Copenhagen e um final-de-semana (4/4)

/

E pra quem ainda não cansou de me ouvir de Dinamarca, prometo que este é o último post! Decidi falar sobre cinco tópicos que me chamaram a atenção de alguma forma por lá:

- Bicicletas

Coitada de mim achando que as pessoas pedalam em Dublin. RISOS. Não Barbarella, ninguém pedala em Dublin. Em Copenhagem sim, é que se pedala. Vimos muita gente pedalando pra todo canto: jovens, velhos, velhinhos, mulheres arrumadas pra balada, criança... todo mundo pedala! As ciclovias são largas, a cidade é toda plana e super segura. Vimos dezenas de bikes simplesmente encostadas na parede - sem nenhum tipo de cadeado! E os estacionamentos de bicicletas, com várias delas amontoadoas (e repito: muitas sem nenhum tipo de cadeado)? Lindo demais! Vai eu querer deixar minha bicicleta encostada na parede no centro de Dublin pra ver o que acontece...







- Comida

Não deu pra gente fazer uma mega pesquisa sobre a culinária dinamarquesa antes de viajar porque como estávamos de mudança, ficou aquela correria! Sendo assim, acabamos jantando num restaurante comum mesmo e durante o dia comemos lanches/snacks. Duas coisas que me chamaram a atenção foi o tal do bolo de maçã que comentei nesse post aqui. Esse bolo é servido num copo com creme por cima; na massa vai bastante canela, o que torna o doce ainda melhor. Não é um mel, ou seja, não seria dos meus doces preferidos, mas ainda assim, uma delícia!




Também provamos o Danish roll, que parece um croissant/doughnut  mas mais denso e delicioso, com muita canela! Aliás, tudo doce que comemos em Copenhagen tinha canela - e por isso, merecem todo o meu respeito.


- Transporte

Vimos poucos carros na rua (porque as pessoas pedalam! fuck yeah) e por isso o trânsito é super tranquilo. Os ônibus pareceram bem ok e os trens/metrôs são excelentes - tem letreiro que mostra quando tempo falta pro trem chegar e coisa e tal, nada muito diferente de outras cidades européias. Agora, o negócio que me impressionou foi a malha ferroviária deles - tipo, veja bem, só pra efeito de comparação - uma montagem tosca que fiz no photoshop:




- Dinamarqueses

Eu imaginava que iria encontrar pessoas altas, lindas e loiras quando fosse pra capital da Dinamarca. E adivinha o que encontrei? Pessoas altas, lindas e loiras! Ô povo alto, viu? Eu no auge dos meus 1,58cm fiquei até me sentindo mal. E em relação à beleza, nem digo nada. Se até o meu namorado achou o rapaz que trabalhava carregando coisas no restaurante bonito, quem sou eu pra dizer alguma coisa? hahaha

- Preços

Sabe quando você lê aquelas listas de países mais caros do mundo e a Dinamarca sempre aparece? Existe um motivo para tal: é tudo caro! Tipo, como citei no primeiro post da série, uma banana custava o equivalente à 1 euro (no aeroporto). Como fizemos passeios grátis, o único gasto foi com poucas passagens de metrô e comida (aí não economizamos mesmo), mas ó: o jantar de Valentine's Day não saiu muito mais caro do que um jantar num restaurante médio em Dublin, viu? Ou seja: dá pra passar um fim-de-semana em Copenhagen sem gastar com transporte (se você só fizer os passeios pelo centro, o que é totalmente possível!) e nem atrações (já que tem muuuita coisa baratinha e de graça). Se economizar na comida então, pronto: visita um país escandinavo sem gastar muito dinheiro!
Web Analytics

@blog_barbaridades

Back to Top