O verdadeiro interior

/

Pra quem não sabe, o meu namorado é irlandês. Ele é de Cork, mas tem família em outros lugares da Irlanda também, sendo um deles o condado de Mayo.

Desde que nos conhecemos ele comenta que gostaria muito de me levar pra lá, já que ali era de fato o interior do país: casas no meio do nada, cidadezinhas minúsculas, aquela coisa toda. Acabou que nunca deu pra gente ir, mas no feriado que teve em junho acabamos unindo o útil ao agradável e fomos visitar alguns familiares dele em Newport.

Primeiro que o dia já começou beeeeeem miserable. Nós estávamos em Galway quando começamos a jornada até Mayo e cara, que desgraceira. Primeiro que a estrada não é uma estrada bonitinha, highway. Tipo, não é estrada de terra, mas não é um luxo: elas são estreitas e cheias de curvas, o que sempre me dá uma certa tensão, mesmo eu não sendo a motorista. Depois, como eu mencionei, o clima: bucketing rain, pra usar uma expressão bem irlandesa. Tava chovendo muito, chovendo forte, como há tempos eu não via. 

R. tava até meio "feliz" em poder me mostrar a verdadeira Irlanda, a Irlanda da qual ele se lembrava na infância quando ia pra Mayo...

Quase duas horas depois, chegamos. Mas o impacto de estar numa cidadezinha tão pequena não foi tão grande pelo simples fato deu já ter ido pra muita cidadezinha pequena por aqui. Então essa coisa da cidade com uma igreja, um banco, uma loja já não é novidade, sabe? Mesmo assim, eu ainda fico me perguntando como seria nascer e crescer num lugar assim tão menor comparado à megalópole de onde eu vim.

Da cidade, ainda são alguns quilômetros até a casa dos familiares do R.

E é exatamente como ele descreveu: no meio do nada.




Só tem mato, mato, mato. E a casa. E uma casa ali, bem mais frente. E mais mato. E vento. Vento galore. Vento aos baldes. Vento de fazer os músculos da cara espalharem!



Nós gostaríamos de ter visitado o Ballycroy National Park (o último parque nacional que me falta conhecer aqui na Irlanda!), mas como o clima não ajudou (nem tínhamos muito tempo), deixamos esse passeio pra depois e só curtimos a região com uma rápida caminhada - porque o tempo ia virar de novo.

Mayo faz parte daquela rota Wild Atlantic Way e tem muita paisagem linda, principalmente na costa - é por ali que fica também a Achill Island, ligada à Mayo por uma ponte. Quem sabe numa próxima oportunidade não passamos por ali?
Web Analytics

@blog_barbaridades

Back to Top