Trintei!

/

O dia em que completei 30 anos de idade finalmente chegou - e no melhor estilo, cheio de coisas boas, lágrimas, surpresas... muitas surpresas! Eu, que esperava no máximo um jantarzinho com o R. e uma comemoração de poucas horas no sábado com alguns poucos amigos em Dublin, acabei ganhando festa surpresa de alunos, muitas surpresas do R. e uma visita surpresa de amigos vindo da Holanda!

O dia começou bizarro: um passarinho fez coco em mim. Isso só aconteceu comigo uma outra vez, aqui em Dublin, e fiquei muito puta da vida. Eu tava na bike indo pro trabalho, só deu pra passar a luva no casaco e seguir a vida mesmo. 

Trabalhei, trabalhei, trabalhei. Como nessas últimas duas semanas tô cobrindo aulas no período da manhã, menina, eu não tenho tido tempo nem de almoçar. Mesmo. É engolir um lanche em 10 minutos e entrar em sala de aula de novo. Então mal olhei celular, mensagens, essas coisas.




Mas a tarde começou a melhorar: um aluno super querido trouxe um bolo já que além de ser meu aniversário, era também o último dia de aula dele! Então no finzinho da aula fomos pra cantina cortar o bolo, e meu humor melhorou bastante. No entanto, esse simples bolo não foi nada perto do que os meus alunos da última turma do dia fizeram pra mim. 

Cheguei na sala de aula e só tinha algumas pessoas por lá. Uma delas levantou toda séria e disse "come here, teacher". Fomos até a cantina. Quando chegamos lá, PÁ: balões, festa, mesa com bolo, comidinhas, doces, refri... gente, sem noção. Não segurei as lágrimas. Cantaram parabéns. Abracei todo mundo. Comemos. E mal sabia eu que aquele gesto tão carinhoso tinha aberto a temporada de comemorações das minhas três décadas de vida!



Vim pra casa trazendo presentinhos, flores, balões (na bicicleta, vale dizer). Cheguei em casa e o R. já tava aqui me esperando - geralmente ele chega depois de mim, mas já tava aqui nesse dia com uma pilha de presente em cima da mesa. Fui abrindo um por um de acordo com as "instruções" do embrulho de cada: "cheire", "olhe", "sinta"... ele me deu um presente para cada sentido. Ganhei instax, aquecedor pros pés, perfumes, chocolates... e no fim, a última indicação era de "ouça", uma etiqueta colada no laptop. E a maior surpresa e presente de todos: o R. escreveu uma música pra mim. Em português! E não só escreveu, compôs a melodia... ele gravou a música, cara. Foram rios, rios e rios de lágrimas. Ele queria me dar um presente significativo, algo cheio de sua atenção e carinho - e tem coisa mais linda que essa? E as horas que ele perdeu pensando e planejando essa música?

Depois da choradeira, fui tomar um banho e me arrumar já que iríamos jantar no The Cedar Tree, um restaurante libanês que eu tava super a fim de conhecer aqui em Dublin.

E chegando lá... mais surpresas! Minha amiga Carol e seu namorado Rudy estavam lá no restaurante. Vieram da Holanda pra passar o fim-de-semana do meu aniversário comigo!!!



Fiquei em total choque. Porque muita gente na Holanda já comemora o Sinterklaas nesse fim-de-semana ao invés de esperar pelo dia 5/12, então eu sabia que a Carol não poderia vir por conta de comemorações entre família e tal. Mas eles deram um jeitinho... o meu dia ficava cada vez melhor!

Jantamos uma comida deliciosa (sério, preciso voltar nesse restaurante, maravilhoso!), rimos, começamos a botar a conversa em dia... e sábado reservava mais diversão.



Levamos os dois no Bewleys, encontrei o A. (que veio da Bélgica por causa de uns compromissos e só deu pra gente conversar 5 minutinhos mesmo, mas já valeu), e seguimos para a comemoração que eu tinha planejado: uma hora pulando em camas elásticas lá no Jumpzone!



Eu nunca tinha pulado num trampolim ou cama elástica na minha vida, então foi super, super, super divertido! Amei demais a experiência, e acho que todo mundo na verdade curtiu demais, rimos e pulamos como criança, foi super legal e eu faria novamente sem nem pestanejar! Aliás, que ótimo exercício esse negócio de cama elástica, meu!

No caminho para o Jumpzone o R. passou numa confeitaria para buscar um bolo maravilhoso que ele tinha encomendado (mano, que bolo gigante!) e também brigadeiros e beijinhos porque segundo ele "não é uma festa brasileira se não tem beijinho e brigadeiro". Mais surpresas, meu coração não aguentou não, cara!






Mas enfim, depois de cantar parabéns e comermos, voltamos pra casa somente pra trocar de roupa e seguir pro pub - eu queria muito ir num lugar que tocasse música dos anos 80, que é o que mais gosto, mas infelizmente Dublin está desprovida de tal lugar. Então segui a recomendação de umas meninas no grupo do Facebook e o R. marcou uma mesa no J.W. Sweetman, e olha, foi uma escolha acertada! Ficamos com uma mesa ótima e a trilha sonora tava super 80's e 90's, mas também rolaram músicas de Natal porque ir ao pub em dezembro é isso mesmo. 

Conversamos, rimos, conversamos, dançamos... e ficamos até roucos de tanto falar. O pub acendeu as luzes 3 da manhã e ainda estávamos lá - eu não me lembro a última vez que fiquei até tão tarde assim na rua por livre e espontânea vontade, hahaha #aidadechegoufaztempo.





No domingo tomamos um brunch fora, passeamos, tiramos fotos, fomos num café... e apesar de ainda ter coisas de #vidareal pra fazer, tipo ir ao mercado e preparar aulas, e apesar de estar destruída de cansada e overwhelmed com todas as emoções, tive um fim-de-semana maravilhoso e memorável!




Obrigada à todo mundo que fez meu dia especial mandando uma mensagem, indo à minha festa e topando pular no Jumpzone, indo ao pub, me dando presentes tão lindos, cartões especiais... e principalmente à Carol e ao Rudy que vieram da Holanda e planejam essa surpresa há meses.

Mas sem dúvida alguma, o meu maior agradecimento vai ao R., que mais uma vez superou todas as expectativas possíveis... não tenho nem palavras mais. R. você é o melhor do mundo!
Web Analytics

@blog_barbaridades

Back to Top