A península de Dingle

/

Quando minha mãe esteve aqui em maio desse ano, fizemos uns passeios pela Irlanda e além de Kerry, fomos também pra Dingle. Eu já tinha estado por lá há três verões atrás com amigos quando fizemos uma road trip pela Irlanda, mas queria muito voltar e conhecer mais e olha, valeu a pena.

Ficamos num B&B um pouco fora da cidade em si - a verdade é que no verão, Dingle é um lugar muito procurado por turistas e também pessoas da região e todos os hotéis lotam. O local onde ficamos era uma graça e no fim conseguimos dois quartos, a dona era uma fofa e o café-da-manhã uma delícia.

Chegamos na cidade já à noite, vindo de Kerry e fomos num pub local por um tempo pra conhecer. No dia seguinte acordamos cedo e fizemos a rota do Ring of Dingle, que apesar de não ser tão famosa e completa como o Ring of Kerry, é igualmente bela e interessante.



Partindo de Dingle, seguimos oeste em direção à Ventry e no caminho, vimos uma placa que me fez surtar:




Sim, a oportunidade da minha vida! Eu sempre quis segurar uma ovelhinha e não acreditei. Paramos o carro e fomos ver como é que era. Por três euros cada, pudemos segurar uma ovelhinha de poucas semanas se vida, conversar com o fazendeiro, perguntar um monte de coisa... e sim, elas são tão fofinhas quanto eu imaginava que seriam. Uma delícia, fiquei apaixonada!



De lá seguimos pro Dunbeg Fort, que também cobra a entrada (não lembro o valor, mas foi baratinho). Eles te levam pra uma sala onde exibem um vídeo de mais ou menos 10 minutos que explica sobre o forte, quem morava por ali, como preservam o local, etc, etc. Foi meio tenso porque tive que assistir e traduzir pra minha mãe, e tradução simultânea é MUITO DIFÍCIL. Como dizem os irlandeses, fair play pra quem é intérprete, porque o negócio não é moleza não.




Depois pudemos ir conhecer o forte em si, e como tava um dia maravilhoso de sol, foi uma experiência muito gostosa. Esse forte data de uns 500 anos antes de Cristo! Infelizmente em 2014, com as tempestades de inverno, os ventos e oceano acabaram destruindo parte do local, então há algumas restrições para os turistas visando a segurança de todos.

Continuamos a jornada até Slea Head, um daqueles lugares de cair o queixo (mais um?) nesse país lindo.






Como estávamos com fome e já tínhamos visto lugares maravilhosos, resolvemos terminar o ring até Dingle mas sem parar mais no caminho. Chegando lá, compramos ingresso pro Aquário de Dingle, uma atração que valeu a pena visitar, já que o único aquário que eu tinha visitado aqui havia sido o de Galway, Atlantaquaria, que é bem pequeno.

O Dingle Aquarium é uma graça, mas tem um preço bem salgadinho: €13.50. Mesmo assim, valeu a pena, já que conseguimos ver muitos animais lindos, como uma tartaruga gigante, tubarões e peixes coloridos, além das lontras sendo alimentadas e das arraias - e até passar a mão nelas conseguimos!





A cidade tava bombando, lotada de gente, e depois de dar uma procurada na internet pra ver se achavamos alguma recomendação de lugar pra comer, acabamos parando no lugar mais próximo e almoçamos, claro, frutos do mar. Depois fomos provar o famoso sorvete Murphy's, que é local. Sim, tem sorveteria Murphy's em Dublin e em outros lugares da Irlanda também, mas eu nunca havia provado e fiquei feliz de ter minha primeira vez com ele no lugar onde o próprio é feito! Há várias opções de sabores diferentonas, tipo sal marinho, e é tudo uma delícia. Claaaaaro que não é um gelato italiano, mas é super gostoso!






Dingle é uma cidade lindinha com muitas atrações e se você estiver planejando um passeio pelo oeste irlandês, sem dúvida em recomendo essa península, de verdade. É tudo lindo demais!
Web Analytics

@blog_barbaridades

Back to Top