Show do Bryan Adams em Dublin

/

Eu sou uma fã enrustida do Bryan Adams. A verdade é que eu não saio gritando aos quatro ventos que gosto desse cantor canadense como saio falando que sou fã daquela cantora italiana, mas a verdade é que nasci, cresci e morrerei ouvindo esse cara. E apesar deu não seguir cada passo de sua carreira, eu tenho um bom conhecimento dos seus álbuns, músicas, etc.

Então uma semana dessas o R. ouviu no rádio que o Bryan ia tocar em Dublin, e por causa da alta demanda, abriu uma segunda noite de shows. E ele comentou isso casualmente enquanto jantávamos, e quando paramos pra analisar que o segundo show seria exatamente no dia em que comemoramos aniversário de namoro, não pensamos duas vezes e compramos o ingresso - os primeiros ingressos que compramos nesse país de modo tranquilo, sem precisar se frustrar com o site da Ticketmaster, rs.

O R. conhece alguns clássicos do Bryan e tem suas preferidas, mas quem gosta mesmo sou euzinha aqui. Então foi simplesmente maravilhoso comemorar 5 anos ao lado da pessoa que eu amo AND ouvindo e cantando músicas de um outro homem que eu amo - R., cê sabe que você é o meu preferido, mas o Bryan é homão da porra também! (hahaha, o R. ama esse meme brasileiro!)



Não li nada sobre o show e o setlist pra ser impactada pela sequência de músicas e puta merda.... se tem um show onde você vai ouvir hits, esse show é o do Bryan Adams. Mas assim, isso também se deve ao fato de que o show é da turnê Ultimate, que traz uma compilação de grandes sucessos do cara e algumas músicas novas. Então sim, a incidência de músicas clássicas dele foi muito mais alta do que teria sido em qualquer outra turnê!

Eu li depois em algum lugar um cara comentando algo do tipo: se você não gosta dessa música específica de Adams, tudo bem. Espere uns minutinhos e com certeza você vai gostar da próxima, porque o cara tem sucesso pra dar e vender. E no show ele vai emendando uma na outra, muitas vezes sem pausa pra respirar!

Mas o que me deixou mais abobalhada foi a qualidade da voz desse cara. Geralmente cantores acabam perdendo a potência vocal com o tempo ou até mesmo tendo o timbre de suas vozes alterado (vide Mariah Carey e até mesmo a própria Laura Pausini), porém Bryan retém a mesma voz de 20, 30 anos atrás. É muito foda! Ele soa tão bom ou até melhor do que no estúdio!!!

Foram 27 músicas - vinte e sete! -, todas absolutamente fantásticas:




Ultimate Love - ele abriu com essa do último álbum, uma música super poderosa, com uma ótima mensagem pros dias que estamos vivendo.

Can't Stop This Thing We Started - clássico maravilhoso, anos 80 na sua mais pura essência!

Run to You - quando os primeiros acordes foram tocados, nos arrepiamos até à espinha - que música absolutamente fantástica!

Go Down Rockin' - também nova e muito boa, rock de excelente qualidade!




Heaven - aqui foi o momento em que me debulhei em lágrimas, claaaaro. Pensei em tanta coisa! Na realização de sonhos. No quão privilegiada sou. No meu pai, que não está mais aqui mas quem a devo tanto do meu gosto musical  - quantos sábados acordei ouvindo Bryan Adams graças ao meu pai?

This Time - outra música mais 80's impossível, adoro!

It's Only Love - esse dueto com a tina Turner é uma das músicas enérgicas e animadas e incríveis que conheço, e o guitarrista do Bryan mandou MUITO nessa música, o cara é muito talentoso!

Please Stay - música do álbum novo, uma daquelas baladas lindas dele que me lembrou as músicas do álbum "Room service".

Cloud #9 - não gostei que ele cantou uma versão mais rapidinha da mesma, prefiro a música original.

You Belong to Me - um rockabilly bem gostosinho, não conhecia essa muito bem.

Summer of '69 - o momento em que todos enlouqueceram? oh yeah. Eu não tava no verão de 69 e também não tava em 84 quando o Bryan escreveu a música, mas sinto as emoções igual. Que clássico, música atemporal!

Here I Am - aqui Bryan ficou sozinho no palco com seu violão e acompanhado do seu pianista, fez uma versão linda dessa canção que foi trilha do filme Spirit.

When You're Gone - o que dizer? Assisti esse clipe quando ele foi lançado no fim de 98 umas mil vezes - gravei o vídeo num VHS antigo lá em casa e assistia e assistia em looping infinito...

(Everything I Do) I Do It for You - mais um clássico. Se você não conhece essa música, precisa rever sua trajetória, rs.

Back to You - uma das minhas preferidas, e achei que ele não fosse incluir essa no setlist!




Somebody - 80's vibe novamente, a galera cantou muito no refrão, foi lindo! E eu só pensava: mano, esse cara só tem hit!

Have You Ever Really Loved a Woman? - precisa dizer alguma coisa? O guitarrista da banda ainda me vem com uma Spanish guitar pra acompanhar, absolutamente perfeita!

The Only Thing That Looks Good on Me Is You - não gosto muuuito dessa não, mas ok, tava feliz!

Cuts Like a Knife - mais uma das minhas preferidas (oh, really?), amei demais ver essa ao vivo! nah nah naaaah nah nah naaaaah nah naaaaah nah naaaah...

18 til I Die - amei que ele adaptou o verso de "someday I'll be 18 goin' on 55" para "going on 65" - afinal de contas, Bryanzinho já vai fazer 59!

I'm Ready - eu adoro essa música do acústico e amei ver ao vivo no show!

Brand New Day - get up, get up, get up... super animada pra fechar o show, ou pelo menos achei que assim seria.

Mas Bryan é foda e ainda tinha uns hits na manga. Após o show "terminar" e a banda sair do palco, eles retornam pro encore cantando: I Could Get Used to This, I Fought the Law (cover do The Crickets), Whiskey in the Jar (cover do Thin Lizzy - essa pra agradar os irlandeses, claaaaaro), Straight From the Heart (e foi lindo ele comentar que escreveu essa música aos 18, quando achava que sabia tudo sobre o amor e na verdade não sabia shit about love) e por fim, All for Love (originalmente gravada com Rod Stewart & Sting).

Um dia inesquecível, um show absolutamente fantástico! Sou ainda mais fã do Bryan Adams, e dessa vez, abertamente pro mundo todo saber!
Web Analytics

@blog_barbaridades

Back to Top