra comer sobremesa: eu queria muito levá-los no Dolce Sicily, um café italiano que tem um canolo simplesmente divino, de comer agradecendo o universo. Fomos parando em lojas pelo caminho pra fugir um pouco da chuva, tiramos fotos no Temple Bar e andamos pela Grafton até chegar no local.





Após um bom tempo tomando bebidinhas gostosas e comendo, seguimos pro parque Stephen's Green, mas bem rapidinho, pois voltaríamos lá no outro dia. Já era o fim do dia, estava começando a escurecer, mas eu queria muito que eles vissem a Dublin Georgiana, então andamos na direção da Merrion Square pra tirar umas fotos por ali.




Quando chegamos em casa, fizemos uma jantinha, batemos muito papo, nos divertimos brincando de trava-língua em inglês, português e holandês (os meninos estavam tentando falar "Xuxa, a Sasha fez xixi no chão da sala" e foi hilário!). Fomos dormir relativamente cedo pois no dia seguinte iríamos pra Wicklow ter mais um dia maravilhoso!

ps.: a Carol fez um vlog muito legal desse primeiro dia:


Web Analytics

@blog_barbaridades

Back to Top