Preparação para o CPE - parte III

/

Hoje eu vou falar do segundo paper do CPE, o writing.

Acho que já tá implícito que eu adoro escrever, né? Sempre gostei. E quando estudava inglês adorava fazer redação e me empenhava em usar vocabulário e estruturas legais nos meus writings.

Mas escrever no blog e fazer redação na aula de inglês é um pouquinho diferente de escrever duas redações, uma atrás da outra, num exame de proficiência.

Na verdade, desde 2013 o formato do CPE mudou e eu achei a mudança toda muito positiva - a prova está mais curta e com menos questões, embora mantenha o mesmo nível de dificuldade. É tudo lindo e maravilhoso, com exceção do bendito writing. Por que antes era assim: você tinha 2 horas pra escrever 600-700 palavras divididas em duas redações. Agora você tem 1 hora e meia pra escrever poucas palavras a menos - 520 a 600.


Retirado do http://teflgeek.net/2011/10/31/changes-to-cpe-in-2013/cpe-changes-writing/


Isso significa que a pressão aumentou, porque os tipos de redação são os mesmos e a essência é a mesma, mas agora você tem 30 minutos a menos e sim, os 30 minutos fazem diferença.

Eu por exemplo SEMPRE escrevo rascunho das coisas, mas com 45 minutos pra cada texto, não dá pra ter o luxo de fazer rascunho, você tem que fazer tudo a caneta, direto. Pode rasurar? Pode. Massss, segundo o meu professor do curso preparatório, causa má impressão riscar demais o seu texto, sabe? Por isso, a dica é: dedique 5-7 minutos rascunhando os pontos principais da redação (no 1º parágrafo falarei disso, no 2º falarei daquilo...) e aí comece a escrever.

Então agora as tarefas são:


Basicamente o primeiro exercício é escrever um essay misturado com um summary. Eles vão te dar dois textos sobre um mesmo tema e você tem que fazer um resumo dos dois textos incluindo a sua opinião. Parece difícil mas depois de escrever uns 3, acho que peguei o jeito da coisa - o legal é pegar uns 3 ou 4 pontos de cada texto e abordá-los na sua redação mas com outras palavras. Copiar trechos e palavras dos textos originais vai baixar a sua nota!

O segundo exercício é opcional - quer dizer, é obrigatório fazê-lo, mas você pode escolher o tipo de texto que vai escrever. São eles: artigo, carta, resenha ou relatório. Existe também a possibilidade de escrever sobre bibliografia previamente estabelecida por Cambridge (igual no vestibular, sabe?), mas honestamente, isso exige mais preparação (porque você ter que ler os livros pedidos) e não acho que valha a pena.

No curso preparatório que estou fazendo o professor cobriu todos os tipos de redação e fizemos pelo menos uma de cada pra ele corrigir. Não estou satisfeitíssima com meus textos (poxa, escrever um negócio foda em 45 minutos é... foda!), mas me sinto mais confortável com os modelos. O professor salientou que apesar de provavelmente cada pessoa ter um tipo preferido (o meu é resenha!), é melhor não contar com a sorte porque às vezes o assunto relacionado ao tipo de texto que você gosta pode ser extremamente difícil pra você falar sobre.

E o que é levado em consideração pelo examinador quando ele corrige seus lindos writings? De acordo com Cambridge: conteúdo (se você escreveu exatamente o que foi pedido), desempenho comunicativo (se o texto está apropriado pra tarefa), organização (divisão dos parágrafos, coesão e coerência,etc) e língua em si (uso de gramática e vocabulário adequados). A nota vai de 1 a 5 em cada um desses itens, com um potencial de 20 no total.

O mais irônico é que eu usava exatamente este critério ao corrigir as redações dos meus alunos na Cultura. Obrigada, vida.
Web Analytics

@blog_barbaridades

Back to Top