Dirigindo na Irlanda #2

/

Eu tinha planos de começar minhas aulas de direção no verão deste ano. Já tinha estudado e passado na prova teórica em 2016 e mal podia esperar pra colocar minhas habilidades motorísticas em ação. Mas, não deu. Fui chamada pra trabalhar na coordenação da escola e não tive tempo e muito menos cabeça de começar as aulas práticas. Fui adiando, adiando, e quando chegou setembro, bati o pé e comecei a procurar uma escola.

Algumas amigas tinham me indicado instrutores e até entrei em contato com um, mas ele não cobria minha região pois morava do outro lado da cidade. Aí eu apelei pro grupo das meninas que moram em Dublin lá no Facebook e anotei o nome de um cara que todo mundo elogiava. Entrei em contato e marquei uma primeira aula pra ver como era. Se gostasse, fecharia o pacote com ele.

E gostei demais! Ele é um senhorzinho super paciente, me ajuda bastante e é tranquilão. Na primeira aula ele me levou ao Phoenix Park e lá sentei no banco do motorista. Falamos sobre coisas básicas como espelho, retrovisor, como ajeitar o assento do banco, etc. Depois, falamos sobre embreagem, acelerador... e o famigerado biting point, que é quando você sobe o pé na embreagem e acelera ao mesmo tempo, fazendo com o que o carro dê uma tremidinha, indicando que tá pronto pra sair.



Eu fiz aulas de direção no Brasil num longínquo passado - uns 12 anos atrás - e lembro bem desse ponto da embreagem. É um saco. Não entendo como não inventaram um sistema melhor pra dirigir - quer dizer, inventaram - trata-se do carro automático. Só que preciso aprender a dirigir num carro roots porque se tirar a carta num carro automático, não terei permissão pra dirigir nada além disso. Afff.

Lá vai a Bárbara subindo o pé na embreagem, acelerando, dando seta, tirando a mão do freio de mão e.... pá. Carro morreu. Isso aconteceu muito no começo e ainda acontece, mas uma vez que o carro tá andando, tenho dirigido muito bem!

Na segunda aula já saí dirigindo da minha casa até o parque, já dirigi pros lados de Finglas, já fiz o 3-point turn... tô super feliz. O instrutor me elogiou, disse que meu steering é bom e que tô indo muito bem - só perco um pouco da concentração quando estou nervosa. Fora isso, é ótimo. Me sinto independente, poderosa, adulta, é uma sensação deliciosa!

Até o momento já fiz 5 aulas e nesse meio tempo, o R. me colocou no seguro do carro dele. Uns domingos atrás saímos pra praticar um pouco e foi a primeira vez que dirigi um carro sozinha - o carro do R. não tem controle para o passageiro como um carro de auto-escola obviamente, então it was all on me. E sim, deixei o carro morrer. Sim, um babaca ficou buzinando pra mim. Mas eu não bati o carro, não fiz grandes besteiras e depois de ter praticado bastante esse liga e desliga do carro, nos levei até o mercado, rá!

Agora faltam 6 aulas pra eu concluir as 12 obrigatórias. Por conta da agenda cheia do meu instrutor, não sei se vou conseguir fazer todas as aulas até ir pro Brasil no fim do ano, mas mesmo se não der, não tenho pressa. Já dei o primeiro passo e já estou praticando, que é o que importa. Vamos deixar a prova prática só pro ano que vem mesmo, até porque eu ainda preciso de muito mais horas no volante pra me sentir confortável o suficiente pra ser testada!


Web Analytics

@blog_barbaridades

Back to Top