Resenha: como é voar de British Airways?

/

Já vim de São Paulo pra Dublin três vezes: na primeira, em 2013, voei de Turkish Airlines, que pesar de ser uma companhia incrível, me deixou na mão na volta e nunca se desculpou comigo. Acabei tendo que vir de Istambul pra Dublin pela British Airways, mas como eu estava cansada, passando por um estress muito grande, nem prestei atenção no vôo direito.

Na segunda vez que vim pra cá voei de KLM, no ano passado. O vôo foi cansativo porque não consegui dormir quase nada, mas no geral, gostei muito da qualidade da comida (e o sorvetinho) e do vôo no geral.

Esse ano fui e voltei de British Airways e pra mim, ela tá muito à frente das outras que já voei.

Tanto na ida como na volta nosso vôo teve atrasos - e nas duas ocasiões já estávamos dentro do avião esperando por volta de um hora. Fora esse detalhe, tudo ocorreu muito tranquilamente. Fizemos check-in pela internet e pegamos um assento meio/corredor, pra que pudéssemos levantar quando quiséssemos. Havia duas opções de prato principal pro jantar mas acabei escolhendo o frango com legumes - a porção não era muito grande e como estávamos com muuuuita fome, não foi suficiente, mas ok. Consegui dormir umas boas horas e pela manhã eles serviram o café - um típico English breakfast!

Foi engraçado ouvir o burburinho dos brasileiros no vôo perguntando o que era aquele café-da-manhã com ovos, linguiça, feijão. Eu no meu cantinho tava levantando a mão pro céu: comida de verdade! Foi ótimo pra repor nossas energias e chegar em São Paulo bem.

Já no vôo de volta tivemos uma surpresa muito agradável: ao fazer o despache das malas no guichê da British no novo Terminal em Guarulhos (que agora sim mostra à que veio), o atendente nos diz que fomos upgraded pra world traveller plus! Quase dei pulinhos de alegria (quase não, eu DEI pulinhos de alegria) porque justamente no Brasil conversei com alguns amigos e comentei que seria uma super sorte se fôssemos upgraded pra alguma coisa.



World traveller plus não é nenhum business ou first class, mas já é uma grande melhora. Primeiro porque sentamos só eu e o R. - eu na janela e ele no corredor. Segundo porque há um pouco mais de espaço pras pernas, além do travesseiro, cobertor e fone de ouvido serem bem melhores do que os comuns.

A comissária veio oferecer bebidinhas, jornal, um monte de coisa. Também trouxe um cartão com o menu do jantar - já me senti super chique!

O jantar foi gostoso e os talheres eram DE VERDADE. Nada de plástico, Brasil! Ai, como eu queria voar sempre assim....



À noite li um pouco depois de ver 10 minutos do filme "Foxcatcher", comecei a pegar no sono e consegui dormir por umas 4 horas direto!

O café-da-manhã foi mais continental mesmo: misto-quente, café ou chá, suco de laranja, etc.

Por conta do atraso em SP, muitas pessoas perderam conexões em Heathrow - nós não. Felizmente, deu tempo de correr, trocar de terminal (pegando um ônibus, já que aquele aeroporto é gigante!) e embarcar no vôo Aer Lingus pra Dublin - só que nesse samba já imaginávamos que nossas malas não chegariam a tempo e.... dito e feito. Ao chegar em Dublin, nada de mala. Por um lado, foi até bom, sabe? Não precisamos gastar com táxi pra voltar e voltamos mais leves. No dia seguinte de manhã já nos avisaram que entregariam as malas aqui em casa - sucesso, né?

Como eu não acho que um raio caia no mesmo lugar e uma mesma pessoa não seja upgraded mais de uma vez na vida, acho que meu sonho de voar business class já era - a não ser que eu seja muito rica e só voe assim no futuro! RISOS
Web Analytics

@blog_barbaridades

Back to Top