O dia em que um emprego caiu no meu colo

/

Eu sumi do blog, e acho que nunca sumi por tanto tempo! Mas esse post não é um post pra pedir desculpa pela falta de posts. Esse é um post pra contar que eu estou trabalhando em dois empregos - o que eu já trabalhava, como babá pra família C. e também como professora, numa escola de inglês.

Exatamente: como professora de inglês. Em Dublin!

Que eu queria trabalhar como professora novamente todo mundo sabia, mas que isso aconteceria assim tão rápido?

O emprego praticamente caiu no meu colo!

Sabe aquela coisa da hora certa no lugar certo?

Uma amiga de uma amiga que mora aqui há um tempo me contatou no facebook pra saber se eu ainda estava em Dublin e se tinha disponibilidade pra dar aula agora no verão. Foi uma surpresa receber sua mensagem porque nos falamos muito pouco quando cheguei aqui em 2013 (e nos encontramos pessoalmente pela primeira vez sem querer!) e eu nem sabia que ela já estava dando aula de inglês aqui (ela era profª como eu). Animada, respondi que sim.

O que eu não esperava é que em menos de 1 hora eu receberia uma ligação da escola falando um pouco sobre a vaga e pedindo pra eu marcar uma entrevista por skype com uma outra pessoa, que ao final do dia eu já tinha um formulário pra preencher, entrevista marcada e currículo pra ser enviado.

Como eu estava indo pro trabalho, não conseguiria me preparar direito (não sabia nada sobre a escola!), mas como as coisas acontecem sempre por algum motivo, meu chefe nesse dia chegou mais cedo e me liberou do trabalho - sendo assim, cheguei em casa duas horas antes do usual e consegui preencher tudo que precisava preencher AND me preparar pra entrevista.

Às 7h30pm começamos e a M. me perguntou basicamente sobre minha experiência de sala de aula, principalmente com adolescentes. Ela me deu várias situações-chave pra que eu pudesse dizer o que eu faria em determinada situação e tal. No fim, ela me pareceu super contente e disse que daria a resposta ainda naquele dia - detalhe: já eram quase 8 da noite.

Lá pras 9pm ela me liga e diz que consegui a vaga e que teria que estar na escola no dia seguinte para uma "induction".



No dia seguinte de manhã, lá fui eu. Por mais ou menos uma hora a P., director of studies (e a quem eu me reporto) me explicou sobre o método, as aulas, os procedimentos de forma geral. Fiquei igual barata tonta porque era muuuita coisa pra assimilar (ainda mais depois de dois anos fora da sala de aula!), mas saí de lá feliz e orgulhosa.

No outro dia eu já fui jogada na sala de aula. Aconteceu tudo muito rápido e eu fiquei agoniada pela semana toda porque eu não me preparei psicologicamente pra isso acontecer assim, agora. Agora já estou mais adaptada, mas ainda sim fico um pouco insegura com algumas coisas....

O contrato é só pra um mês mesmo, durante o pico do verão. Pra mim, o dinheiro extra é o menos importante (só fui saber o salário no meu 3º ou 4º dia), já que ter isso no currículo vale muito, muito mais. Fora a experiência de estar trabalhando numa escola local e dando aula pra um público que eu conheço muito bem, mas com um background diferente do qual eu estou acostumada: eles são todos adolescentes, porém europeus.

Depois de ter trabalhado na Cultura Inglesa, eu havia prometido a mim mesma que NUNCA MAIS daria aula pra adolescente, mas como aqui eu preciso da experiência e da referência, vale tudo. E já posso concluir muitas coisas - dentre elas, o fato de que adolescente é adolescente em qualquer lugar do mundo - foda!

Já quero fazer mil posts falando de como está sendo essa loucura e das diferenças que senti entre dar aula pra brasileiros e europeus, mas bear with me porque tô totalmente esgotada e sem tempo mesmo: acorda cedo, pedala muito, trabalha de pé dando aula, pedala mais ainda, chega no segundo trabalho, trabalha correndo, pulando e brincando com crianças, pedala mais, chega em casa, faz janta, prepara aula do dia seguinte... Nunca estive tão esgotada, mas acho que está valendo a pena!
Web Analytics

@blog_barbaridades

Back to Top