[livros] Conhecendo melhor o meu Brasil

/

Quando fui ao Brasil este ano acabei passeando (como sempre) pela Livraria Cultura do Conjunto Nacional. Não que não tenha livrarias legais aqui em Dublin, mas eu tenho um carinho especial por aquela livraria porque sempre comprei muito livro por lá! Já cheguei a ficar hooooras andando e admirando o lugar!

Estava lá com o R. procurando livros de português para estrangeiros quando lembrei, do nada, de um título que eu já tinha ouvido falar - "Guia politicamente incorreto da história do Brasil". Já que estava lá e o livro provavelmente não seria muito caro, acabei comprando.

Li o bichinho em praticamente duas sentadas, já que a leitura dele é muito agradável, simples e divertida. Sabe quando você se pega rindo ou sorrindo quando tá lendo alguma coisa? O autor procura desmistificar certos personagens da história brasileira, como a de que Santos Dumont não teria mesmo inventado o avião ou que Zumbi dos Palmares na verdade tinha escravos.

A própria descrição do livro é a seguinte:

Existe um esquema tão repetido para contar a história do Brasil, que basta misturar chavões, mudar datas ou nomes, e pronto. Você já pode passar em qualquer prova de história na escola. Nesse livro, o jornalista Leandro Narloch prefere adotar uma postura diferente – que vai além dos mocinhos e bandidos tão conhecidos. Ele mesmo, logo no prefácio, avisa ao leitor: “Este livro não quer ser um falso estudo acadêmico, como o daqueles estudiosos, e sim uma provocação. Uma pequena coletânea de pesquisas históricas sérias, irritantes e desagradáveis, escolhidas com o objetivo de enfurecer um bom número de cidadãos.” É verdade: esse guia enfurecerá muitas pessoas. Porém, é também verdade que a história, assim, fica muito mais interessante e saborosa para quem a lê.


O livro tem a parte visual muito bacana também (fora a capa, que é um espetáculo!), a fonte é bem legível, é confortável de ler - algo que eu costumo levar em consideração quando tô lendo alguma coisa. Os capítulos são divididos em:

  • Índios: Os verdadeiros hábitos dos povos indígenas, jesuítas e bandeirantes durante a exploração portuguesa do Brasil Colônia (meu capítulo preferido!)
  • Negros: A amplitude da escravidão no Brasil, o tráfico de escravos, e como funcionavam os quilombos. (igualmente interessante, de abrir os olhos mesmo)
  • Escritores: As ideias equivocadas de Machado de Assis, Gregório de Barros, José de Alencar, Gilberto Freyre, Jorge Amado, e Graciliano Ramos. (não gostei tanto, mas seguimos...)
  • Samba: As origens do samba e os desfiles de carnaval. (interessante, mas eu passo)
  • Guerra do Paraguai: As causas e consequências da Guerra da Tríplice Aliança. (muito legal ler sobre isso porque eu mal lembrava de como tudo tinha se dado - faz tempo que terminei a escola, né?)
  • Aleijadinho: Porque a história de Antônio Francisco Lisboa é praticamente uma fabricação literária. (interessantíssimo!!!)
  • Acre: As circunstâncias da compra do território do Acre da Bolívia. (bem legal também)
  • Santos Dumont: Porque os Irmãos Wright desenvolveram uma aeronave funcional antes do brasileiro voar com seu 14-Bis. (esse assunto é batido, mas valeu por algumas curiosidade sobre o Dumont)
  • Império: As causas da Independência do Brasil, e esclarecimentos sobre as atitudes e suposta falta de democracia do Império. (um dos meus capítulos preferidos também)
  • Comunistas: As intenções do Cangaço, Intentona Comunista, e as guerrilhas da época da Ditadura Militar. (achei esse capítulo totalmente descartável, não gostei nada nada nada)
Eu fiquei com a sensação de que deveria ter aprendido tudo isso na escola, porque por exemplo, eu sempre achei que os portugueses eram os malvados, que os índios eram inocentes, que Zumbi era um grande líder, que Aleijadinho era real, etc, etc. Não que eu acredite em tudo que o Leandro Narloch (autor) diga, mas ele teve um vasto embasamento bibliográfico e no geral, eu diria que a título de curiosidade a leitura já vale muito a pena!

Aí tava em casa conversando com minha mãe sobre esse livro e ela comentou que tinha um outro livro ~desmistificador~, o "1808". Só de ler o título e sub-título fiquei curiosa e trouxe o livro comigo pra Dublin:


A primeira página já me prendeu de um jeito que eu não aguentei, tive que engolir o livro - a primeira metade eu li super rápido, mesmo! O autor aqui não é tão "debochado" quando o autor do "Guia politicamente incorreto da história do Brasil", mas também escreve de maneira simples e leve. Ele começa tudo dando o contexto histórico do que fez a família real se mudar para o Brasil: Napoleão tava chegando pra invadir Portugal (porque Portugal quebrou o bloqueio continental e continuou negociando com a Inglaterra) e D. João VI não achou que tinha cacife pra enfrentar o francês. Resultado: pegou todo mundo "importante" e fugiram, deixando o povo de Portugal à mercê. E sim, eles fugiram financiadíssimos e ajudados e escoltados pelos ingleses!


O engraçado é que de acordo com historiadores, se D. João tivesse resolvido ficar, provavelmente teria vencido Napoleão (seus soldados estavam cansados, famintos, chegaram em Portugal aos trapos) e a história teria sido muito, muito diferente. Seríamos colônia até hoje?

Bom, aí o livro vai explicando diversos aspectos dessa mudança dos portugueses pra cá: a viagem de navio em condições extremamente precárias, o apropriamento de casas no Rio de Janeiro pra abrigar quem vinha com a família real (médicos, advogados, etc), o relacionamento dos membros da família real entre si, os medos e inseguranças de D. João, etc, etc, etc. Pra nós, que lemos e estudamos tudo isso na escola (e principalmente, pra quem gosta de história) é um prato cheio pra viajar e ficar imaginando como tudo isso se deu há 200 anos.

Depois o livro explica os motivos pelo qual D. João voltou à Portugal, as marcas que os 13 anos em que eles viveram no Brasil deixaram no Brasil, as profundas transformações pelo qual todos passaram, a independência... fora a menção de outros personagens menos conhecidos pelos livros de história.

É uma leitura simplesmente sensacional, gostosa mesmo!

Me senti muito mais próxima do Brasil após ler essas duas obras e estou super na vibe desse tipo de livro. Se alguém tiver alguma recomendação, pode deixar aqui nos comentários?! :)
Web Analytics

@blog_barbaridades

Back to Top