Lituânia e Letônia, meus primeiros países bálticos!

/

A ideia de conhecer os países bálticos nunca teve prioridade na minha lista de viagens. Aliás, eu nem tenho uma lista de viagens propriamente dita. A verdade é que eu tinha poucas ambições nesse sentido na vida, de verdade. Nunca pensei que fosse conhecer os lugares que já conheci, e honestamente, se tivesse conhecido a Austrália, meu sonho de criança, já estaria bom pra mim.

Mas aí veio a ideia de fazer um intercâmbio, e nos meus primeiros anos aqui eu quis viajar muito, aproveitar a oportunidade de viajar enquanto morava na Europa. Mas o tempo foi passando, eu fui ficando, deixei de ser estudante, e a vontade de viajar nunca passou - pelo contrário! A cada lugar que eu conhecia, mais outros apareciam no meu radar.

E depois de ter ido à tantos lugares clássicos na Europa - Itália, Inglaterra, França, Alemanha, etc - começamos a explorar outras partes do velho continente. E numa dessas veio a ideia de ir pra Bucareste, na Romênia. No entanto, por um problema da Ryanair (situação que descrevi em detalhes aqui nesse post), ganhamos um voucher pra comprar passagens no site deles.





Tínhamos que viajar entre janeiro e março de 2018 pra usar o tal do voucher. Olhamos os destinos pra onde a Ryanair voava nesse período e quais sairiam menos de 80 euros (valor do voucher pra cada um de nós) pra não termos que pagar a diferença e foi aí que avistamos a Lituânia e Letônia. Compramos as passagens sem saber muito sobre esses países - a única coisa que pesquisamos na época foi se dava pra ir de um país ao outro em poucas horas para que pudéssemos conhecer os dois numa tacada só. Infelizmente não tivemos mais tempo e não rolou encaixar o terceiro e último país báltico, a Estônia. No entanto, esse com certeza fica numa próxima (e já prevejo o combo Talin na Estônia + ferry pra Helsinque, na Finlândia).

Esses três países - Estônia, Letônia e Lituânia - são chamados de países ou estados bálticos por conta do mar báltico próximo de onde estão localizados.

Toda essa região da Europa era habitada pelos povos fínicos, que eram pagões. No século 13 eles se tornaram um alvo das Cruzadas, que acabou chegando e nomeando parte da região de Livonia (sul da Estônia e toda a Letônia). Esse território foi dominado pelos alemães por muito tempo, passando para os suecos e posteriormente, russos. Já a região da Lituânia conseguiu resistir às cruzadas e formou o Grão-Ducado da Lituânia, que por sua vez, tornou-se aliado do Reino da Polônia.

Em termos de etnicidade e língua, os estonianos são classificados como fínicos (assim como os vizinhos na Finlândia). Aliás, pelo que eu saiba (através de vídeos de história/geografia no youtube), a Estônia é um país que tem muito a ver com a Finlândia, se inspiram muito neles e tal. Já os letões e lituanos são descendentes dos povos bálticos e tem uma cultura e língua indo-europeia. Embora esses países tenham sua própria cultura e tradições, historicamente passaram por muita coisa parecida, o que os torna mais próximos, digamos assim.

A história da Lituânia e da Letônia é fascinante, mas falarei mais disso em posts separados.



Dicas práticas


- A moeda em ambos os países é o euro, o que facilita muito pra quem mora por aqui. Os dois países são baratos, mas não os mais baratos que já visitamos na vida - a Romênia, por exemplo, foi bem mais barata (mas eles usam sua própria moeda). Uma coisa que um guia na Lituânia nos disse é que infelizmente, com a introdução do euro no país, o custo de vida aumentou muito e as pessoas tem que se esforçar muito pra pagar as contas no fim do mês.

- Há muitos vôos para as capitais desses países a preços ótimos  e bastante frequência, pelo menos saindo de Dublin. Os vôos para Riga, na Letônia, são praticamente diários, e os vôos pra Vilnius, na Lituânia, acontecem umas 4 vezes por semana. Os aeroportos de ambas são bem perto do centro da cidade, o que facilita muito!

- Não usamos transporte público porque praticamente não precisamos, a não ser para ir e voltar dos aeroportos. No caso, usamos o Uber na Lituânia (a corrida do aeroporto até o hotel, que era na boca da old town - uns 15 minutos -, deu 4 euros) e o Taxify na Letônia (vimos essa dica em algum blog gringo, já que lá não tem Uber). A corrida foi super baratinha também!

- Para ir de um país para o outro, usamos a empresa Lux Express. Compramos os tickets pelo site com umas duas semanas de antecedência e pagamos 8 euros cada. A viagem de Vilnius pra Riga dura umas 4 horas e o ônibus foi o mais confortável que já peguei na minha vida inteira! Tela individual, internet liberada, máquina de café e bebidas quentes de graça, assentos confortáveis, excelente mesmo!

- Pelo fato de ambos os países estarem na União Européia, consegui usar o meu 3G tranquilamente, o que foi uma mão na roda em termos de mapas. Não precisamos de mapa impresso e pra ser sincera, nem o GoogleMaps é tão importante assim, porque o centro antigo das duas capitais é pequeno e fácil de se achar, mas mesmo assim, é bom ter a segurança de poder saber exatamente onde se está, né? rs




Nos próximos posts vou descrever melhor o que fizemos, o que visitamos, algumas dicas de restaurantes e tour nas duas cidades :)
Web Analytics

@blog_barbaridades

Back to Top