Retrospectiva 2018

/

Mais um ano que se passa, mais um ano sem... ops, música errada, rs. Mas não consigo resistir, mais um ano que se passa, mais ciclos se fechando, portas se abrindo, e aquela sensação de alegria por ter saúde física e mental pra aproveitar o que a vida tem de melhor!

Já são anos escrevendo esse blog e apesar dos blogs estarem sofrendo uma morte lenta, continuo firme e forte registrando para a posteridade. Se centenas de pessoas lêem o meu humilde blog, já não me importo mais. Numa era em que tudo é foto, vídeo, e qualquer parágrafo na internet é precedido de desculpas porque "lá vem textão", me considero vitoriosa por continuar não só com o blog vivo, mas também sempre atualizado.

2018 foi um ano maravilhoso, e se eu tinha dúvidas de que ele seria melhor do que 2017, posso confirmar que a vida tem sido muito generosa comigo!






Janeiro começou no Chile - eu, R., minha mãe e irmão passamos a virada de ano na capital chilena e aproveitamos pra visitar o deserto do Atacama também. Uma experiência maravilhosa. Passamos mais alguns dias em São Paulo e a volta foi muito difícil, a mais sofrida de todas. Chegamos em pleno inverno, a casa tava fria, e estávamos só nós dois. Deu aquele aperto no peito de ter passado dias maravilhosos em família confraternizando, e estar na escuridão do hemisfério norte sozinhos...

Voltar do Brasil pra essa escuridão não foi fácil


Em fevereiro nós viajamos de novo, e dessa vez tirei dois dias de folga pra conhecermos a Letônia e Lituânia. Além disso, estávamos nos últimos preparativos pra nossa viagem à Ásia quando a tempestade de neve Beast from the East chegou na Irlanda e fez o país parar. Ficamos praticamente ilhados por três dias, e nem trabalhar eu fui porque a escola fechou. O resumo da ópera foi que aproveitei pra realizar o sonho de ver Dublin branquinha de neve e ainda tive um tempão pra terminar as malas da viagem que faríamos em poucos dias.



Março e abril foram praticamente todos passados na Ásia. Passamos por oito países diferentes, e curtimos demais a experiência de uma viagem tão diferente do que costumamos fazer. Mas nem tudo são flores - e na semana antes de viajarmos, tive uma reação alérgica no pescoço que persiste ATÉ HOJE. A mancha/coceira vai e vem, e já tive outras reações ainda piores no rosto todo; gastei mais de 500 conto com dermatologista e teste alérgico e nada resolveu. No momento só o pescoço coça, e estou esperando ir ao Brasil pra ver um dermatologista que possa de fato me ajudar.

Maio foi um mês super cheio e movimentado: recebemos a Carol e Rudy em casa e fomos pra Cork ver o show do Ed Sheeran (mais uma visita maravilhosa desses amigos tão queridos!) e também comemorei cinco anos de namoro com R. indo ao show de um dos meus cantores preferidos, Bryan Adams!



Junho, julho e agosto foram um borrão na minha existência. Trabalhei como coordenadora de verão novamente, e mesmo tendo feito esse tipo de trabalho no ano anterior, não sofri muito menos não. É intenso, difícil, e pra ser sincera, um saco. Mas pelo menos na reta final do centro de verão eu tive mais "tempo livre" no escritório mesmo, então pude dar uma adiantada em alguns posts aqui do blog, fora responder e-mails pessoais. Na época eu e R. estávamos comprando uma casa, e ter esse tempo fora de sala de aula na verdade acabou casando bem, porque pude fazer ligações, enfim, coisas que se estou dando aula, não dá pra fazer.

Na verdade, a ideia da casa já vinha de antes, e lá pra maio vimos uma que nos interessou demais, mas o processo todo se desenrolou no verão mesmo, e ficamos indo e vindo entre advogado, mortgage broker, construtora, seguros, etc. Muita papelada e muita burocracia, mas assinamos os contratos em agosto!

Em setembro voltei a dar aulas, e tivemos algumas semanas um pouco menos corridas. Aproveitei esse tempo pra voltar a focar em dirigir, já que tinha marcado minha prova prática e poderia ser chamada pra fazê-la nos próximos meses. Marquei umas aulas extras e fiz uns "simulados" tanto em setembro como em outubro.

Nesses meses também visitamos dois castelos diferentes no interior, e no fim de outubro fomos pra Paris pra ver o show da Laura Pausini. Também aproveitamos o feriado pra visitar amigos em Verona, na Itália, e foi muito muito bom!

Novembro chegou, e com ele, aquele começo de correria pré-fim de ano. Fomos pra Cork comemorar o aniversário do R., e estávamos em vias de pegar as chaves da nossa casa nova, mas ainda tínhamos umas burocracias e vistorias pra fazer. Foi um saco essa espera, tínhamos muita esperança de pegar as chaves ainda em novembro pra estarmos de casa nova antes do Natal, mas não rolou.

Dezembro: comemorei meu aniversário num restaurante/karaokê, ganhei bolo de alunos, muitos cartões e mensagens lindas e um presentão FODA do R.: um piano digital! Eu já vinha falando que queria voltar a tocar piano, e na casa nova teríamos mais espaço... pois bem, R. resolveu me dar essa forcinha, e o piano é a coisa mais linda! Mal posso esperar pra começar a tocar direito!



Mas enfim, conseguimos pegar a chaves da casa. E começamos a corrida pra tentar deixar tudo habitável, o que significou acionar a empresa que já tínhamos escolhido pra colocar o piso, escolher e comprar uma cama, algumas idas à Ikea para os essenciais... e agora, nos últimos dias do mês, conseguimos levar muita coisa pra casa nova e agora é só contagem regressiva pras férias: passaremos o Natal com a família do R. em Cork, e vamos viajar pro Reveillon.

2019 começará maravilhosamente bem, pois no primeiro fim de semana do ano vamos finalmente nos mudar de Stoneybatter. Estamos sonhando com tudo o que vamos viver na casa nova, com o conforto que finalmente teremos, com nossa TV gigante, hahaha. Mas brincadeiras à parte, estamos radiantes de felicidade e contando os dias pra começar esse capítulo novo em nossas vidas!

Pro ano que vem meus planos são de continuar estudando italiano e talvez, quem sabe, finalmente fazer aquela prova de B2. Também quero ver se consigo mais horas de trabalho porque esse segundo semestre de 2018 foi bem instável nesse sentido e eu tenho boletos pra pagar.

Vamos pro Brasil em abril, então o primeiro trimestre será totalmente focado na casa nova, na compra de móveis, coisas, cortinas, decoração... depois do Brasil, vamos ver como estarão as coisas. Ainda não sei se farei aquele trabalho de verão novamente, mas sei que a escola quer que eu o faça.

Fora isso, tem uma ou duas viagens que queremos muito fazer ano que vem, mas vai depender de fatore$ externo$ - a única certeza é que vou pro Reino Unido no verão ver alguns shows da companhia do Rick!

E é isso: 2018 foi um ano maravilhoso de coisas novas, descobertas, muitos carimbos no passaporte, e a realização de um sonho que tínhamos há um bom tempo: nossa casa própria. Estamos muito felizes e ansiosos para o que vem em 2019!

Feliz Ano Novo pra todos nós!
Web Analytics

@blog_barbaridades

Back to Top