Mais férias?! Porto de Galinhas (PE)

/

Porto de Galinhas é tudo isso que dizem: linda, muito linda e muito cara.

Fiquei por lá por 3 dias, após visitar minha família no interior de Pernambuco.

No primeiro dia, chegamos no horário de almoço e já fomos pro centro procurar algum restaurante pra matar a fome. O centro de Porto é uma gracinha, com um calçadão enorme e várias pequenas galerias com muitas, muitas lojas. Há também vários restaurantes.

Depois de almoçar, o plano era voltar pro hostel, colocar um biquíni e passar o resto da tarde na praia. Ao chegar na recepção do hostel, o atendente começou a oferecer alguns passeios, dentre eles o mergulho de cilindro. Na mesma hora, ele já foi ligando pra uma empresa que faz mergulhos pra saber se ainda dava pra fazer naquele dia, se a maré estava baixa o suficiente. Alguns minutos depois e ele já estava pedindo nossa confirmação pra fazer o mergulho dali a menos de UMA HORA! Bateu um medo e desespero de resolver assim de supetão, ainda mais porque gosto de planejar as coisas com antecedência, tudo bonitinho e tal. Mas já que estávamos de férias, bora marcar!



Correria pra colocar biquíni, pegar câmera, dinheiro, fomos pra loja da Ganesh fazer o pagamento e ouvir as instruções do mergulho.

Eu estava muito, muito nervosa porque sou bem medrosa pra essas tais aventuras. Ouvi as instruções corretamente e seguimos pra jangada que nos leva até o ponto do mergulho, que não é muito longe da praia.

Chegando lá, eles colocam o equipamento em você: pé-de-pato, peso na cintura, colete com o cilindro e a máscara. Pra mim o mais difícil inicialmente foi respirar, pois o nariz fica tampado e você respira somente com a boca, com um aparelho que te deixa parecendo um lutador de boxe.

O meu instrutor era um argentino muy gatinho.

Depois de uns 2 minutos na superfície, ele pega na sua mão e desce com você. Como são duas pessoas por instrutor, fui com o meu irmão.

A princípio, a distância da superfície pra baixo parece pouca, mas acho que a máscara acaba distorcendo um pouco a percepção de distância. Ao chegar lá em baixo, ele pediu pra ficarmos de joelho, pra que ele começasse a tirar fotos. Só que o grande problema é que eu não sei nadar e não tenho controle sobre meu corpo na água; logo, após ele me colocar de joelhos eu saía flutuando, virando, ficando de pé.... E tive a sensação de que em certo momento o instrutor já tava era muito puto de ter que me ajeitar toda hora. De qualquer forma, seguimos "nadando" com algumas pausas pra foto de joelhos e deitados no meio dos peixes.

O mergulho dura em torno de 25 minutos. Pra mim, foi até tempo demais porque eu não agüentava mais ter que me concentrar pra respirar pela boca e prestar atenção nos sinais do instrutor argentino.


mergulho em porto de galinhas
Instrutor tentando me ajeitar

Cé me fotografando

Cabelos fuá

Muitos, muitos peixinhos!

Ao subir, o maior alívio é tirar aquele negócio da boca e respirar normalmente. A jangada te leva de volta pra beira da praia e fim.

Se eu gostei de mergulhar? Não vou dizer que não, é muito legal ver o "fundo" do mar, os peixinhos e tal, mas não sei se eu faria essa aventura novamente. De qualquer forma, as fotos ficam como lembranças de uma experiência inesquecível!




mergulho em porto de galinhas


Ps: O mergulho saiu por 70,00 reais e o cd com as fotos de "brinde". Além das fotos fornecidas pela empresa, fiz questão de levar nossa própria câmera descartável pra tirar fotos (como já planejávamos o mergulho já havíamos comprado a bendita!). Compramos esta câmera nesse site, e as fotos ficaram bem ok! Fui procurar o produto e não vi mais nesse site, mas no Mercado Livre dá pra encontrar pelo mesmo preço que eu paguei, em torno de R$ 34,00.
Web Analytics

@blog_barbaridades

Back to Top