Intercâmbio na Irlanda: prós e contras

/

Em 2013, no meu primeiro ano morando na Irlanda, eu fiz um post intitulado "Eu não recomendo um intercâmbio na Irlanda". Até hoje esse é um dos posts mais lidos e comentados do blog, e até entendo o porquê. Enquanto dezenas de vídeos no youtube e blogs pela internet à fora não param de dizer "vem pra cá você também", o meu post surge como um contra-ponto, mas eu queria fazer algumas reflexões sobre o que escrevi naquele texto.

Muita coisa aconteceu não só na minha vida mas também na Irlanda nesse meio tempo. De 2013 pra cá, a Irlanda mudou diversas regras para os que vem pra cá como estudante, como a permissão de trabalho (agora só trabalha fulltime no verão e na época do Natal) e o tempo de visto (antes 12 meses, agora somente 8). Além disso, em 2014 e 2015 mais de 10 escolas de inglês fecharam em Dublin (inclusive a minha!), o que resultou em outras mudanças, já que agora as escolas são obrigadas a oferecerem uma proteção pro aluno caso feche suas portas, entre outras coisas.

A primeira razão que eu citei naquele post de 2013 contra um intercâmbio aqui foi a questão do sotaque irlandês. De fato, nos meus primeiros meses aqui fiquei num conflito muito grande pois me descobri conhecendo diversas variações linguísticas dentro do país que constratavam muito com o "inglês-irlandês" que eu conhecia dos filmes. Hoje, penso que essa não é uma barreira pra quem quer estudar aqui. No entanto, a pessoa precisa estar preparada, pois somente em Dublin são diversos sotaques pra você conhecer e se acostumar.

intercambio irlanda pros e contras


O segundo motivo pelo qual eu não indicaria um intercâmbio na Irlanda era o clima. E mantenho essa opinião. Pra quem não gosta de frio e chuva, vai ter muita dificuldade com o clima aqui - isso que a Irlanda nem é um país tãããão frio assim. A verdade é que se você é movido por dias de sol e céu azul, vai ter que fazer um super esforço pra ter coragem de sair de casa nos dias cinzas por aqui. Tenho amigos que sofrem demais aqui no inverno, ficam super pra baixo, etc e tal. Se essa não é a sua praia, pense melhor.

O terceiro e mais importante motivo pelo qual eu não indicava um intercâmbio na Irlanda é a questão da qualidade de ensino nas escolas. Olha, não me leve à mal, mas o negócio era muito, muito feio. E ainda é em alguns lugares, mas agora que não sou mais uma outsider nessa área, posso falar com um pouco mais de propriedade. Depois de fazer o mestrado em TESOL na UCD, ter dado aula aqui em dois verões seguidos e estar empregada em escolas como professora desde novembro do ano passado, além de ter conhecido um monte de gente da área, comecei a perceber que aquele perfil de escola ruim, com professores péssimos, está com os dias contados. Ainda há um longo caminho a ser percorrido - algumas escolas mal investem em desenvolvimento de professores e pagam muito, muito mal, mas de forma geral, muitas escolas oferecem várias oportunidades para os professores. E professor bem pago e preparado é sinal de professor motivado, o que significa que as aulas vão ter uma qualidade maior.

Claaaaro que sempre vão existir maus profissionais em qualquer área, mas acredito que no mercado competitivo que Dublin se tornou, as escolas precisam apresentar um bom quadro de professores.

Agora, eu mantenho o meu lema de que não é preciso sair do Brasil pra aprender inglês, e é aqui que está o pulo do gato desse post.

Seguinte: se você não tem vontade de morar fora, mas acredita que só vai aprender o tal sonhado inglês fazendo um intercâmbio, fique tranquilo: você consegue aprender inglês sem sair da sua cidade mesmo. Eu digo isso porque conheci pessoas aqui na Irlanda que só vieram pra cá pra estudar mesmo, morriam de saudade de casa, da família, não tinham o intuito de viajar nem nada - o negócio era aprender inglês mesmo. Pra esses, eu não indico gastar os 20, 25 mil reais (as escolas estão mais caras e o euro mais alto, então penso que um intercâmbio de 8 meses pra cá tá saindo esse preço - sem contar que você provavelmente precisará trabalhar aqui pra se manter) só pra aprender inglês fora. Eu sou um exemplo disso: nunca tinha colocado os pés pra fora do Brasil e falava inglês num nível proficiente há muito tempo. Até hoje recebo comentários incrédulos de gente que fica boba com o fato deu não ter morado fora antes. Também tive diversos alunos que nunca foram pra fora e que falam um inglês excepcional!

O segundo cenário é para aquelas pessoas que tem muita vontade de viajar cujo foco não é aprender o idioma e que por isso fazem o intercâmbio. Para esses, eu indicaria pegar o dinheiro e só viajar mesmo, já que as burocracias de um intercâmbio (visto, moradia, conta no banco, etc) não valem a pena se o seu real objetivo não é aprender inglês e sim viajar.

Agora, se você quer não só aprender inglês mas também ter a vivência no exterior, é óbvio que eu recomendo fazer um intercâmbio. Primeiro porque você cresce muito como pessoa, já que tem que lidar com burocracias num país desconhecido e acaba se descobrindo muito, sabe? Além disso, a experiência de fazer pequenas coisas num país diferente (ir ao mercado, cortar o cabelo num salão local, etc) agregam muito à nossa vivência.

A Irlanda é um país absurdamente maravilhoso e pra quem gosta de natureza e/ou história, é um prato cheio! Sua capital, Dublin, é uma cidade no tamanho ideal (nem grandona nem minúscula) que oferece todo tipo de entretenimento (bares, restaurantes com comida do mundo todo, cinemas, eventos, etc) e lazer, mas que peca em transporte público, por exemplo. Se você gostaria de saber como é viver num outro país e tal, a Irlanda é uma ótima opção porque aqui você vai conhecer gente do mundo todo, vai ter excelentes opções de passeios e vai aprender a se virar quando precisar abrir conta em banco, fazer aluguel de casa, etc. Além disso, apesar de ser uma ilha, a Irlanda é muito bem conectada com a Europa e o resto do mundo, então tem muitos vôos saindo daqui - o céu é o limite!

O negócio é que eu conheço muita gente que vem pra cá e depois de um mês, o cara já não quer mais saber de aprender inglês. Aí fica aqui saindo com os amigos brasileiros ou passando o dia em casa no inverno (conheço e presenciei gente que nunca saía do quarto, JURO - pessoaS, no plural mesmo). Porra, gastar esse dinheirão todo pra isso não vale a pena, né, Brasil? Mas cada um sabe de si.

intercambio irlanda vale a pena


Eu não sou um site oficial de intercâmbio ou agência e portanto você nunca vai me ver falando só maravilhas do país, essa não é a minha proposta. Eu espero que, com a minha experiência de vida aqui e esses mais de quatro anos acumulados na Irlanda possam ajudar, de alguma forma, as tantas pessoas que me perguntam sobre estudar aqui. Será que ajudei?
Web Analytics

@blog_barbaridades

Back to Top