Há males que vem para o bem

/

Recentemente a Ryanair se envolveu numa polêmica que tem dado o maior bafafá.

Por conta de férias que eles deviam à funcionários, tiveram que cancelar muitos, mas muuitos vôos. Foi bem polêmico porque cancelaram dezenas, centenas de vôos diários e muita gente foi pega de surpresa - tipo, cheguei no aeroporto, meu vôo foi cancelado e agora só tem outro pra daqui a 5 dias.

Depois dos primeiros dias dessa bagunça toda, anunciaram que cancelariam ainda mais voos até o fim de outubro, quando a situação estaria normalizada. Ficamos apreensivos, porque tínhamos um voo marcado pra Suíça no feriado do fim de outubro - e a ida é justamente com a Ryanair.

Aí publicaram uma lista dos voos que seriam afetados e ufa - nosso vôo não estava lá! Seguimos nossas vidas felizes da vida.

No entanto, como estamos falando de Ryanair, nem tudo é tão simples quanto parece e bem... anunciaram que cancelariam ainda mais voos. Dessa vez, ao invés de fazer tudo de uma vez, cancelariam voos aos poucos entre outubro e março do ano que vem. E nem deu tempo de ficarmos apreensivos - já que tínhamos outro voo marcado com a Ryanair pra novembro - dessa vez nosso voo de ida foi cancelado.



No email que recebemos e no site da empresa, nos deram duas opções: poderíamos obter o reembolso do voo cancelado ou mudar a data do mesmo. Mas veja bem, o reembolso seria apenas para o voo cancelado. Ou seja, faz o que com o voo de volta?

No nosso caso, não compensaria pegar reembolso, já que o voo de ida foi comprado numa mega promoção. Então fomos olhar que opções teríamos pra remarcar o voo. Pra nossa sorte, haviam duas opções: voar no mesmo horário um dia anterior (originalmente viajaríamos na quinta) ou viajar um dia depois, o que seria sexta.

Pensamos, pensamos, pensamos. Fizemos listas de prós e contras. Ficar um dia a mais na cidade ou um dia a menos? Quanto ficaria mais uma noite no hotel? Quanto economizaríamos se ficássemos um dia a menos? No fim das contas, o lado financeiro pesou. E como não vamos pra uma cidade muito grande e nem é uma viagem de férias propriamente dita - e sim apenas um city break - optamos por remarcar o voo para sexta.

Seguimos felizes da vida, quando recebemos um outro email da Ryanair. Pra tentar amenizar o transtorno do voo cancelado, a empresa nos deu um voucher que pode ser utilizado pra comprar qualquer voo entre outubro de 2017 e março de 2018. Nos sites de notícia lemos que eles estavam dando 40 euros por passageiro, mas para a nossa surpresa, ganhamos um voucher de 80 euros cada.

Ficamos com muita dúvida de como usar esse voucher. A vontade era de ter comprado um vôo pra Marrakesh, mas a Ryanair não voa pra lá nessa época do ano. Aí nossas opções ficaram mais restritas, mas não menos interessantes: Polônia, Bulgária, Estônia, Letônia ou Lituânia. Esses são os países para a qual a Ryanair voa que ainda não tivemos a chance de conhecer!

Ao fazer uma pesquisa rápida vimos que os horários não estavam bons pra todos os vôos não. A maioria deles, aliás, seria pra voar no sábado e voltar na terça, ou voar na quinta e voltar no sábado, não tinha nada rapidinho, bate-e-volta de fim de semana. Mas ao olhar com ainda mais atenção, vimos que a Ryanair não voa pra Estônia nessa época do ano (Talinn, fica pra próxima!), então eliminamos esse destino.



Aí como sou ratinha de viagem e vi a oportunidade, sugeri ao R.: porque não vamos à Letônia e voltamos da Lituânia ou vice-e-versa? Tipo, seria uma chance ótima de conhecer dois países do Báltico numa tacada só!

Resumo da ópera: ficaremos um dia a menos na Romênia em novembro - o que no fim não afetará nossos planos por lá, economizaremos porque teremos uma noite a menos de hotel e um dia a menos de gastos e ainda por cima ganhamos 80 euros cada pra reservar mais uma viagem - que acontecerá em fevereiro do ano que vem - Lituânia e Letônia, aí vamos nós!
Web Analytics

@blog_barbaridades

Back to Top