Fazendo os rhycos em Macau

/

Eu sigo uma página no Facebook chamada Culture Trip que sempre posta uns videozinhos legais de lugares interessantes pelo mundo, pontos turísticos diferentes e tal. E muitos e muitos meses atrás, quando já tínhamos comprado passagens para a Ásia e já na fase de planejar o que fazer em cada lugar especificamente, me deparei com um vídeo do Culture Trip que me deixou super animada: um parque aquático num dos hotéis/cassinos em Macau.

Eu não sou muito fã de água (não no sentido de banho, claro, risos), não sei nadar, tenho medo de um monte de coisa, mas esse parque tinha um tal de tubo transparente no meio do parque, era meio que uma piscina elevada, difícil explicar. Fiquei louca, e quando fui pesquisar, vi que era possível comprar o day pass pra usar a piscina sem ser hóspede do hotel. Separamos a grana no orçamento pra fazer esse rolê e seguimos a vida.

O hotel em questão é o Galaxy Macau. Só de curiosidade fui olhar o preço pra ficar uma noite lá e a mais barata, sem café da manhã, pra duas pessoas, é 300 euros. Se pensarmos que eu e o R. chegamos a pagar 10 euros em hotéis pela Ásia, dá pra ter uma ideia, né? Então valeu a pena pagar o day pass - que ficou em torno de 70 euros para nós dois. Você tem acesso à todas as piscinas do complexo, pode usar os lockers, chuveiro, toalha, etc.



Nem preciso dizer que me senti a pobre das mais pobres criaturas, né? Exageros à parte, o hotel é muito chique, e como ele é também o cassino, o lugar é enooooorme e até achar a recepção pra comprar o day pass levou um tempão. Mas chegamos lá no começo da tarde e o plano era só passar umas horinhas - afinal de contas, quem aguenta piscina o dia inteiro? (eu não, ainda mais porque não sei nadar)

Deixamos as coisas no lockers e saímos pra explorar as piscinas tudo - já fomos direto na tal da piscina elevada, que na verdade é um corredor, um trajeto que dá uma volta de mais ou menos 20 minutos. Você pega uma daquelas boias grandonas com um buraco no meio, senta e vai - a corrente te leva. Ao longo do caminho tem vários "brinquedos": jatos de água na sua cara, mini cachoeiras, etc. Então é muito divertido, eu e o R. rimos horrores e só aquilo ali já tinha valido o ingresso pra mim!









Fizemos esse trajeto duas vezes e depois vimos que o local também abrigava alguns tobogãs. Eu tenho pavor dessas coisas, porque como não sei nadar, fico sempre preocupada com o pouso: se pousar numa piscina funda, morrerei afogada! Mas nós vimos que o local de pouso do tobogã era muito raso. Então me animei um pouco. Subimos pra ver qual que era e haviam três tipos: moderado, avançado e extreme. De alguma forma desconhecida, o R. me convenceu a tentar o moderado. Mas eu honestamente achei que moderado significava que ele dava menos voltas ou ia mais devagar, mas ledo engano. Quando deitei no negócio e água me levou, meu coração veio na boca: vai muito rápido!

Como é tipo um tubo tanto indoors como outdoors, você fica no escuro em alguns momentos, mas também fora, inclusive consegue ver um pouco do complexo lá fora, mas é tudo muito rápido. Só sei que gritei horrores e lembrei que logo deveria estar acabando e eu ia cair na água. Tampei o nariz e poucos segundos depois cheguei! hahaha

Logo atrás de mim veio o R., gritando de adrenalina, todo felizão. Eu ainda tremia, mas mais de susto por não esperar que fosse tão rápido, sabe? No fim ainda fui nesse tobogã outras duas vezes, enquanto ele foi no avançado e extreme, corajoso esse meu R.!

Por fim, demos uma volta pelo parque lá e terminamos o dia na piscina com ondas - ela era enoooorme e começava bem rasa e ia ficando mais funda, então tinha muito espaço. Eu nunca tinha estado numa piscina desse tipo e me diverti muito, mesmo não sabendo nadar!



Após nos divertimos muito nas piscinas, resolvemos nos arrumar pra ver um pouco do cassino. Era a minha primeira vez nesse tipo de ambiente e eu tava curiosa pra ver como funcionava, mas não queria jogar nem fazer um tour de cassinos, porque não queria estragar minha experiência de um dia ir pra Las Vegas. Como o R. já foi pra Vegas ele não fazia muita questão, mas fomos dar uma volta pelo Galaxy e cara, que negócio bizaaaarro. Primeiro que os cassinos na verdade são essa mistura de cassino, hotel e shopping, porque é uma loja mais chique e cara que a outra! Como rola dinheiro nesses lugares, cara!

Por fim, entramos no cassino - e o segurança pediu pra ver nossos passaportes, mas só isso. Meu, que lugar surreal. Me senti num filme do James Bond, mas sem o Daniel Craig #chateada. Os cassinos de Macau são muito lucrativos, tanto é que a receita deles é 6x maior do que a de Vegas - por essa você não esperava, né? Pois é. Macau na verdade é conhecida como a Vegas da Ásia, e muita gente vai pra lá gastar dinheiro, fazer festa, curtir, etc. Infelizmente, jogar ali estava fora do meu orçamento: o mínimo era 100 dólares! 100 dólares!!!

Demos uma voltinha, fiquei abobada com aquelas máquinas todas e pensando em como as pessoas realmente acham que dá pra ganhar dinheiro num lugar desses - a casa sempre ganha, sempre! Mas tá, esse tipo de lugar não é mesmo pro meu bico. Seguimos a vida. Saímos do cassino, pegamos o ônibus de volta para o terminal de ferry e em poucos minutos depois, embarcávamos de volta em Hong Kong.
Web Analytics

@blog_barbaridades

Back to Top