Copenhagen e um final-de-semana (1/4)

/

No ano passado eu e o R. fomos pras Aran Islands, na costa oeste irlandesa, pra comemorar o Valentine's Day. Foi tão especial e bacana que eu queria muito repetir a dose esse ano e ir pra um lugar bacana, de preferência com neve.

Vocês lembram daquele meu post sobre ir pra Noruega no inverno? Pois é. Seria unir o útil ao agradável e aproveitar o inverno pra finalmente ver paisagens lindas de neve, mas infelizmente, não rolou. A Ryanair não colaborou e não achamos passagens pra viajar no fim-de-semana, que era o que tínhamos disponível. Sendo assim, começamos a procurar outros lugares que poderiam ter neve, mas nada cabia no tempo e orçamento.

Foi quando eu vi passagens baratas pra Copenhagen, capital da Dinamarca.

Dos países nórdicos, acho que a Dinamarca era o último da minha lista, mas não é que eu adorei os dois dias que passamos lá?


Essa foi uma viagem diferente. Quando vamos pra algum lugar, geralmente fazemos uma mega pesquisa, lemos sites, fazemos um cronograma, compramos tickets - tudo o que puder ser pensado e programado, a gente faz. Só que dessa vez a data não nos favoreceu. É que como a gente tinha mudado de casa na semana anterior, estávamos cansados, estressados e resolvemos simplesmente ir e ~sentir~ a cidade. A gente tinha uma pequena lista de coisas pra ver e fomos assim, na boa, relax.

Voamos de Aer Lingus, o que é uma maravilha em comparação com a Ryanair - eles geralmente voam pra aeroportos centrais e eu tenho a leve impressão de que os aviões são um pouquinho mais confortáveis. Chegamos em Copenhagen de manhã cedo e a imigração foi super sossegada.

Ao passar pro outro lado, eu já quis entrar numa loja pra ver os preços das coisas (a gente sempre ouve que tudo é muito caro na Escandinávia) e...

Uma banana por 8 coroas - aproximadamente 1 euro (3 reais). Ui!

O aeroporto é ligado aos trens e metrôs, uma maravilha! A gente ficou um pouco perdido no nosso mapa com direções até o hotel, mas nessas horas a experiência de já ter feito isso tantas vezes fez a diferença.

Pouco tempo depois já estávamos fazendo check-in no hotel pertinho da estação e nos preparando pra turistar. A ideia era começar pelo Museu Nacional, que tem entrada franca! Aliás, todos os passeios que fizemos (com exceção de uma atração no domingo) foram de graça. Resolvemos fazer assim porque tudo na Dinamarca é muito caro e eles tem um site oficial de turismo excepcional, o melhor que já vimos! Super completo e com várias dicas de lugares baratos e/ou free. Pegamos todas as dicas e usamos a nosso favor.




O Museu Nacional é enorme, tem muita coisa de conteúdo excelente por ser de graça! Me lembrou um pouco o Museu de Liverpool no sentido variedade da coisa.

No primeiro andar há uma descrição de toda a história da vida humana no planeta desde o comecinho do comecinho. Há objetos, armas, esqueletos de animais e pessoas, enfim, tudo o que você possa imaginar pra ilustrar o contexto de vida de um dado momento específica da história. A gente foi andando meio rapidinho porque já vimos coisas parecidas em outros museus na vida e eu tava mais interessada no segundo andar, que focava mais na Dinamarca em si.

Há informações sobre Copenhagen, seus primeiros sistemas de comunicação, um grande incêndio que destruiu parte da cidade, estilo de vida dos dinamarqueses no geral e na capital, moda, educação, esportes, televisão, sexo, etc, etc, etc. Essa pra mim foi a parte mais visualmente interessante e em termos de conteúdo também. Se eu soubesse, teria passado muito mais tempo lá! Então fica a dica ;)



Por hoje fico aqui. Ainda volto pra contar o restinho do primeiro dia, os lugares que visitamos no domingo e mais algumas curiosidades dinamarquesas!
Web Analytics

@blog_barbaridades

Back to Top