Irlandês é assim, brasileiro é assado

/

Há uns bons meses vi a Carol indicar um livro muito bacana no blog dela, uma série chamada Culture Smart. Basicamente se tratam de livros que falam sobre cultura, história, estilo de vida e etecéteras de determinado país - achei super interessante e comprei a edição sobre o Brasil pro R. e a versão pra kindle sobre a Irlanda pra mim.

Nem preciso dizer que devorei cada página. E o livro é absolutamente spot-on: tudo que eles falam sobre os irlandeses, como eles são e o que eles gostam está lá, retratado de maneira exata. O engraçado é que enquanto eu achei o livro super fiel, R. achou a versão sobre o Brasil a mesma coisa. Resolvi então ler a edição sobre o Brasil pra poder comparar.


Os dois livros trazem temas parecidos divididos em capítulos parecidos: história e geografia, valores e atitudes (relações familiares, orgulho nacional, relacionamentos, etc), religião e tradições, como fazer amigos, irlandeses/brasileiros em casa, lazer e outros dois tópicos mais voltados pra business, que são comunicação e como é o estilo de trabalho em cada país.

Ambos começam com o mapa dos países e algumas informações mais factuais, como área geográfica, divisão dentro de cada um (no Brasil, os estados; na Irlanda, os condados), população, língua oficial e outras coisas do mesmo tipo.

A parte de história, ao meu ver, foi uma das mais interessantes - no livro sobre a Irlanda, vem desde o comecinho e passa pelas invasões viking e normandos, ingleses (e a dominação inglesa de quase 800 anos), a Grande Fome, independências, primeira presidente mulher nos anos 90 aqui, Tigre Celta e boom na economia, recessão e recuperação. Nada de muito novo pra quem já estudou/leu o mínimo sobre a Irlanda. Já o livro brasileiro fala sobre ~descobrimento~, como as primeiras famílias de portugueses e índias surgiram (e como isso tá enraizado na nossa cultura até hoje, que é a coisa da mistura, da diversidade), Tratado de Tordesilhas, família real no Brasil, Dom Pedro I e II, independência, Getúlio, militares, Collor, Lula, Dilma, tudo tudo. Foi como voltar no tempo e lembrar de todas as aulas de história que tive na escola, maravilhoso! (e o R. me disse que aprendeu um monte de coisas que ele não sabia)

Depois entra a arte, e uma das coisas que mais gostei no Culture Smart Ireland é sobre como os irlandeses tem orgulho de seu passado e de sua rica cultura: poesia, teatro, literatura, dança e música não são coisas consideradas "arte" com A maiúsculo; são parte do dia-a-dia, considerados parte da comunidade. Achei isso lindo e muito verdade - não é à toa que vemos músicos talentosíssimos tocando no meio da rua no meio de nós mortais, né?

Já no livro Culture Smart Brazil há um trecho que fala sobre nossa paixão por novela e futebol, mas também sobre como, apesar de todo brasileiro reclamar do Brasil, os habitantes da terrinha simplesmente amam ser brasileiros!

Uma das coisas que mais me chocou foi uma parte do capítulo "Sex and morality": aqui na Irlanda, por causa da forte influência da igreja católica, até 1995 o divórcio era ilegal. Além disso, os métodos contraceptivos não eram bem vistos - olha só o que um bispo irlandês disse nos anos 70:



E quando o assunto é amizade? Na Irlanda as pessoas geralmente cumprimentam com um aperto de mão e no geral são muito amigáveis e informais. No Brasil o autor do livro conta que as pessoas podem virar melhores amigos na fila do supermercado e que brasileiro adora ter companhia pra tudo - e é verdade! "Vamos comigo na padaria?", "Vamos comigo no banheiro?" são coisas super comuns, né? Eu particularmente nunca liguei muito - gostava bastante de ir ao cinema sozinha, por exemplo!

Os livros também falam do comportamento dos irlandeses/brasileiros ao sair: os irlandeses bebem sua pint de cerveja tranquilamente, sem pressa e funcionam na base dos rounds - uma pessoa paga bebida pra todo mundo naquela rodada e na próxima uma outra paga pra todos e assim por diante. Ninguém fala nada se você não se oferecer pra pagar, mas não pega bem, sabe? Já no Brasil preferimos a cerveja estupidamente gelada - e eu pessoalmente acho bem diferente a atitude das pessoas num pub e num bar no Brasil (no pub irlandês tem até famílias juntas!).

Pra quem tem interesse em saber mais sobre a cultura de um país ou simplesmente revisitar informações de algum lugar que você já conheça, recomendo fortemente essa série!
Web Analytics

@blog_barbaridades

Back to Top