Santiago vista de cima, praças e virada de Ano Novo | Chile #8

/

Ahhhh, Santiago, que cidade linda! Nós ficamos efetivamente somente dois dias inteiros na capital chilena, e foi bem ok pra conhecer alguns lugares por lá que queríamos conhecer. Claro que faltaram algumas coisas, e eu adoraria ter feito algum walking tour ou algo assim pra aprender mais sobre a história da cidade, mas vim embora super satisfeita com o que vi.

Primeiro porque ficamos super bem localizados e foi fácil de nos locomovermos pela cidade. Reservamos um apartamento pelo Hotels.com (assim eu e R. ganhamos noites grátis após 10 noites reservadas pelo site) e foi ótimo, tanto pelo preço como pela possibilidade de cozinhar. Pra quem tem interesse em saber, ficamos no RS Santiago na avenida Huérfanos e pagamos 217 euros para 3 diárias - dividindo por quatro pessoas, ficou 18 euros cada por dia (na faixa de 72 reais), o que não é nada mal. O apartamento era muito confortável - com exceção da cozinha minúscula, mas conseguimos fazer tudo que precisávamos. Tinha um mercado praticamente na rua do apê, então deu pra fazer uma comprinha pra ceia de Ano Novo e coisas para o café da manhã e enfim, no fim das contas gasta-se muito menos quando se faz compras do que quando se come fora, né?





O segundo motivo de dois dias terem sido suficientes - pelo menos pra mim - é que utilizando o metrô conseguimos chegar onde queríamos rapidamente, então não perdemos muito tempo pegando vários ônibus ou táxi, por exemplo - com a exceção dos Ubers que usamos tanto quando chegamos no aeroporto como quando para ir pro aeroporto na volta.

Santiago é uma cidade com aproximadamente 6 milhões de pessoas e fica ao lado da cordilheira dos Andes, o que por si só já causa um impacto no olhar quando você chega na cidade. Lembro de ver as montanhas ainda no carro saindo do aeroporto e pensar: caramba, estou mesmo aqui!

Essa foi a minha terceira capital latino-americana (sem contar a brasileira, claro) e claro, a gente nota semelhanças com as outras - Buenos Aires e Montevidéu, no meu caso. A arquitetura, as praças, é tudo vagamente parecido. No entanto, acho que Santiago é mais parecida com a capital uruguaia, com o acréscimo de mais gente! A cidade é super super limpa, o metrô tranquilo e barato (but then again, estávamos lá em fim de ano e geralmente a cidade fica vazia, né?) e no geral, as pessoas são bem hospitaleiras e prestativas por lá.

Nosso primeiro passeio na cidade foi no Cerro San Cristóbal, uma serra cujo pico é o segundo mais alto na cidade. Lá em cima há um santuário dedicado à Virgem Maria e uma capela onde o papa João Paulo II rezou e abençoou a cidade em 1987. Além disso, o Cerro é o maior parque público de Santiago e isso por si só já diz muito: o lugar é enorme! Eu honestamente achava que seria subir uma serra, ver a vista e pronto. Mas cara, o parque estava bombando - e olha que fomos lá no dia 31 de dezembro. Muitas famílias caminhando, gente fazendo corrida, subindo de bike - haja pernas, porque a subida é de fato muito íngreme.










Inclusive, você pode pegar um funicular pra subir, mas ele estava em manutenção quando fomos, então o jeito foi pegar o ônibus que o parque disponibilizou. A vista no caminho já foi mostrando a que veio e o ápice foi quando chegamos lá em cima - a visão que você consegue ter de Santiago é realmente demais!

Na descida pegamos o bondinho e caminhamos pelo bairro até chegar no metrô. Almoçamos "em casa" e de lá seguimos pra uma outra parada bem famosa pra quem visita Santiago: a Plaza de Armas.










Pra ser sincera, é uma praça bonita mas nada demais. Claro, curti ver o movimento e os contrastes arquitetônicos - da Catedral Metropolitana e de um prédio moderníssimo ao lado, por exemplo. Fora isso, não há muito o que fazer por ali e por isso voltamos pra casa após tomar um sorvete pra descansar pra virada de ano.

O Reveillon em Santiago por ter várias faces: jantares caros em hotéis, festas privadas e sei lá mais o que, e a festa na rua, claro. Optamos pela última, mas já sabendo que se não curtíssemos, poderíamos voltar pra casa facilmente. Um show de fogos aconteceria ali na torre Entel, o que foi muito conveniente pra nós porque era literalmente a umas 4 quadras do apartamento onde nos hospedamos. Então descemos umas 11h30pm, curtimos o clima na rua, vimos os fogos e depois andamos pra casa! A galera tava bem animada, cantando, usando máscaras e jogando serpentina e confete pra todos os lados. Foi super civilizado e tranquilo!




Web Analytics

@blog_barbaridades

Back to Top