Resenha: musical "Once" no Olympia Theater

/

Quando meu irmão chegou em casa super animado contando de um filme irlandês que ele viu num cinema da Paulista, eu jamais imaginaria que um dia seria fã do filme, muito menos que estaria morando na cidade onde ele foi idealizado e gravado anos depois.

A verdade é que eu adoro musicais, e Once é um daqueles musicais de encher o coração, de mexer com a gente de verdade - seja pela sua simplicidade, pelo talento dos músicos, pelas letras melancólicas.

Já vi o filme dezenas de vezes (e já falei dele aqui no blog!) e quase surtei quando vi em diversos outdoors pela cidade que o musical estaria por aqui no verão.

R. não é muito fã de musicais, mas gostou do filme Once e por isso não hesitou em ir comigo. Queríamos ter comprado ingressos pra estréia que foi dia 4/julho mas quando fomos comprar, já não tinha mais. Tudo bem, porque conseguimos bons lugares pro domingo dia 5!


Antes deu rasgar a maior seda do mundo pra esse musical, deixa eu falar um pouquinho do teatro em si? Ele é lindo, lindo mesmo, mas olha, seus mais de 100 anos estão pesando demais. É que pensa, em 1879, quando ele abriu, as pessoas tinham uma média de altura mais baixa, né? Mesmo eu, baixinha, fiquei exprimida no assento - fora as pernas, que não tem espaço pra serem esticadas. Mesmo depois de uma reforma que fizeram na década de 70 por medidas de segurança, não acho que o teatro seja muito bom pra se ver um espetáculo, sabe? Não estive em outros teatros aqui em Dublin, mas comparando com teatros em que já estive na vida, é meio triste ver um lugar tão lindo e clássico ser tão ruim pra performances (e a acústica também não é nada legal - muitas vezes não conseguia ouvir o que os atores estavam dizendo).

Agora posso dizer que amei, amei, amei, amei o musical?

Disso eu já sabia - lembro que, a primeira vez que vi um musical (Priscila, a rainha do deserto) já comecei a me debulhar em lágrimas nos primeiros segundos de peça! hahaha. Gostar de Once não seria uma tarefa difícil, mas eu tava curiosa acerca do que eles fariam pra adaptar as músicas pro teatro - afinal de contas, o filme é muito focado nos dois personagens principais e apesar de ter uma pequena banda, que toca com eles no estúdio, não há mais músicos, músicas suficientes pra encher uma peça, sabe?

A decisão de ter incorporado mais personagens à trama foi muito acertada - na peça, eles são amigos do dono da loja de instrumentos que acaba tocando com eles na banda, além de, por exemplo, os flatmates da personagem também participarem.

O cenário é fixo, mas seus elementos são mudados de lugar o tempo todo pelos próprios atores/músicos - cadeiras, mesas, pequenos detalhes que nos transportam pra outros cenários imaginários.



Uma das coisas que mais gostei nessa adaptação é que eles incluíram interlúdios entre algumas cenas - então a partir de algumas notas das músicas mais famosas do filme, eles faziam uma versão (seja mais animada ou mais melancólica, só com vozes) pra intercalar entre os números musicais propriamente ditos. Dá pra ouvir um exemplo aqui.

Além disso, as canções ganharam uma repaginada, instrumentos novos, uma cara nova, mas sem perderem sua essência. Amo as originais, mas as versões da peça também ganharam muito meu coração....

Fora que no musical, obviamente, tem muito movimento e dança, que deram um fôlego novo pra história!



Por fim, fizeram questão de fazer a peça bemmmmm irlandesa, com várias referências à Dublin, ao sotaque daqui, à rivalidade de Dublin X Cork, à cultura irlandesa de maneira geral. No filme, a cidade acaba sendo um personagem em si e transportaram isso pro teatro de outra maneira, o que pra mim foi uma decisão acertadíssima. A peça ficou leve, divertida, mas ainda sim tocante e agridoce.

Sério, é uma experiência imperdível demais. Não deixe de ver se mora aqui, acho que ainda tá em cartaz!



ps.: depois, lendo sobre a produção, descobri que o cast mudou várias vezes - o original da Broadway não é o mesmo que tocou em Londres, que não é o mesmo que tocou em Dublin em 2013, que não é o mesmo de agora. Vendo alguns vídeos no youtube gostei muito do ator da Broadway, mas acho que gosto mais do elenco de agora. Ah, e até Ronan Keating participou por um tempo em Londres. Gente, adoro Boyzone, mas Ronan Keating numa peça dessa não dá.
Web Analytics

@blog_barbaridades

Back to Top