Passeio de balão em Bagan - vale a pena?

/

Vou começar esse post dizendo que a verdade é que nunca tinha prestado muita atenção em passeio de balão em lugar nenhum. Embora sim já tenha pesquisado passeios no interior de São Paulo muitos anos atrás, é muita grana, eu tenho medo de altura, e nunca tive vontade suficiente pra seguir em frente.

Mas corta pra 2017, quando eu e R. começamos a cogitar ir pra Ásia. Durante nossa pesquisa, eu fui ler mais sobre o tal passeio de balão e nem precisei ler muito pra ficar totalmente convencida. Aliás, não é segredo pra ninguém que eu adoro as dicas da Adriana, do Drieverywhere. Ela já foi pra dezenas de países e sempre que vou pra algum lugar novo, corro no blog dela pra ler sobre sua experiência no lugar, impressões, alguma dica legal, etc. E muitas vezes, acabo me inspirando pra fazer algo mais específico recomendado por lá, e essa ideia de fazer o passeio de balão foi implantada na minha cabeça ao ler o post dela.

Até fui ler outros relatos, blogs em inglês e tal, e as impressões eram meio que unânimes: todo mundo curtiu demais! Claro, o preço não é nada convidativo. Pagar mais de 300 dólares pra voar de balão por 30 minutinhos me parece bem caro, mas esse é o tipo de oportunidade que só aparece uma vez na vida - sem contar o fato de que a época em que estávamos cogitando ir pra lá era exatamente o período em que as empresas fazem vôos na região.




A época de balões em Myanmar vai de outubro a maio e existem três empresas que fazem o passeio por lá: Oriental Ballooning, Ballons over Bagan e Golden Eagle. Sinceramente, elas cobram preços bem parecidos e no fim das contas, a qualidade é praticamente a mesma: os pilotos são todos estrangeiros com anos e anos de experiência, um café-da-manhã é servido antes do vôo, tem champagne e certificado no final, etc, etc, etc. Então decidir qual empresa você prefere não é uma tarefa difícil, visto que é tudo elas por elas.

Porém, em algum fórum online vi alguém comentando que conseguiu um preço melhor através de uma agência. Achei estranho, porque geralmente é o contrário, né? A agência sempre cobra comissão, e fazendo por conta, só você e a empresa, é quase sempre melhor. Mas resolvi ir atrás dessa dica. Pesquisei os nomes de algumas agências, olhei sites, li resenhas e simpatizei com a Ayuda Myanmar Travel.

Pra você ter uma ideia: mandei email pedindo orçamento pra Oriental Ballooning e me passaram o valor de 399 dólares por pessoa. A agência já me passou o valor de 290, uma diferença de mais de 100 dólares! Nem pensei duas vezes e fechei com a agência pra fazer o passeio com a Oriental Ballooning mesmo - as outras empresas estavam esgotadas para o dia que eu queria, que era o 17 de março. Nós teríamos duas manhãs em Bagan só pra garantir caso não conseguíssemos voar no dia, mas deu tudo certo. Ah, vale lembrar que eles devolvem o dinheiro caso o voo seja cancelado por causa do clima.

Também vale mencionar que eu fiz essa reserva em julho/2017 pra voar em março/2018. É muita antecedência, mas a data tava esgotada em duas das três companhias que voam por lá, então vale a pena ser a louca da antecedência sim!

Corta pra março de 2018. Chegamos no Myanmar. Mandei um email pra agência confirmando que estávamos no país, até porque no email que recebi na confirmação de pagamento e reserva, eles pediam pra entrar em contato um ou dois dias antes. Na verdade, eu pedi pra moça da recepção do nosso hotel em Mandalay ligar pra agência pra confirmar o passeio, mas o inglês dela era bem básico, então não entendi muito o que aconteceu. Ela ligou de fato pra agência, mas fiquei insegura e por isso mandei o email também, mas tudo certo.

No dia 17 de março acordamos suuuper cedo e às 5 da manhã a van da empresa passou no hotel para nos buscar. Era uma mistura de sono, medo e ansiedade, e quando chegamos a um campão enorme a uns 20 minutos de distância, a surpresa: um café-da-manhã delicioso! Eu tinha até esquecido que ia ter comida! Serviram chá, suco, café, croissants maravilhosos, paõzinho, um monte de coisa que não comíamos há muito tempo - tirei a barriga da miséria, hahaha!






E aí aos poucos notei a equipe do Oriental Balloning preprando os balões. Preciso dizer que cara, e não imaginava que toda essa produção ficava involvida, é muita gente mesmo! Vários caras pra levantar a cesta, encher o balão de ar, servir café, etc, etc.

As cestas são e-nor-mes. Gigantes! Eu não imaginava que seria assim. Em poucos minutos o dia foi clareando e os balões tomando forma no céu. E passando das seis da manhã já víamos vários deles no céu... o frio na barriga foi aumentando, mas bobagem. Voar de balão é uma delícia! Mas antes, precisa prestar atenção nas posições de decolagem e pouso: dentro do balão ha vários compartimentos e tipo um banco horizontal pra você sentar. Quando ele está alçando voo, é necessário ficar sentado por alguns segundos, mas quando o piloto disse que podíamos levantar, já estávamos lá no alto mesmo!

É uma sensação indescritível: parece que você está flutuando, e não voando, é muito legal! E dá-lhe pau de selfie pra fazer fotos e vídeos e muitas fotos dos templos milenares vistos de cima.

passeio de balão bagan mynamar




passeio de balão bagan mynamar

passeio de balão bagan mynamar







passeio de balão bagan mynamar


Infelizmente não fez sol naquele dia, então com o tempo nublado não vimos os raios iluminando os templos lá em baixo, mas mesmo assim, a experiência valeu cada centavo, mas passou super rápido! Ficamos no ar uns 30 minutos eu acho - e o balão vai descendo tão lentamente que você nem sente... mas quando estávamos bem pertinho do chão, precisamos sentar novamente, e aí... é pouso forçado mesmo! O balão quica no chão algumas vezes até pousar de vez, então eu até bati minha cabeça na cesta atrás de mim, mas tudo beleza. Estava tão feliz por ter vivido essa experiência!

Ganhamos certificados com nossos nomes, e mais membros da equipe foram nos receber para oferecer champagne, frutas, sucos, etc. Como pousamos bem longe, pegamos um catamarã pra voltar pro outro lado onde a van estaria nos esperando, e preciso dizer que fiquei com medo de passar mal - odeio barcos e não tinha tomado nenhum remédio pra enjoo, mas o rio não balançava nada, então ficou tudo bem. A organização da empresa foi incrível e tudo funcionou como um relógio suíço!





Conversamos bastante com o piloto durante o café, voo e após o pouso também, ele era um britânico todo metidão a popstar, mas beleza. O cara conhece o mundo inteiro, voa no Chile, passa temporadas sobrevoando o Serengeti, vai pra Austrália uns meses por ano... que vida!

Voar de balão é uma experiência cara, mas como comentei no meu post do instagram na época em que voamos: esse tipo de coisa simplesmente não tem preço. A experiência, vivência e memórias criadas vão durar a vida inteira - e toda vez que olharmos pra foto vamos lembrar de cada minuto dentro daquele balão. Eu faria tudo novamente - e provavelmente ainda farei nessa vida!
Web Analytics

@blog_barbaridades

Back to Top